Investimentos seguros: as melhores opções para proteger seu patrimônio

Investimentos seguros estão em alta demanda. Não é de se espantar, visto que atravessamos um momento de incertezas e instabilidade econômicas com a crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

Mas você sabe como identificar quando uma oportunidade é realmente segura? 

É comum encontrar listas que nos informam sobre os tipos de ativo mais seguros no mercado. No entanto, é preciso entender quais são os riscos envolvidos e porque aquelas opções são seguras.

Pensando nisso, criamos esse guia completo sobre investimentos seguros. Desde como identificá-los, até alguns exemplos. 

Hoje, vamos falar sobre:

  • O que torna os investimentos seguros?
  • Tipos de risco em investimentos
  • Poupança ainda vale à pena?
  • Existem opções de investimentos seguros em renda variável?
  • Invista de maneira inteligente com a Warren
  • Conclusão

Boa Leitura!

O que torna os investimentos seguros?

O que torna os investimentos seguros, ilustração

O que faz com que um investimento seja considerado seguro? Em resumo, a resposta para esta pergunta é: o baixo risco de perder o capital investido. Mas existem outras variáveis a considerar. 

Por exemplo, se você precisar liquidar o dinheiro aplicado, conseguirá fazer isso imediatamente. Ou, ao menos, sem perder a rentabilidade proporcional ao período de aplicação? Se o emissor do ativo falir, você ainda receberá seu dinheiro? 

Fazer essas perguntas é fundamental. Com isso em mente, a seguir você encontra as principais características que tornam os investimentos seguros: 

Rentabilidade Previsível

Saber o quanto seu investimento vai render no momento da aplicação é um dos principais fatores em investimentos seguros. Essa é uma característica inerente aos ativos da renda fixa. Isso porque eles funcionam como empréstimos: o emissor pega dinheiro emprestado com o investidor, e paga a quantia total acrescida de juros na data de vencimento. 

Os juros, nesse caso, são acordados no momento da compra dos ativos. Eles podem ser fixos ou variar de acordo com um índice da economia, como o CDI, Selic ou IPCA. 

Alta liquidez

A liquidez de um investimento refere-se a possibilidade de o investidor de reaver o capital aplicado antes da data prevista. 

Por exemplo, imagine que você decidiu investir em um CDB com vencimento para 2025. O título, no entanto, possui liquidez D+0. Isso significa que, se você precisar do dinheiro no início de 2021, poderá realizar o resgate imediatamente. E, muito importante: sem perder a rentabilidade referente ao período que o dinheiro permaneceu aplicado. 

Alta liquidez, em resumo, significa que você pode reaver o capital investido caso tenha problemas.

Tipos de Risco em Investimentos

Os tipos de riscos nos investimentos, ilustração

Todo investimento envolve algum tipo de risco. Até mesmo a famosa caderneta de poupança, que muitos consideram completamente segura. 

No mercado financeiro, risco é a incerteza que o investidor tem quanto à taxa de retorno prometida. Quanto maior a incerteza, maior a classificação de risco. 

Veja a seguir os tipos básicos de riscos ao investir: 

Risco de Mercado

Esse é o tipo de risco relacionado à economia e pode ser medido com os principais índices da economia.  Normalmente, esse risco é verificado comparando a performance de um ativo com um indicador do mercado no mesmo período. Alguns exemplos de índices utilizados são o CDI, Taxa Selic e o Ibovespa. 

Risco de Crédito

Esse é o risco ligado à possibilidade de “calote” do emissor do ativo. Isso é, o risco de não receber o capital aplicado de volta, seja por falência ou outras situações. 

Risco de Liquidez

Aqui, o risco é não conseguir movimentar o capital se necessário. Isso é, existem investimentos que exigem que o dinheiro permaneça aplicado por longos períodos. Assim, se você precisar do dinheiro, não pode liquidar os títulos. 

Outro problema da baixa liquidez é que, no caso de mudanças no mercado, o investidor não pode realocar o patrimônio. Isso impede a adaptação da carteira, podendo gerar perdas.

Risco Operacional ou de Gestão

Quando você aplica em fundos de investimento, está contando com uma equipe de gestão especializada para tomar as decisões sobre os ativos. É a gestora que realiza operações de compra e venda. 

Enquanto isso pode ser uma grande vantagem (você tem profissionais lidando com seus ativos), também pode incorrer risco. Isso é, você deve confiar na gestora para operar de forma eficaz e competente. 

Assim, é muito importante escolher fundos de gestões confiáveis, especializadas e reconhecidas no mercado financeiro.

Poupança ainda vale à pena?

No começo desse artigo, mencionamos que a poupança também tem seus riscos. Apesar da fama, esse não é o ativo mais seguro do Brasil. Ela é coberta pelo FGC, mas as vantagens param por aí. 

Primeiramente, vamos falar da liquidez. É verdade, você pode sacar seu dinheiro da conta poupança a qualquer momento. No entanto, perderá os rendimentos referentes ao mês, a não ser que aguarde o aniversário da poupança. 

O maior problema, no entanto, é o rendimento. Nas regras atuais, a caderneta rende apenas 70% da taxa Selic. Isso significa que qualquer ativo atrelado diretamente à taxa básica de juros produzirá melhores rendimentos. 

Com a Selic em baixa histórica, ainda, os rendimentos da poupança podem ficar abaixo da inflação. Isso significa que seu dinheiro não está apenas parado: também está perdendo valor. 

É por isso que tantas pessoas tem buscado os fundos de renda fixa, como alternativa à caderneta. Veja esse gráfico comparando os rendimentos da opção mais conservadora da Warren, o Warren Renda Fixa Simples, com os da poupança: 

Retorno histórico do Fundo Warren Renda Fixa x CDI, gráfico

Rendimento Warren Renda Fixa Simples. Fonte.

Existem opções de investimentos seguros em renda variável?

Não há investimento seguro na renda variável, ilustração

Os investimentos em renda variável sempre terão riscos maiores, quando comparados à renda fixa. Isso se deve à imprevisibilidade dos rendimentos.

IMPORTANTE: sempre considere o seu perfil de investidor antes de investir em qualquer produto. E produtos de renda variável costumam ser mais indicados para investidores de perfil moderado a arrojado.

Mas existem ativos da renda variável que são relativamente seguros e uma das estratégias para quem busca melhores rendimentos com estabilidade relativa é apostar nas grandes empresas. Ou seja, instituições já estabelecidas e aquelas atuando em setores essenciais, como energia, costumam a sofrer oscilações menores. No entanto, vale lembrar: elas acompanham as movimentações do mercado e ainda podem dar prejuízo. 

Uma estratégia muito utilizada para mitigar esses riscos é a diversificação. Ao investir em diversos ativos diferentes, as perdas podem sem compensadas. 

Invista de Maneira Inteligente com a Warren

Aqui na Warren, acreditamos que investir deve ser fácil e acessível para todos. Por isso, você encontra todas as facilidades que precisa para escolher investimentos seguros e eficazes. 

É muito simples. Primeiro, clique aqui e abra sua conta gratuita. Leva apenas alguns minutos e é tudo feito pela internet. 

Agora, você pode criar seu primeiro objetivo financeiro. A Warren vai acompanhá-lo passo a passo, colhendo as informações necessárias. Então, apresentaremos as melhores opções de investimento. Nossas sugestões consideram seu perfil, objetivos, metas e quanto você pode investir para começar. 

Viu como é fácil? Você ainda pode usar a edição avançada para colocar e retirar qualquer produto na sua carteira. 

Ah, e tudo isso com a taxa de gestão ativa até 3 vezes menor que a média de mercado

Conclusão

Para identificar investimentos seguros, é importante aprender sobre os tipos de riscos no mercado financeiro. Nesse artigo, você encontrou toda informação que precisa para tomar as melhores decisões para seu dinheiro. 

Quer continuar aprendendo sobre o mundo dos investimentos? Ótimo! Separamos alguns artigos aqui do blog para você: