Day trade: o que você precisa saber para iniciar os seus estudos

Day trade é uma estratégia de investimentos da Bolsa de Valores em que a negociação de compra e venda dos ativos ocorre no mesmo dia.

Demonizado por alguns, cultuado por outros, o day trade é sinônimo de polêmica no mercado financeiro.

Fato é que, devido à complexidade e à volatilidade, o day trade é uma modalidade de investimento em renda variável classificada como de alto risco

Mas fazer day trade vale a pena? Qualquer um pode fazer day trade?

Não há uma resposta unânime para essas perguntas: tudo vai depender dos seus objetivos e do seu perfil de investidor.

Com isso em mente, criamos esse guia sobre day trade para quem está na fase inicial dos seus estudos.

Aqui, você entenderá por onde começar seu planejamento para entrar no mundo do trading.

Hoje, vamos abordar os seguintes tópicos: 

  • O que é day trade?
  • Qualquer um pode fazer day trade?
  • Conceitos que você precisa saber antes de optar pelo day trade
  • Opção para quem prefere o longo prazo: fundos de ações
  • Conclusão

Boa leitura!

O que é day trade?

Entenda tudo sobre o day trade, ilustração

O day trade é uma operação na Bolsa de Valores realizada no curtíssimo prazo, dentro de algumas horas, minutos ou até segundos.

O objetivo dessa estratégia é lucrar com as pequenas oscilações de preço dos papéis, que podem ser ações ou outros ativos, como contratos futuros.

Como as oscilações no curtíssimo prazo costumam ser pequenas, o day trader tende a realizar diversas operações em apenas um dia para ter ganhos volumosos.

Isso explica, também, por que essa operação é tão arriscada.

Como o day trade funciona

O day trade é um tipo de operação muito ágil, que depende da habilidade, do faro e conhecimento do investidor para identificar o melhor momento para compra e venda dos ativos.

Funciona assim: imagine que você comprou ações de uma empresa às 10 horas, logo após a abertura do pregão, por R$ 15. Mais tarde, às 15h, você vende os papéis por R$ 16.

Nesse caso, foi realizada uma operação de day trade e você obteve lucro de R$ 1 por ativo vendido. 

Mas como saber qual é a hora certa de comprar e vender? É aí que está a complexidade dessa estratégia.

Se definir esses momentos fosse uma estratégia simples, todos os day traders estariam cada vez mais ricos. Mas é isso que você observa na prática?

O investidor depende de seu conhecimento e da sua experiência no mercado financeiro para determinar o momento ideal para as operações de compra e venda.

Para guiar suas decisões, boa parte dos investidores utiliza a análise técnica, também conhecida como análise gráfica.

Os entusiastas da análise técnica afirmam que o comportamento das ações no passado influencia o seu desempenho no futuro. Desse modo, seria possível prever e identificar de tendências nos gráficos dos preços dos ativos.

Essas tendências podem ser observadas para variações dentro de um mesmo dia, algumas horas ou até minutos.

Tudo depende da complexidade dos gráficos com os quais você pretende trabalhar, além, é claro, da sua estratégia de investimentos.

Como se vê, não é uma tarefa simples. E há quem diga, inclusive, que é impossível determinar os preços futuros com base apenas na análise técnica.

De acordo com estudos conduzidos por Eugene Fama, um dos maiores especialistas da história quando o assunto é mercado financeiro, o preço dos ativos segue um comportamento aleatório no curto prazo, sendo impossível utilizar qualquer artifício ou ferramenta para prever as oscilações.

Mesmo assim, há muita gente fazendo day trade e tentando ganhar a vida com essa prática.

A seguir, vamos nos aprofundar mais nesta polêmica.

LEIA MAIS | Day trade é bom ou ruim?

descomplicou abrir conta

Qualquer um pode fazer day trade?

Posso fazer day trade, ilustração

Até muito pouco tempo atrás, o day trade era uma estratégia explorada quase que exclusivamente por profissionais do mercado financeiro.

Isso porque o day trade exige bastante conhecimento e experiência, motivo pelo qual é considerado uma operação de alto risco.

No entanto, com os avanços da tecnologia e a popularização do mercado de ações, hoje qualquer investidor pode utilizar o day trade como estratégia. 

Mas vale lembrar que, assim como todo tipo de investimento, o day trade não é para todos.

Para começar, é preciso contar com uma boa tolerância ao risco e capacidade de manter a calma sob pressão. Entre os erros mais comuns de quem acaba com prejuízo no day trade está o comportamento errático causado pelo medo de prejuízos. 

Além disso, o day trade, como qualquer outra atividade profissional, demanda anos de estudo e prática para que você consiga pensar em ter resultados consistentes. E, mesmo assim, há risco de que isso nunca aconteça e você acabe desistindo antes.

A seguir, você entende melhor as características do day trade. Conhecer esses detalhes ajudará a determinar se essa é a estratégia ideal para você. 

Quanto dinheiro é preciso para fazer day trade?

Se você tem o suficiente para realizar operações com ações, você pode operar no Day Trade. Isso é, não há um valor mínimo estipulado para a modalidade. 

No entanto, é preciso considerar os custos da operação para determinar se vale a pena investir com a quantia que você tem. Além disso, é mais fácil aplicar estratégias de gerenciamento de risco quando você dispõe de um patrimônio mais significativo. 

O recomendado pelos especialistas costuma ser, ao menos, R$ 1.000. E é fundamental que esses R$ 1.000 não representem mais do que 5% do seu patrimônio, porque esse é um dinheiro que você precisa estar disposto a perder.

Como assim? Nosso CEO, Tito Gusmão, investe em ações com foco no longo prazo, há algumas décadas. Essa também é a recomendação da Warren: investir de olho nos fundamentos das ações, para enriquecer no longo prazo.

Para quem lhe pergunta indicações sobre day trade e análise técnica, Tito costuma sugerir que seja separado o mesmo dinheiro que seria separado para um cassino nessas operações.

Ou seja: um montante que você esteja disposto a perder. Já o grosso do seu patrimônio deve estar aplicado em operações sólidas, sejam elas de renda variável ou renda fixa, com foco no longo prazo.

Perfil de investidor

O day trade, como mencionamos, é um tipo de operação de alto risco. O investidor tem pouco tempo para corrigir eventuais erros. Além disso, estará trabalhando com valores alavancados, o que aumenta o potencial de ganhos e de prejuízos. Não se preocupe, vamos falar mais sobre a alavancagem mais à frente nesse artigo. 

O sucesso dessa estratégia depende muito da identificação de padrões e tendências nos preços das ações. Assim, é necessário, experiência e conhecimento das dinâmicas do mercado financeiro para obter bons resultados.

Com tudo isso em mente, o day trade é recomendado para investidores experientes, confiantes e com alta tolerância ao risco. Também vale lembrar que essa é uma estratégia indicada para quem já construiu um patrimônio considerável e conta com uma reserva emergencial e carteira diversificada. Esses fatores ajudam na redução dos riscos dessas operações.

O day trade vale a pena?

O day trade é indicado apenas se o seu perfil de investidor condiz com a estratégia. Além disso, vale lembrar que é preciso conhecer bem o mercado para ter sucesso. 

Essa pode ser uma opção para obter lucro no curto prazo. No entanto, aqui fica muito clara uma das máximas do mercado financeiro: quanto maior o potencial de lucro, maior o risco de perdas. 

Muitos investidores amadores entram nesse mercado após ouvir promessas de fortunas criadas do dia para a noite. Mas, como sabemos, não existe solução mágica quando o assunto é investir. 

É preciso planejamento, prática e disciplina. E, no caso do day trade, também é fundamental ter um bom controle emocional e alguma experiência com a Bolsa. 

Mas, afinal, é possível enriquecer com day trade? Um levantamento realizado por Fernando Chague e Bruno Giovannetti, da Escola de Economia da FGV EESP, mostrou que o day trade não costuma ser uma alternativa de renda para a imensa maioria dos que se aventuram nessa área.

Os estudiosos olharam para dois tipos de ativos típicos do day trade: contratos futuros de mini dólar e mini índice.

Com informações colhidas junto à CVM, eles concluíram que, dos quase 20 mil investidores pessoa física que começaram a operar mini índice entre 2013 e 2015, 92,1% desistiram.

Além disso, das 1.558 das pessoas que persistiram por mais de 300 pregões, 91% tiveram prejuízo.

Achou ruim? Pois fica pior: dos 9% que conseguiram algum sucesso com as operações, apenas 13 pessoas (menos de 1%) conseguiram lucro médio diário acima de R$ 300.

Se esse estudo não prova que é impossível viver de day trade, ele mostra que isso é para poucos. A seguir, vamos entender mais sobre essa prática, para que você possa começar seus estudos.

LEIA MAIS | Como investir na Bolsa de Valores

Conceitos que você precisa saber antes de optar pelo Day Trade

Fique por dentro dos conceitos do day trade, ilustração

O mundo dos investimentos, como você provavelmente sabe, tem seu próprio vocabulário. No caso do day trade, isso não é diferente. Pesquisando sobre o assunto, você encontrará diversos termos importantes para essas operações. 

A seguir, você encontra alguns dos mais importantes conceitos que apoiam essa estratégia:

Análise Técnica

A análise técnica consiste na avaliação do comportamento de preços e volume de negociação dos ativos, através de gráficos.

Quem aposta na análise técnica acredita que os dados passados ajudam a prever o comportamento dos ativos no futuro. Mas, como explicamos, esse pensamento não é unânime no mercado.

Através dos padrões identificados nos gráficos, o trader tenta prever tendências com maior precisão. Dessa forma, ele quer determinar o melhor momento para comprar ou vender um ativo. 

Stop Loss

Stop Loss é o nome dado a uma ordem programada de venda. Ela é executada quando o preço do ativo atingir um determinado patamar inferior ao que você pagou para comprar o ativo, visando prevenir grandes prejuízos. 

Por exemplo: imagine que você comprou ações por R$ 10 e programou o Stop em R$ 8. Assim, se por qualquer motivo o preço do ativo despencar, suas perdas ficam limitadas a 20%. 

Essa é uma importante ferramenta de gerenciamento de risco no day trade.

Alavancagem

A alavancagem é vista como uma das principais vantagens no day trade, mas também é um fator que contribui para o risco das operações.

Vamos explicar: no day trade, nem sempre você precisa pagar o preço completo das ações que compra. Só precisa pagar ou receber a diferença entre o preço de compra e venda. Veja o exemplo: 

Imagine que você investiu R$ 50 mil em ações, vendendo os papéis horas depois por R$ 52 mil. Como a operação foi realizada no mesmo dia, seria redundante pagar os R$ 50 mil, e receber os R$ 52 mil. Assim, você apenas recebe a diferença, os R$ 2 mil. 

Essas operações são realizadas através de empréstimos, normalmente disponibilizados pelas corretoras. Como tudo é “devolvido” no mesmo dia, não correm juros. Muitas vezes, isso significa que o investidor pode aplicar até 10 vez o que tem disponível em conta.

Como se vê, a alavancagem aumenta muito as chances de lucro, mas também pode ser um vetor para o prejuízo. Ou seja: trata-se de uma funcionalidade tão promissora, quanto arriscada.

Você precisa alocar apenas um percentual do valor investido quando realiza o day trade. Esse valor é o que chamamos de margem de garantia

Margem de Garantia

A margem de garantia se refere ao capital que o investidor deve ter disponível para realizar operações alavancadas. Normalmente, é possível cobrir essa margem com dinheiro em conta ou ativos como CDBs e títulos públicos

Ou seja, com R$ 20 mil em seu patrimônio, você conseguiria realizar operações de até R$ 160 mil no day trade. Se houver valorização, os ganhos são calculados com base no valor completo de investimento. Por exemplo: 

Investindo os R$ 20 mil que você tem disponível, com uma alta de 2% nos papéis, seu lucro seria de R$ 400. Mas, aplicando com alavancagem em uma operação de R$ 160 mil, o lucro seria de R$ 3.200, sem precisar dispor de mais do que os R$ 20 mil em conta. 

Vale lembrar: assim como o potencial de lucro é aumentado pela alavancagem, o mesmo vale para o potencial de prejuízos. Isso é: se a oscilação de 2% do nosso exemplo fosse para o negativo, você perderia R$ 3.200 na operação, e não R$ 400.

Zerar Posição

A expressão “zerar posição” é utilizada para indicar que todos os ativos comprados durante o pregão em questão foram vendidos novamente. Isso é, sua posição nas ações foi “zerada”.  

Uma das principais características do day trade é que o investidor deverá zerar posição antes do final do pregão. Assim, mesmo se houver desvalorização de um ativo, ele deverá ser vendido antes do final do dia. 

Se você está operando alavancado, sua corretora muito provavelmente irá realizar a zeragem compulsória. Isso é: o encerramento automático de suas operações alavancadas no day trade.

Assim, o sistema automaticamente cancela as ordens em aberto e dispara uma ordem à mercado visando liquidar as posições em aberto

Esse é um recurso utilizado no caso do investidor não zerar sua posição antes do leilão de fechamento.

A zeragem compulsória também pode acontecer pelo consumo completo da garantia disponível. Assim, trata-se de uma ferramenta para evitar que o investidor perca mais dinheiro do que pode cobrir. 

LEIA MAIS | Os três pilares básicos para investir em renda variável

Opção para quem prefere o longo prazo: fundos de ações

O day trade é um tipo de operação complexa, que certamente não é para todo mundo. Trata-se de uma estratégia que exige tempo, dedicação, estudo e monitoramento constante da bolsa de valores.

Nem todo investidor pode (ou quer) fazer isso tudo. 

Mas isso está longe de significar que o mercado de ações não é para você. Se você quer aproveitar o grande potencial da renda variável, existem opções muito mais práticas e acessíveis.

Um ótimo exemplo são os fundos de renda variável. Neles, um grupo de especialistas escolhe quais ativos são comprados ou vendidos, fazendo a alocação por você. Seu papel é escolher bons fundo e acompanhar o seu patrimônio crescendo. 

Conheça os fundos de ações da Warren:

Ao contrário da maior parte do mercado financeiro, a Warren não cobra taxa de administração ou taxa de performance nos seus fundos de investimento.

A performance desses ativos costuma a ser melhor no longo prazo. Assim, tenha em mente seus objetivos e perfil de investidor antes de escolher. 

Quer investir nos fundos da Warren? Descubra o seu perfil de investidor e comece a investir. Depois de abrir sua conta e definir os objetivos, nós vamos recomendar a carteira perfeita para você.

E o melhor: também vamos cuidar do rebalanceamento dos ativos para aproveitar as melhores oportunidades do mercado também fica sob nossa responsabilidade.

Agora, se você deseja investir em ações diretamente, não tem problema. O Warren 3.0, já anunciado, será liberado para todos os clientes nas próximas semanas, e vai permitir que você compre ações diretamente na plataforma, montando uma carteira para o longo prazo.

Na plataforma, também será possível fazer day trade, para quem deseja se aventurar por essa área.

LEIA MAIS | Como investir na Warren

Conclusão sobre day trade

Como vimos, o day trade é um tipo de operação complexa, que exige experiência e alta tolerância ao risco. Ele não é para todo mundo, mas isso não significa que seja impossível ganhar dinheiro com essa estratégia. 

O você precisa é de muita informação, estudo, planejamento, controle do risco e dedicação para obter os melhores resultados possíveis.

Se você deseja começar nessa área, nossa recomendação é iniciar devagar, com pouco dinheiro. Aprenda conforme for investindo, para não sofrer prejuízos relevantes e que vão inviabilizar seus estudos. 

E, falando em aprender mais sobre o mercado financeiro, que tal conferir esses outros artigos aqui no blog? 

abra sua conta warren trade