Pensando em viajar para Tóquio? Conheça 10 lugares para visitar na cidade-sede das Olimpíadas de 2021

Em clima de Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio, a vontade de entrar em um avião e partir para o outro lado do mundo fica grande.

Um dos destinos preferidos dos brasileiros na Ásia, a capital japonesa é um símbolo do universo oriental que mistura ancestral e moderno, tradição e inovação. Não à toa, milhares de turistas visitam a cidade todos os anos.

Com uma população de quase 14 milhões (37 milhões se levarmos em conta a região metropolitana), dá para imaginar que coisa para fazer é o que não falta em Tóquio, não é?

Por isso, reunimos neste artigo 10 lugares para você visitar quando for a sua hora de conhecer a metrópole mais populosa do mundo.

Ah, e se você já realizou este sonho, mas está pensando em repetir a dose, fique tranquilo, pois separamos algumas dicas que você talvez ainda não conheça.

Confira:

Visitando Tóquio pela primeira vez

Como toda cidade, Tóquio tem algumas “paradas obrigatórias”, locais que são unanimidade entre turistas, guias e especialistas em viagens.

Portanto, se será a sua estreia em solo japonês, aqui vão alguns must-sees da capital:

1. Templo Sensō-ji

Também conhecido como Asakusa Kannon, o Templo Sensō-ji é o mais antigo e famoso templo budista de Tóquio.

A entrada do Templo Sensō-ji

Construído no ano de 645, ele foi erguido com o objetivo de preservar uma estátua de Kannon, a deusa da misericórdia. Hoje, é um dos santuários mais visitados no mundo e cartão postal da cidade.

Além do templo, há também uma pagoda (modelo arquitetônico muito comum no Japão e na China) de 5 andares e um complexo de templos menores, lagos, jardins, lojas e restaurantes.

Há quem recomende a visita ao Sensō-ji logo nos primeiros dias de viagem, para recarregar as energias antes de encarar outros passeios pela agitada capital japonesa.

2. Parque Ueno

Conhecido por abrigar diversas festas típicas e populares do Japão, o Parque Ueno é um bom refúgio para quem busca um pouco de sossego e tranquilidade.

Por volta do fim de março e início de abril, as mais de mil cerejeiras do parque florescem, transformando o local em um mar cor-de-rosa.

Na primavera, a floração das cerejeiras do Parque Ueno atrai milhares de turistas

Nessa época, além de festivais de música e dança, acontece também o chamado Festival das Cerejeiras em flor de Ueno. O objetivo? Contemplar a floração da árvore que simboliza o início da primavera na ilha.

Localizado no distrito de Taito, na região central de Tóquio, o Parque Ueno é um dos mais antigos parques do país. Além das cerejeiras, também são atrações do local jardins, templos, um zoológico e alguns museus, como:

  • Museu Nacional de Tóquio;
  • Museu Oriental;
  • Museu Nacional de Ciências; e
  • Galeria Metropolitana de Arte de Tóquio.

3. Tokyo Skytree

Ideal para quem gosta de ver a cidade de cima, a Tokyo Skytree é a estrutura mais alta do Japão e a segunda mais alta do mundo — na frente dela há apenas o Burj Khalifa, arranha-céu localizado em Dubai.

À esquerda, a Tokyo Skytree, estrutura mais alta do Japão. Ao fundo, o Monte Fuji

A torre de radiodifusão tem cerca de 635 metros de altura e foi projetada para suportar terremotos, abalos sísmicos e outras eventualidades comuns no país.

A entrada para subir na torre e curtir a vista panorâmica de Tóquio custa a partir de ¥ 1.000 (aproximadamente R$ 46 pela cotação de julho de 2021).

Dica: caso você não faça tanta questão de conhecer a Tokyo Skytree, pode subir em uma das torres do Tokyo Metropolitan Government Building (Edifício do Governo Metropolitano de Tóquio). Não é tão alto, mas é de graça e a vista é linda também! 

4. Shibuya

A região de Shibuya é a que mais se parece com a Tóquio do nosso imaginário.

Multidões, arranha-céus, letreiros, luzes, consumo… E um dos cruzamentos mais famosos do mundo: o Shibuya Crossing, também conhecido como “a Times Square de Tóquio”.

Vista de cima do Shibuya Crossing, o cruzamento mais movimentado de Tóquio

São 8 semáforos que fecham ao mesmo tempo para que um mar de pedestres não só atravesse a rua, mas faça pose para tirar selfies. Um verdadeiro “caos organizado”, como muitos o definem. Confuso, mas funciona.

Além de fazer o ritual do cruzamento, vale a pena passear pelas ruas de Shibuya para sentir o clima jovem e cosmopolita do bairro.

Só cuide com a tentação: são infinitas lojinhas de artigos que você sequer havia visto antes, mas que, na hora, tem a sensação de precisar imediatamente. Compras fazem parte de toda viagem, mas não perca de vista o planejamento financeiro que você fez antes de decolar!

Ah, e para quem foi às lágrimas com o filme “Sempre ao seu lado”, vale a pena visitar a estátua feita em homenagem a Hachiko, o cão fiel cuja história ganhou as telas de cinema.

Estátua de Hachiko, o fiel cão que esperava seu dono na saída da estação de metrô (e o esperou por 10 anos, mesmo depois de sua morte)

5. Palácio Imperial

Considerada a residência oficial do imperador do Japão e sua família desde 1888, o Palácio Imperial é uma ótima opção para quem quer conhecer um pouco mais da História do país.

O Palácio fica no centro de Tóquio e sua construção se iniciou quando a capital japonesa foi transferida de Kyoto para Tóquio, no fim do século XIX.

Apesar de os edifícios do Palácio Imperial serem fechados ao público, são permitidas pequenas excursões guiadas e visitas aos seus enormes jardins.

O Palácio Imperial do Japão

6. Centro Nacional de Arte

Para os fãs de arte e arquitetura moderna, o Centro Nacional de Arte de Tóquio é uma grande pedida.

Inaugurado em 2007, ele foi projetado pelo arquiteto Kisho Kurokawa e construído nos antigos terrenos do campus da Universidade de Tóquio.

Centro Nacional de Arte de Tóquio

Considerado o maior espaço de exposições do Japão, o Centro Nacional de Arte não possui coleções permanentes, apenas exposições temporárias.

Assim, toda visita é uma oportunidade de conhecer algo novo.

LEIA TAMBÉM | Como transformar planos em realidade com a Warren?

abra sua conta warren

Tóquio, round 2: passeios alternativos para quem se apaixonou pela metrópole

Alguns lugares são tão cativantes (e tão grandes!) que uma só visita não basta — seja para conhecer outras atrações turísticas, seja para sentir que de fato estamos vivenciando a cultura local.

Se você está planejando a segunda ida a Tóquio e procura passeios diferentes dos que já fez na primeira vez, aqui vão algumas dicas.

1. Templo Meiji Jingu

Importante santuário xintoísta criado em 1920, o Templo Meiji Jingu é um local interessante para quem quer conhecer melhor a história e a cultura japonesas.

O templo é dedicado às almas divinas do Imperador Meiji e da Imperatriz Shoken e fica no Parque Yoyogi, em Shibuya.

Para a construção da floresta que envolve o Meiji Jingu, centenas de milhares de árvores foram doadas de diferentes partes do Japão e do mundo.

Seu entorno é tão grande e arborizado que muitos aproveitam a visita para fazer trilhas e caminhadas na natureza.

A entrada do Templo Meiji Jingu

2. Karaoke Kan

Para os amantes de karaokê, o paraíso.

O Karaoke-Kan é um edifício que possui 10 andares dedicados à arte —  muitas vezes incompreendida — do karaokê.

Se você já assistiu ao filme “Encontros e desencontros” (2003), de Sofia Coppola, com certeza vai lembrar da cena do karaokê, em que os personagens vividos por Scarlett Johansson e Bill Murray atingem o ápice de sua aventura noturna por Tóquio.

A famosa cena em que Scarlett Johansson aparece de peruca rosa foi gravada em uma cabine do Karaoke-Kan!

Cena do filme “Encontros e desencontros”, de Sofia Coppola

Imperdível para quem procura uma boa noite de diversão.

3. Shimokitazawa

O oposto de regiões como a frenética Shibuya, Shimokitazawa é um bairro mais “descolado”, de estilo mais vintage: mais brechós e menos espigões.

Moderno, mas com heranças da Tóquio mais antiga, o Shimokitazawa (ou apenas Shimokita) é um destino interessante para quem gosta de comprar de marcas independentes ou procura bares mais alternativos para tomar uns bons drinks.

Suas ruas estreitas são tomadas por lojas de vinil e roupas vintage, cafés e cervejarias artesanais, música ao vivo e bistrôs com opções vegetarianas.

Brechó de rua em Shimokitazawa

4. Akihabara

O bairro de Akihabara é famoso por ser um reduto de produtos eletrônicos, repleto de lojas que vendem notebooks, tablets e smartphones a preços bem acessíveis.

Alguns diriam que é o paraíso dos geeks. No entanto, talvez mais interessante que o bairro em si sejam os seus frequentadores.

Akihabara é o ponto de encontro dos adoradores de mangá, anime e games em geral. Os eventos anuais de anime que acontecem lá são conhecidos mundialmente.

Além de reduto de eletrônicos, o bairro é também um reduto de cosplayers (pessoas que se fantasiam de personagens fictícios da cultura pop japonesa). É muito comum ver jovens andando nas ruas vestidos como seus personagens preferidos.

Cosplayers nas ruas de Akihabara

LEIA TAMBÉM | Investindo para viajar? Confira 7 filmes e séries para assistir enquanto seu dinheiro rende

Conheça os principais custos ao investir para Tóquio

Como acontece com a maioria dos destinos, a viagem para Tóquio pode ser bem cara, mas não precisa ser. Isso vai depender muito do estilo de viagem e das suas prioridades.

De qualquer forma, existem alguns custos dos quais é difícil escapar.

Visto

Para entrar no Japão, todo mundo precisa de um visto. Para turistas, existem três tipos:

  • Visto de uma entrada, que custa R$ 107;
  • Visto de dupla entrada, que custa R$ 214; e
  • Visto de múltiplas entradas, que custa R$ 214.

Você pode acessar o site da embaixada japonesa no Brasil para mais informações.

Vale lembrar que, se você não possui um passaporte válido, precisa colocar esse gasto na sua lista. A emissão de um passaporte no Brasil é feita pela Polícia Federal e custa em torno de R$257.

Passagem aérea

A passagem para Tóquio pode ser um dos itens mais caros da viagem, afinal, você está literalmente voando para o outro lado do mundo. 

Por conta da longa distância entre Brasil e Japão, não existem voos diretos, e o preço médio de uma passagem de ida e volta para Tóquio gira em torno de R$4.600 por pessoa (saindo do Rio de Janeiro ou de São Paulo, a tendência é encontrar preços menores).

Seguro viagem

O seguro viagem não é obrigatório para turistas no Japão. Mas, cá entre nós, isso não quer dizer que você não precise ter um.

Muitas vezes, temos a sensação de que gastamos dinheiro à toa, mas é melhor ter e não usar do que não ter e precisar.

Existem inúmeras opções de seguro, desde aqueles oferecidos por empresas de cartão de crédito até seguradoras propriamente ditas. E os pacotes também variam bastante, podendo custar de R$100 a R$500 por dia.

A dica é pesquisar bastante e tentar encontrar um que caiba no seu orçamento e faça sentido para você.

Roteador de wifi

Pouca gente vai discordar de que, hoje em dia, viajar sem internet é praticamente inviável. Se o destino é um lugar como Tóquio, podemos dar a discussão por encerrada.

Um item que muitos consideram essencial em uma viagem ao Japão é o roteador de wifi (ou pocket wifi), para que você possa ter acesso à internet na rua quando precisar usar um aplicativo de tradução ou se achar no mapa.

Você pode alugar um aparelho diretamente no aeroporto de Tóquio ou alugar antes com alguma agência. A base dos preços costuma ser em dólar e vai aumentando de acordo com a quantidade de dias, começando em torno de US$30 para 3 dias.

Outros gastos

A lista não é pequena, por isso, vamos enumerar mais alguns custos a serem considerados na hora de planejar a sua viagem.

  • Transfer do aeroporto até a cidade;
  • Transporte diário (trens e metrô);
  • Hospedagem (não custa lembrar que os preços podem subir muito em períodos de alta temporada);
  • Alimentação;
  • Atrações turísticas;
  • Compras.

LEIA TAMBÉM | Conheça a história de Ale e Duda, um casal que saiu de casa para percorrer as Américas em um motorhome

Como investir para viajar ao Japão?

Se você chegou até aqui, já deve estar sentindo aquela vontade de começar a se planejar, não é?

Na Warren, acreditamos que investir por objetivos é a forma mais eficiente de realizar sonhos. E como cada sonho tem as suas particularidades, nada mais justo do que investir de acordo com as necessidades de cada um.

Quando falamos em investimento, precisamos levar em conta o prazo do seu objetivo, quanto você tem para investir e quanto quer acumular para realizá-lo.

Se sua viagem for acontecer em um curto prazo, o melhor é optar por bons produtos de renda fixa. Se tiver mais tempo, pode ser interessante diversificar um pouco mais, inserindo alguns produtos com maior risco, mas que também podem trazer um maior retorno.

Mas a melhor parte é que, para investir da melhor forma, você não precisa saber de tudo isso: a Warren cuida de tudo para você.

Ao criar uma carteira com objetivo de viajar para o Japão, sugerimos os produtos ideais para você, conforme o prazo da sua viagem e o valor que você estipulou como meta. 

Ou seja, você não precisa ficar escolhendo produto a produto: nós montamos a sua carteira e fazemos a gestão do seu investimento!

Investir não precisa ser complexo. Quer experimentar? Abra sua conta e invista em minutos.

Gostou da leitura? Confira outros artigos que recomendamos para você:

abra sua conta trade warren