Existe um segredo que o mercado de investimentos ainda não te contou

Você sabe quanto o seu banco recebe quando você investe em um fundo indicado pelo seu gerente? 

E a sua corretora, quanto ela ganha quando o assessor te convence a fazer um novo investimento?

Para muitas pessoas, há a percepção de que esse serviço é gratuito

Por quê? Simples: porque falta transparência

Os custos estão escondidos, maquiados. São um verdadeiro segredo que há anos o mercado não quer que você saiba. 

E é justamente no rodapé, no asterisco, naquilo que ninguém te conta, que surge o conflito de interesses.

Você já sabe que eu canto essa pedra há muito tempo. 

Essa é, inclusive, a razão pela qual eu decidi virar as costas para o modelo conflitado e criar a Warren. Nosso modelo alinhado com os clientes chegou para fazer com que os brasileiros invistam melhor — e de uma forma descomplicada. 

Mas a boa notícia é que, um passo de cada vez, o mercado está se tornando mais transparente. 

E eu não estou mais sozinho nessa discussão.

Hoje, eu quero falar sobre uma mudança estrutural na indústria de investimentos, que vem muito em linha com a bandeira que levantamos desde 2017 aqui na Warren. Ganhamos uma aliada poderosíssima na busca por um mercado menos conflitado.

Anbima obriga bancos e corretoras a serem mais transparentes

A Anbima, que representa o mercado de capitais e de investimentos, fixou em 14 de julho a data em que as instituições precisarão começar a dar mais transparência às suas políticas de remuneração.

A ideia é evidenciar o conflito de interesses que a gente já conhece. Neste primeiro momento, as instituições precisarão informar se o assessor, agente, corretor ou gerente recebe algum tipo de comissão nos produtos que vende.

Spoiler: ele recebe!

A Anbima sabe disso, eu sei disso e os clientes da Warren sabem disso. A indústria também sabe. Mas os investidores, em geral, não. 

Com essa mudança, a Anbima pretende deixar mais claro ao investidor o segredo antigo do mercado, o conflito de interesses, que ocorre quando a remuneração do intermediário depende da comissão embutida no produto que vende.

Esse conflito é muito claro: a partir do momento em que produtos diferentes, como fundos de investimento, oferecem taxas de rebate distintas, a corretora e o banco têm um estímulo financeiro para indicar um produto em detrimento de outro.

O cliente? Ele não fica sabendo, porque não há transparência nessa remuneração.

Note que há milhares de profissionais competentes nesse mercado, seja em banco ou corretoras. Eu pessoalmente conheço dezenas de agentes autônomos fantásticos, que buscam fazer um ótimo trabalho. 

O problema não está nos profissionais, mas no modelo ao qual eles estão submetidos.

Se o modelo é conflitado, é impossível garantir que o cliente final é priorizado. Com isso, milhares de brasileiros hoje acabam com suas carteiras cheias de produtos desalinhados com seus objetivos, que estão lá simplesmente porque a instituição os empurrou. 

descomplicou abrir conta

Como vai funcionar a nova regulamentação

Pelas novas regras, as instituições financeiras vão precisar informar se recebem comissão em determinado produto em uma seção exclusiva de seus sites.

Na página específica de cada produto, a empresa deverá incluir um disclaimer, com um link para o respectivo documento.

Já entendeu, né? 

Na prática, ainda caberá ao investidor fazer a investigação para descobrir se o gerente ou assessor recebe uma comissão pelo produto. 

Sabemos que este ainda não é o cenário ideal, mas é o primeiro passo. Em um segundo momento — pelo qual nós aguardamos ansiosamente —, a Anbima planeja solicitar informações ainda mais detalhadas, como o valor que cada intermediário recebe de comissão.

Neste caso, o investidor teria acesso a uma espécie de extrato da comissão, no qual seria detalhado o valor que fica para o agente, o valor que fica para o fundo e o valor que fica para a corretora, por exemplo.

A indústria conflitada, como você deve imaginar, não está nada contente com essas mudanças.

Dificilmente você verá as instituições conflitadas comemorando a decisão ou avisando seus clientes do novo direito conquistado por eles.

É fácil de entender os motivos. Por muitos anos, bancos e corretoras lucraram de forma exagerada em cima do desconhecimento e da falta de transparência.

Ou você vai dizer que nunca recebeu uma indicação de título de capitalização de um gerente de banco? 

Ele só oferece esse produto porque a comissão que o banco recebe é extremamente atraente para bater as metas do mês — e o cliente que se ferre perdendo dinheiro em um produto péssimo.

O caminho para evitar o conflito de verdade

Talvez você esteja se perguntando, neste momento, qual é o caminho para evitar o conflito de interesses. 

Por mais que a nova regra da Anbima seja uma vitória, acredito que brasileiros e brasileiras merecem investir com quem é transparente desde sempre, não com quem foi obrigado.

Investir sem segredos significa investir por meio de um modelo que, desde o início, colocou o cliente no centro, sem ressalvas.

E na Warren, este é o caso. O modelo Warren é a resposta ao mercado conflitado. Para descomplicar, vou explicar ele em 4 principais características:

Taxa única para investir

A Warren trabalha, desde o seu primeiro dia, em formato de remuneração fee based

O nome é complexo, mas a lógica é simples: a Warren nunca é remunerada pela comissão dos produtos, apenas por uma taxa fixa anual cobrada em relação ao patrimônio do cliente, que varia entre 0,5% e 0,7%.

Esse detalhe faz toda a diferença, porque garante que nós não tenhamos nenhum incentivo em indicar esse ou aquele produto. Além disso, nossa taxa sai em média 3 vezes mais barata que a soma de taxas cobradas pelo resto do mercado.

Fundos com taxa zero

Nadando contra outra maré, a de taxas embutidas em fundos de investimento, a Warren oferece produtos sem taxa de administração, nem de performance. E a taxa de corretagem quando você compra ativos como ações e FIIs? Zero também.

100% de cashback em fundos de outras gestoras 

Além de fundos próprios, distribuímos mais de 400 produtos de outras gestoras.

A clássica taxa de rebate, protagonista do conflito de interesses, não fica com a gente. O que recebemos de comissão, devolvemos em 100% de cashback para você.

Seu objetivo importa — e vira carteira

Por fim, um modelo realmente pensado para você significa uma experiência de investimento em que os seus sonhos são nossa prioridade. 

Acreditamos tanto nisso que, ao investir na Warren, você pode criar uma carteira para cada objetivo

Com isso, você coloca o seu futuro, as suas metas e a sua liberdade financeira no centro dos seus investimentos.

Quer conhecer a Warren? Abra sua conta e comece a investir em minutos.

Gostou do artigo? Leia também:

abra sua conta warren trade