Depois do coronavírus: coisas que o “você de amanhã” agradecerá o “você de hoje”

Pensar em um futuro distante não é algo tão comum na rotina das pessoas. Grande parte dos nossos planos e esforços acabam ficando concentrados no hoje, no máximo em uns meses para frente. E isso é completamente natural, já que a gente vive em um mundo cada vez mais apressado, no qual as nossas tomadas de decisões precisam ser mais rápidas. 

E já que parece haver uma urgência tão grande em tudo o que a gente faz, pensa e age, como, afinal, ter tempo e consciência para pensar no que teremos e seremos daqui 10, 15 anos?

O mundo está apressado e, em tempos de pandemia, preocupado com o futuro. Nunca tivemos tanta clareza de como as nossas ações de hoje podem ajudar ou comprometer a sociedade como um todo mais a frente. 

Nesse sentido, quais ações suas hoje fariam a sua versão do futuro ter muito orgulho? Já parou para pensar nisso? Aqui a gente ajuda você com algumas questões simples, mas que fazem muita diferença.

O que a sua versão de amanhã agradecerá a sua versão de hoje?

– Por entender que os ciclos de crise são passageiros

O mundo entra em crise de tempos em tempos. Isso aconteceu muitas vezes no passado e ocorrerá diversas vezes no futuro. As crises surgem por questões governamentais, econômicas, de saúde e mais uma série de outros fatores. 

Quando se entende que todas elas passam (umas mais rápidas que as outras), a nossa atitude muda diante delas. E, ao fazermos isso, temos uma visão muito mais clara e otimista do que precisamos (ou não) fazer diante dela. E assim, agimos mais rápido.

Isso significa que não devemos sofrer com essas crises? Não. Elas pegam em cheio a vida das pessoas, de uma forma ou de outra, e isso realmente precisa ser sentido. Mas quer ver uma forma simples de entender que tudo passa? Olhe o gráfico da bolsa de valores no Brasil ou nos Estados Unidos, por exemplo. O mercado de ações reflete tudo o que ocorre e impacta as vidas das pessoas, inclusive as crises. Veja como a linha é ascendente no longo prazo.

Imagem para ilustrar post sobre histórico da bolsa de valores
Foto: B3

Sim, é uma forma simplista de analisar isso, pois por trás de cada subida ou descida da bolsa, há um monte de fatos e acontecimentos. Mas perceber como os ciclos de queda começam e encerram é uma forma de entender que o alívio pode estar logo ali na frente.

– Por acreditar na recuperação do mundo

“O mundo tem que acabar porque o ser humano não deu certo”. A gente ouviu muita essa frase nestes últimos dias. Mas acredite: é o contrário. O melhor do mundo são as pessoas e podemos ver isso pelo esforço gigantesco que o planeta está fazendo para controlar a pandemia e reverter a situação econômica que o Covid-19 já nos apresentou como cartão de visitas.

É a mesma questão que falamos mais acima. O mundo está mais agilizado do que nunca, temos recursos que não existiam durante a gripe espanhola e nem na Grande Depressão. A crise econômica global de 2008 nos ensinou muita coisa e os bancos centrais do mundo estão mais preparados para enfrentar essa que está diante de nós.

Nós iremos sair dessa.

O entendimento disso nos levará a ação. E agir nos ajuda a diminuir a dor e os efeitos negativos de tudo isso. 

– Por incentivar a retomada da economia

Não são tempos fáceis para o mercado de trabalho. Os profissionais autônomos, as pequenas, médias e até as grandes empresas já estão sofrendo o impacto do isolamento social. Especialistas do mercado já falam em recessão global e isso deixa todo o panorama mais tenso. 

Enquanto os governos federais implementaram medidas de auxílio à população e os bancos centrais do mundo estão atuando fortemente para dar estímulos para as empresas, injetando dinheiro pra trazer liquidez para o sistema, você também pode fazer a sua parte. 

Como?

Sabe aquele restaurante pequenininho que você adora? Será que ele não está atuando com tele-entrega nesses dias? Será que a banca dos doces onde você costumava comprar a sobremesa todo santo dia não está vendendo pelo Instagram?

Você não precisa se descapitalizar completamente para ajudar os pequenos comércios, mas imagine se cada um de nós, na medida do possível, fizesse um estímulo à geração de renda dessas pessoas? Quantas marcas e empregos poderíamos ajudar a salvar?

– Por cuidar de você e da sua família

Estamos lidando com um grande dilema: como preservar as nossas vidas e as das pessoas que amamos e, em paralelo, evitar que milhões de brasileiros caiam na miséria por falta de trabalho?

Somos uma corretora de investimentos, que depende da condição e estabilização financeira das pessoas. Mas não pense que estamos preocupados apenas com a situação econômica dos nossos clientes.

Essa pandemia já levou muita gente embora e o impacto disso é o mais grotesco de todos. Por isso, a gente repete aqui o que viemos falando há muitas semanas: se puder, fique em casa. Preserve a sua vida, a dos seus pais, avós, amigos

O fim disso tudo depende da ciência, sim, pois o mundo está atrás de uma vacina para nos proteger do Covid-19. Mas o controle da situação atual depende exclusivamente de nós. 

– Por continuar planejando o futuro

Não desista dos seus planos, por mais que você esteja sob pressão. Se necessário for, altere apenas a rota do seu planejamento. Jogue-o mais para a frente, recalcule o esforço, repense a prioridade, mas não desista. Você deve continuar pensando em se aposentar aos 50 anos, em fazer uma Eurotrip de 60 dias com toda a família, em agilizar a melhor faculdade das crianças. 

Se a sua versão do futuro aparecesse na sua frente, e você visse hoje como o esforço valeu a pena, com certeza não pensaria duas vezes antes de dar continuidade aos seus planos de vida.

– Por manter os seus investimentos

informe-de-investimentos-conclusao

Isso tem muito a ver com o tópico acima. A gente procura tranquilizar o investidor em relação ao momento, principalmente o de ações, pois é a primeira grande crise que muitos passam dentro do mercado financeiro. 

Quando teremos o fim dessa pandemia e de todos os efeitos que ela vai causar? Bom, essa é a pergunta de 1 trilhão de dólares, pois ninguém sabe.

A verdade é que as bolsas do mundo entraram em choque com tudo o que tem ocorrido. O Ibovespa, índice norteador da nossa Bolsa, teve a queda mais vertical da história. Saímos dos 117 mil pontos para voltarmos à casa dos 70 mil pontos. É muita coisa pra pouco tempo. 

Mas lembra o que a gente disse lá no primeiro tópico? Que os ciclos de crise passam e como a linha de performance da bolsa no longo prazo é ascendente? Então é isso!

Sair da sua posição hoje é realmente efetivar a perda, infelizmente. Mas para quem segue pensando no futuro, essa fase será lembrada como uma época de persistência e foco nos seus objetivos de vida. A Bolsa recompensa quem tem paciência e foco no longo prazo, não se esqueça nunca disso!

Enquanto isso, para os seus objetivos de curto prazo, exerça a paciência e busque por proteção. A taxa de juros brasileira está baixíssima, o que faz com que a remuneração dos produtos de renda fixa também sejam menores.

O importante é agir hoje para usufruir de todos os seus sonhos.

E se você seguir os nossos conselhos, a sua versão do futuro estará feliz, realizada e muito mais preparada para o que vier pela frente.

FIQUE BEM INFORMADO! CLIQUE AQUI PARA VER TODOS OS NOSSOS CONTEÚDOS SOBRE CORONAVÍRUS EM UM SÓ LUGAR.

Banner reserva 2