Carteira Recomendada: Melhores Investimentos

Uma carteira recomendada é um ótimo modo de conhecer as melhores opções de investimento.

Através das sugestões nelas, mesmo investidores sem muita experiência no mercado financeiro, conseguem obter resultados surpreendentes. 

É possível encontrar uma grande variedade de carteiras recomendadas, tanto por instituições financeiras ou através de especialistas no mercado.

Porém, antes de tomar uma decisão por alguma delas, é fundamental entender como funciona esse tipo de investimento. 

Afinal, você sabe como as carteiras recomendadas são montadas e quem as produz?

E quanto aos rendimentos? Você sabe o que esperar dos resultados dessas carteiras?

Se você não tem respostas para essas perguntas, garantimos que você irá aprender tudo que precisa nesse artigo. A seguir, vamos falar sobre:

Boa Leitura!

O que é Carteira Recomendada?

Carteira recomendada, ilustração. Warren Brasil

Uma carteira recomendada é composta por um grupo de ativos financeiros pré-selecionados.

Seu objetivo é informar aos investidores quais empresas poderão entregar melhor performance com suas ações, em determinado prazo.

Em geral, a carteira recomendada é acompanhada de um relatório. Nele, os analistas responsáveis informam a razão das indicações.

Além disso, esse documento traz o preço justo da ação, qual sua participação no portfólio recomendado e qual deve ser seu desempenho.

Portanto, uma carteira recomendada é feita para ajudar o investidor entender a análise do mercado financeiro feita por profissionais.

Isso torna títulos com potencial de valorização, muito mais acessíveis para novos investidores.

Em contraste com os fundos de investimento, você não precisa aplicar em todos os ativos presentes no portfólio da carteira recomendada.

É possível, primeiramente, avaliar a análise realizada através dos relatórios e só então decidir se a sugestão é compatível com seus objetivos, estratégias e perfil.

Como é Feita e Quem Faz uma Carteira Recomendada

Normalmente, uma carteira recomendada é criada por corretoras e empresas de análise financeira independentes.

Existem, no geral, três tipos de recomendações:

  • Corretoras
  • Analistas independentes
  • Assessores de investimento

Desse modo, é possível encontrar uma carteira recomendada na sua área de cliente em corretoras, também na área de assinantes de empresas de análise ou através de uma consultoria com seu assessor.

Alguns sites especializados (como o Valor Econômico), também publicam carteiras recomendadas periodicamente.

Além disso, portais de notícias como o Exame, publicam as ações que foram mais recomendadas por diferentes instituições, em determinados períodos.

Os profissionais responsáveis por uma carteira recomendada utilizam a análise técnica e fundamentalista para encontrar as melhores opções em determinado período.

Muitos fatores são considerados no momento de escolha dos melhores ativos.

Eles vão desde a performance passada do título, até variáveis qualitativas, como o cenário econômico do Brasil e do mundo, ou até mesmo a qualidade da gestão na empresa em questão.

A Importância da Carteira Recomendada

Entenda a importância da carteira recomendada, ilustração

Infelizmente, o mundo dos investimentos ainda é bastante intimidador para a população geral. Em especial, títulos de renda variável (como ações), que são vistos como aplicações apenas para milionários e especialistas.

A carteira recomendada é uma forma de tornar esse universo mais acessível.

É através dela que investidores iniciantes – normalmente inseguros para realizar uma análise independente – podem diversificar seus investimentos.

A decisão sobre qual título comprar ainda será sua. No entanto, você estará munido de toda informação que precisa para escolher estratégias mais sólidas e rentáveis, em conformidade com seus objetivos.

Outra função importantíssima da carteira recomendada é ajudar na educação financeira. Isso porque, através de relatórios mensais, é possível entender as dinâmicas do mercado com exemplos práticos.

Além disso, você conta com análises detalhadas, feitas por profissionais da área. Assim, mais que uma sugestão, as carteiras recomendadas podem ser um veículo de aprendizagem para quem está começando.

Realmente Vale a Pena Investir com Carteira Recomendada?

A carteira recomendada pode ajudar — e muito — no processo de diversificação do seu portfólio.

Além disso, acaba sendo uma estratégia mais segura, em especial se você não tem muita experiência com investimentos. 

Porém, não significa que a carteira recomendada vale a pena somente para iniciantes. Mesmo aqueles investidores mais experientes do mercado financeiro podem se beneficiar.

Tudo isso porque as análises que levaram à composição das carteiras, normalmente, foram realizadas equipes de especialistas.

Mesmo que você vá investir em alguns ativos de sua escolha, é uma boa ideia revisar as recomendações do período e ler os relatórios.

Claro, é preciso confiar na análise do criador da carteira. Dessa maneira, é fundamental recorrer a uma carteira recomendada por uma empresa séria e com um ótimo histórico de resultados positivos.

Os Tipos de Carteiras Recomendadas

Conheça os diferentes tipos de carteiras recomendadas, ilustração

Existem diferentes modalidades de carteira recomendada.

O motivo disso encontra-se no fato de que cada investidor é único; perfil, objetivos, estratégias e preferências pessoais devem ser levadas em consideração.

E, dessa maneira, especialistas buscam criar carteiras recomendadas baseadas em diferentes categorias de ativos.

Veja a seguir algumas das modalidades mais comuns:

A Carteira Recomendada de Ações

Em geral, são realizadas recomendações mensais de ações. Os relatórios de acompanhamento da performance são feitos semanalmente, avaliando se houve alguma mudança no cenário.

Conforme as oscilações dos ativos, o analista responsável publica recomendações de substituição, venda ou manutenção dos títulos da carteira. 

Carteiras Recomendadas de Dividendos

Essa carteira recomendada se baseia em estratégias de pagamentos dos dividendos. Nesse caso, os analistas dão preferência a empresas que distribuem parte do lucro aos acionistas.

Porém, o lucro não acontece apenas com a compra e venda dos papéis, mas também através do chamado Dividend Yield. 

A Carteira Recomendada de Small Caps

Uma carteira também pode ser formada por empresas com menor liquidez na compra e venda, mas apresentando grande potencial de alta. São as conhecidas carteiras Small Caps.

O investimento é feito em títulos de empresas novas ou pequenas, que podem se valorizar muito no curto e médio prazo.

Contudo, vale lembrar que, apesar do potencial de lucro, esses investimentos são considerados de alto risco.

Carteira Recomendada de Renda Fixa

Também é possível encontrar uma carteira recomendada de renda fixa, isto é, um portfólio composto de títulos mais seguros e previsíveis, mas que rendem menos.

Alguns exemplos de títulos de renda fixa são os CDBs, Letras de Crédito e Títulos do Tesouro Direto.

A Carteira de Fundos de Investimentos

Os fundos de investimento são muito parecidos com carteiras recomendadas.

Isso acontece pois ambos são conjuntos de ativos selecionados por um especialista. A grande diferença é que, nos fundos de investimento, você não pode escolher quais ativos comprar: você investe no pacote.

Em contraste, a carteira recomendada sugere os melhores fundos para investir. Além disso, ela também sugere o percentual que deve ser alocado em cada categoria. 

Cuidados Essenciais — Erros que Devem Ser Evitados

Como em todo tipo de investimento, é preciso tomar alguns cuidados. Antes de mais nada, você deve entender os riscos envolvidos em investir.

Por exemplo, alguns investidores seguem certas indicações simplesmente por elas terem sido feitas por grandes bancos, ou apenas avaliando os lucros passados do ativo.

Porém, é importante lembrar: todo investimento de renda variável pode oscilar de maneira imprevisível. Ou seja, nem sempre uma carteira recomendada vai exibir uma boa performance dentro do prazo estipulado.

Dessa maneira, é fundamental avaliar as sugestões da carteira a partir dos seguintes critérios:

  • O título se enquadra no seu perfil de investidor?
  • As sugestões foram baseadas em fundamentos?
  • Existe potencial de boa performance futura, além do histórico de boa performance?
  • Você está disposto a assumir os riscos envolvidos nesse investimento? 
  • Seu patrimônio consegue acompanhar todas as recomendações? Se não, quais devem ser priorizadas?
  • Os relatórios apresentam todas as informações que você precisa sobre os ativos?
  • A carteira recomendada está alinhada com seus objetivos financeiros?

Outro ponto importantíssimo que deve ser observado é verificar se os preços dos ativos já não estão no patamar adequado, apontado pelos analistas.

Nesse caso, a valorização prevista já aconteceu e o momento de investir naquele ativo passou.

Como avaliar uma carteira recomendada? 

Para ter certeza de que as recomendações feitas estão alinhadas com seus objetivos, é preciso seguir alguns passos:

  • Conhecer e entender seu perfil de investidor.
  • Definir quais são seus objetivos e prazos.
  • Escolher qual estratégia de investimento você irá seguir.
  • Definir qual carteira está mais alinhada aos seus interesses.
  • Informar-se sobre os tipos de aplicações e ativos sugeridos. 

Lembre-se de diversificar seus investimentos, a fim de minimizar os riscos. Quando o assunto é mercado financeiro, sempre vale a máxima: não coloque todos os ovos em uma única cesta.

A carteira recomendada pode ajudá-lo a aplicar seu capital de maneira mais eficaz. Além disso, pode elucidar as análises feitas por profissionais e tornar o aprendizado muito mais simples. 

Dados Históricos de Carteiras Recomendadas

Você pode encontrar todos os relatórios das nossas carteiras recomendadas nesse link.

A seguir, você confere os rendimentos das nossas principais carteiras até Novembro de 2019:

 Rendimentos da Carteira Conservadora Warren, ilustração
Rendimentos da Carteira Conservadora Warren: 100% em renda fixa e performance acima do CDI.
 Rendimentos da Carteira Moderada Warren, ilustração
Rendimentos da Carteira Moderada Warren: 70% em renda fixa, 15% em multimercado e 15% em Ações BR e USA, com performance de 229,71% do CDI no mês.
Rendimentos da Carteira Agressiva Warren, ilustração
Rendimentos da Carteira Agressiva Warren: 50% em renda fixa, 20% em multimercado e 30% em Ações BR e USA, com performance de 238,35% do CDI no mês.

A Warren também conta com produtos próprios: fundos de investimento que vão desde renda fixa, até ações – todos com TAXA ZERO.

Veja alguns exemplos:

Fundo de Renda Fixa em Crédito Privado: a missão é buscar performance ao redor de 110% do CDI, nos produtos de renda fixa de empresas.

Veja os rendimentos no relatório de Outubro de 2019:

Warren crédito privado renda fixa, ilustração
Warren Crédito Privado (renda fixa).

Fundo de Renda Variável (ações): em 2019, os ganhos foram de 21,56%, acima dos 19,18% da Ibovespa.

Veja o histórico: 

Fundo de renda variável Warren, ilustração
Fundo de renda variável (ações) Warren.

Fundo USA Multimercado: em setembro de 2019, o fundo de ações americanas da Warren teve desempenho de 130% do S&P 500.

A performance acumulada desse produto é de 163% do seu benchmark. Veja:

 Rendimentos do Warren USA Multimercado, ilustração
Rendimentos do Warren USA Multimercado.

Carteira Recomendada da Warren

A Warren trabalha com o modelo de wealth management: você investe nos melhores produtos do mercado, em carteiras alinhadas aos seus objetivos.

O termo wealth management é utilizado para descrever a gestão de patrimônio que engloba: 

  • serviços de consultoria;
  • gestão e planejamento de investimentos.

Criamos um algoritmo chamado Índice Warren de Seleção de ativos.

Dependendo da classe do ativo, ele aplica diversas técnicas consolidadas na academia, para filtrar e ranquear os títulos. 

Com essas medidas, é possível mensurar o risco, o retorno e encontrar a relação entre eles ao longo do tempo.

Como é Criada uma Carteira Recomendada na Warren

O objetivo da Warren é entregar ativos que tenham um bom retorno ajustado ao risco, com pouco viés de período e uma trajetória sem grandes quedas.

Em resumo: te ajudamos a descobrir seu perfil de investidor, você cria seus objetivos e informa em quanto tempo deseja atingi-los, e com base nessas informações, sugerimos o portfólio perfeito para você.

É uma alocação que busca os melhores rendimentos, de acordo com sua tolerância ao risco.

Claro que nenhum algoritmo é perfeito. É por isso que aliamos nosso sistema à experiência e sensibilidade dos nossos gestores e especialistas. 

É através dessa união de forças que conseguimos entregar uma carteira recomendada personalizada para nossos clientes. Seu perfil de investidor e seus objetivos, afinal, são uma parte importantíssima dessa receita.

Por exemplo, se o seu perfil for mais conservador e seu objetivo for de curto prazo, seu portfólio será composto, principalmente, por produtos de renda fixa, que têm risco mais baixo.

Agora, se você tiver um perfil mais arrojado e um objetivo de longo prazo, seu portfólio será composto, em grande parte, por produtos de renda variável, que apresentam mais risco – mas grande potencial de valorização.

Saiba mais sobre como funciona nossa carteira recomendada aqui.

Conclusão

Uma carteira recomendada pode ser o caminho mais simples para começar a investir.

A carteira recomendada é uma importante ferramenta para qualquer investidor.

Seja para seguir suas recomendações à risca, seja para se informar sobre os destaques do mercado financeiro ou, até mesmo para aprender mais sobre análises financeiras. 

Nesse artigo, você encontrou tudo que precisava para entender o que são carteiras recomendadas de investimentos e também, como avaliar essas sugestões e encontrar as melhores opções para você.

Afinal, o melhor investimento é aquele que, além de apresentar boa performance, está alinhado com seus objetivos e seu perfil de investidor.

Quer aprender mais sobre como fazer os melhores investimentos? Leia esses outros artigos que preparamos: