BDRs mais negociados da Bolsa: descubra quais são os 10 mais populares

Os BDRs mais negociados da Bolsa são aqueles que possuem o maior volume de negociação dentro de um determinado período. 

Neste artigo, vamos apresentar cada um deles em detalhes para você conhecer os mais populares.

Mas, antes, é preciso contextualizar essa nova realidade vivida pelos BDRs no Brasil, porque o crescimento na popularidade desses ativos foi vertiginoso no ano passado.

Embora o ano de 2020 tenha sido marcado por turbulências na economia global, também foi um período de grandes transformações e revoluções no mercado financeiro.

No Brasil, o ano passado representou um marco histórico para os BDRs, um tipo de ativo que permite o acesso de investidores brasileiros ao mercado de ações estrangeiras.

Em dezembro, segundo dados da B3, os BDRs atingiram os recordes de R$ 274 milhões em volume financeiro médio diário.

Não por acaso, o volume médio diário mensal (o valor de todas as negociações de BDRs em um mês dividido pelo número de dias) deu um salto espetacular de 602% entre dezembro de 2019 e o mesmo mês de 2020.

Diversos fatores contribuíram para esta disparada, e a tendência para 2021 é que os BDRs continuem a atrair a atenção dos investidores e se consolidem na Bolsa brasileira.

Mas quem se destacou nesse cenário de crescimento? Foi isso que buscamos descobrir.

Por isso, neste artigo da Warren, vamos explicar quais são os BDRs mais negociados da Bolsa, como funciona esse investimento e por que eles estão em alta. 

Confira!

Como funcionam os BDRs mais negociados da Bolsa?

A sigla BDR significa Brazilian Depositary Receipt. Os BDRs são ativos emitidos e negociados no Brasil com lastro em ações estrangeiras

Em termos simples, eles viabilizam que brasileiros invistam em ações dos EUA sem precisar converter dinheiro ou abrir conta em uma corretora no exterior.

Uma observação importante: os BDRs não são exatamente equivalentes a ações de empresas americanas, e o proprietário não se torna acionista da companhia.

O que acontece, basicamente, é que uma instituição depositária compra as ações no exterior e cria títulos lastreados nestas ações, que simulam a rentabilidade da empresa.

Embora as negociações ocorram em reais, o preço dos BDRs é cotado em dólar

Isso significa que o valor desta aplicação está diretamente exposto não só às oscilações do mercado americano, mas também do câmbio.

Quer tirar todas as suas dúvidas sobre BDRs? Leia o artigo que nosso CEO, Tito Gusmão, publicou a respeito: BDRs: as respostas para 18 perguntas que você deve estar fazendo 

Banner planilha 1

Por que os BDRs estão em alta?

O gráfico a seguir, elaborado pela Economatica, ilustra a quantidade mensal de BDRs negociados da Bolsa entre dezembro de 2019 e dezembro de 2020:

grafico: quantidade-negocios-bdr-19-20] Fonte: Economatica Brasil

Como podemos observar, a quantidade de negócios sofreu uma disparada a partir de outubro, quando chegou a mais de 207 mil. 

Até setembro, os BDRs não chegavam nem mesmo à marca de 60 mil negócios.

Então, o que aconteceu com os BDRs em outubro de 2020? 

A resposta é simples: o acesso a este mercado foi ampliado

Até então, os BDRs eram ativos restritos aos investidores qualificados — aqueles que possuem ao menos R$ 1 milhão em aplicações financeiras.

Porém, em setembro, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) decidiu modificar esta regra e liberar o investimento em BDRs a qualquer investidor da Bolsa. 

Após os ajustes necessários, a B3 passou a oferecer acesso universal aos BDRs em 22 de outubro de 2020.

O impacto da decisão foi imediato. 

A quantidade de BDRs negociados no último trimestre foi 522% superior à soma dos negócios entre janeiro e setembro, e o volume médio diário saltou de R$ 34 milhões em janeiro para R$ 274 milhões em dezembro.

No primeiro dia da nova norma, o índice BDRX — que rastreia BDRs não-patrocinados como Apple, Microsoft, Amazon e Walmart — rompeu pela primeira vez a barreira dos 12 mil pontos. 

Nos últimos 12 meses, a alta acumulada do BDRX é de 52%.

LEIA TAMBÉM | Melhores BDRs para 2021: 7 oportunidades que você precisa analisar 

Quais são os BDRs mais negociados da Bolsa?

conheça os bdrs mais negociados da bolsa, ilustração

Atualmente, a Bolsa brasileira lista mais de 600 BDRs de empresas ao redor do mundo, sendo a maioria lastreada em ações de companhias dos EUA. 

Eles são identificados pelo final “34” no código do BDR, que mostra que se trata de um BDR não patrocinado.

Na lista a seguir, selecionamos os dez BDRs mais negociados da Bolsa que compõem o índice BDRX, classificados de acordo com o volume — o valor diário das operações de cada papel.

O ranking foi elaborado com base nos dados da Economatica, para o ano de 2020.

Vamos explicar um pouco sobre cada uma das empresas e também vamos detalhar por que elas estão atraindo investidores brasileiros.

1. Tesla Motors (TSLA34)

tesla é um dos bdrs mais negociados da bolsa, ilustração, ilustração

A Tesla Inc (TSLA34) é a maior fabricante global de carros elétricos e movidos a bateria. A empresa também oferece diversos produtos no setor de energia renovável e é uma das líderes mundiais em sistemas de baterias e energia solar.

A Tesla é atualmente uma das gigantes tecnológicas do planeta e seu BDR foi o mais líquido do mercado em 2020, com volume médio diário de R$ 10,2 milhões. 

De janeiro a dezembro, o papel teve valorização de quase 1000% na bolsa brasileira.

Co-fundador da Tesla e CEO desde 2008, Elon Musk é amplamente considerado um visionário do mercado. 

Com participação em diversos setores de inovação, Musk é hoje uma das pessoas mais ricas do planeta.

Após se consolidar como a empresa automobilística mais valiosa dos EUA, a Tesla investiu nos últimos anos na expansão global e é hoje a líder global do setor, com capitalização em torno de US$ 830 bilhões.

Em 2020, a Tesla inaugurou uma fábrica (Gigafactory) na China e deve inaugurar uma unidade em Berlim em 2021.

LEIA TAMBÉM | BDRs pagam dividendos? Reunimos tudo que você precisa saber 

2. MercadoLibre (MELI34)

mercado livre é um dos bdrs mais negociados da bolsa, ilustração

Conhecida no Brasil como “Mercado Livre”, a gigante latinoamericana do e-commerce MercadoLibre (MELI34) tem sede em Buenos Aires e ações listadas na Nasdaq, em Nova York.

O BDR da MercadoLibre valorizou mais de 227% no ano passado e o volume médio diário chegou a R$ 8,4 milhões na B3. 

A capitalização de mercado da empresa hoje é de cerca de US$ 95,6 bilhões.

Com mais de 112 milhões de usuários ativos em 18 países latinos, a plataforma reúne serviços de comércio, classificados, pagamentos online e transporte, entre outras atividades.

Segundo um relatório da Fitch Ratings, a MercadoLibre é a maior plataforma de e-commerce da América Latina e tende a crescer com o aumento do comércio virtual e da popularização de fintechs nos mercados onde atua.

LEIA TAMBÉM | Empresas de tecnologia na Bolsa: descubra quais são e como investir 

3. Apple (AAPL34)

apple é um dos bdrs mais negociados da bolsa, ilustração

Não é preciso muita introdução: a Apple (AAPL34) é a empresa mais valiosa do mundo, ostentando uma capitalização de mercado de quase US$ 2,3 trilhões.

No Brasil, o BDR da gigante fundada por Steve Jobs teve volume médio diário de R$ 7,48 milhões em 2020, e o papel registrou alta de 135% no ano.

Figurando entre as líderes globais em produção e venda de celulares, computadores, acessórios eletrônicos, inteligência artificial e computação em nuvem, a Apple é uma adição extremamente popular para o portfólio de investidores de qualquer perfil.

Embora a companhia esteja exposta a uma miríade de riscos globais — como tributação, vendas internacionais e novas regulações —, a empresa mantém uma tendência sólida de crescimento há décadas e oferece retornos seguros a longo prazo.

LEIA TAMBÉM | Warren Games e Warren Tech: conheça os fundos e invista hoje mesmo 

4. Amazon (AMZO34)

amazon é um dos bdrs mais negociados da bolsa, ilustração

Outra gigante tecnológica que disparou nos últimos anos, a Amazon (AMZO34) é hoje a maior empresa de varejo do planeta. 

Sua capitalização de mercado, conforme ações negociadas na Nasdaq, gira em torno de US$ 1,68 trilhão.

O BDR da Amazon foi o quarto mais líquido de 2020, registrando R$ 6,68 milhões em volume médio diário e 130% de valorização entre janeiro e dezembro.

As áreas de atuação da Amazon incluem e-commerce, acessórios eletrônicos, inteligência artificial, streaming, entretenimento, carros autônomos e computação em nuvem.

Operando no Brasil desde 2012, o interesse pela empresa cresceu exponencialmente entre os brasileiros com a chegada do Amazon Prime, em 2019. O serviço oferece frete grátis em compras no site, streaming de séries, filmes e músicas e acesso a ebooks.

Para ter uma noção do impacto da Amazon no mercado, o lançamento do Prime em setembro de 2019 levou as maiores varejistas brasileiras — B2W, Magazine Luiza e Via Varejo — a perderem R$ 5 bilhões em capitalização em um único dia.

5. Microsoft (MSFT34)

microsoft é um dos bdrs mais negociados da bolsa, ilustração

Eternamente em disputa com a Apple pelo título de empresa mais valiosa do planeta, a Microsoft  (MSFT34) está na ativa há quase 46 anos e sua capitalização de mercado é de aproximadamente US$ 1,82 trilhão.

O BDR da Microsoft subiu mais de 83% no ano passado, e atingiu o volume médio diário de R$ 5,15 milhões.

Uma das maiores fabricantes globais de computadores e software, a empresa declarou receita de US$ 43,1 bilhões no último trimestre de 2020, alta de 32,7% em relação ao mesmo período de 2019.

Desde 2019, o motor das vendas da Microsoft é o Intelligent Cloud, ramo da companhia que desenvolve programas de computação em nuvem. 

A empresa vem se beneficiando da adoção global do trabalho remoto em meio à pandemia.

Para alguns analistas, Apple e Microsoft — historicamente rivais em muitas frentes — têm focado cada vez mais suas operações em setores distintos. 

Assim, o investidor não precisa necessariamente escolher entre as duas ações — ambas podem ser valiosas para o portfólio focado em diversificação.

LEIA TAMBÉM | FAANG: conheça o acrônimo das big techs — e veja como investir nelas 

6. Alphabet (GOGL34)

google é um dos bdrs mais negociados da bolsa, ilustração

A Alphabet (GOGL34) é a holding que controla a Google e suas subsidiárias. Por capitalização, a empresa ocupa o quinto lugar no ranking global, com valor em torno de US$ 687 bilhões.

É difícil delimitar o escopo das áreas de atuação do Google; começando com um algoritmo de pesquisa em 1997, a big tech hoje produz softwares diversos, computação em nuvem, inteligência artificial, anúncios, acessórios e carros autônomos, entre outros.

Na B3, o BDR da Alphabet foi o 6º mais líquido em 2020. O valor do papel cresceu 67% ao longo do ano e o volume médio diário foi de R$ 4,67 milhões.

Assim como Amazon, Microsoft e Apple, as ações da Alphabet são investimentos razoavelmente seguros a longo prazo, embora expostos à volatilidade típica dos setores de inovação e aos avanços na regulação por governos.

Para investidores que gostam de acompanhar as gigantes tecnológicas, o BDR da Alphabet é uma opção relativamente barata e com retornos sólidos para diversificar a carteira.

7. Facebook (FBOK34)

facebook é um dos bdrs mais negociados da bolsa, ilustração

Fechando a lista das Big Five do setor de tecnologia, o Facebook (FBOK34) vem como a rede social mais valiosa do mundo. Atualmente, o market cap da companhia é de US$ 644 bilhões.

Enquanto as outras quatro grandes techs frequentemente disputam espaço nos mesmos segmentos, o Facebook mantém a liderança incontestada no ramo de redes sociais

Além da rede homônima, a empresa fundada por Mark Zuckerberg é dona do WhatsApp, Messenger e Instagram.

O BDR do Facebook se valorizou 72% em 2020 e registrou volume médio diário de R$ 4,64 milhões, bem próximo ao da Alphabet. 

As duas companhias dependem fortemente da receita gerada por anúncios, embora usem métodos distintos de coleta de dados.

No segmento específico de influenciadores, a hegemonia do Instagram vem sendo ameaçada pelo chinês TikTok. O Instagram ainda retém a maior fatia do mercado, mas os usuários ativos do TikTok crescem rapidamente, em especial entre jovens e adolescentes.

8. Alibaba Group (BABA34)

alibaba é um dos bdrs mais negociados da bolsa, ilustração

O Alibaba Group (BABA34) é uma gigante chinesa de e-commerce, computação e entretenimento que cresceu rapidamente nos últimos anos, conquistando espaço entre as empresas mais valiosas do mundo.

Atuando como rival direto da Amazon, o Alibaba tem hoje capitalização de mercado de US$ 716 bilhões. 

Em 2014, o IPO (Initial Price Offering) da empresa nos EUA levantou US$ 25 bilhões e foi, até então, o maior da história.

No mercado brasileiro, o BDR do Alibaba registrou volume médio diário de R$ 3,45 milhões em 2020 e o valor do título subiu quase 43% entre janeiro e dezembro.

Embora a Amazon supere o Alibaba em market cap e receita, o grupo chinês é líder mundial em comércio B2B, modalidade que inclui o fornecimento a empresas e revendedores.

LEIA TAMBÉM | IPOs em 2021: após recorde em 2020, conheça as empresas que devem abrir capital neste ano 

9. Walt Disney Company (DISB34)

disney é um dos bdrs mais negociados da bolsa, ilustração

A Walt Disney Company (DISB34) é a holding controladora de todas as atividades da Disney, incluindo filmes, animações, jogos, parques temáticos, streaming e quadrinhos.

Fundada há quase 100 anos, a Disney concentra hoje uma parcela astronômica do mercado de entretenimento. Sua capitalização atual é de cerca de US$ 339 bilhões.

O BDR da Disney foi negociado com volume médio diário de R$ 2,52 milhões em 2020, e o papel se valorizou quase 63% ao longo do ano.

A Walt Disney sofreu um pesado impacto da pandemia no ano passado, em meio à paralisação de filmagens e do setor turístico. No entanto, os avanços no combate à Covid-19 e nas vacinas favoreceram a recuperação da empresa no segundo semestre.

10. Berkshire Hathaway (BERK34)

berkshire é um dos bdrs mais negociados da bolsa, ilustração

Há décadas, a Berkshire Hathaway (BERK34) é listada como uma das maiores e mais valiosas companhias do planeta. 

O lendário conglomerado de empresas presidido por Warren Buffett tem valor de mercado atual de aproximadamente US$ 554 bilhões.

A holding é proprietária ou possui participações em uma imensa variedade de setores, como alimentação, mídia, automóveis, imóveis, finanças, seguros e outros.

Em 2020, o BDR da Berkshire Hathaway avançou 30% e registrou volume médio diário de negociações de R$ 2,43 milhões.

A Berkshire é considerada um dos grupos mais sólidos da história do mercado e há décadas figura entre os componentes de maior peso do índice S&P 500.

LEIA TAMBÉM | Setores da Bolsa: conheça todos e analise as empresas para investir 

Como investir nos BDRs mais negociados da Bolsa?

Agora que você conhece os BDRs mais negociados da Bolsa, talvez tenha ficado interessado em investir em BDRs.

O investimento nesses ativos pode fazer sentido como estratégia de diversificação da sua carteira de renda variável, mas apenas se você se dedicar a estudar a companhia e conhecer seus fundamentos em detalhes.

Além disso, recomendamos investir em ativos de renda variável para objetivos de longo prazo, desde que você tenha um perfil de risco adequado.

Pela Warren, investir em BDRs é um processo muito simples.

Basta abrir a sua conta e acessar a aba “Trade”, por meio da qual você consegue comprar qualquer BDR listado na Bolsa de Valores sem pagar taxa de corretagem.

Depois de enviar dinheiro para a plataforma, você só precisa digitar o código do BDR que deseja adquirir e emitir as ordens de compra.

Simples, rápido e fácil. Quer experimentar? Abra sua conta agora mesmo.

Banner trade