Principais ações do Ibovespa: descubra quais são e como investir

As principais ações do Ibovespa são os papéis com maior peso no cálculo do índice Ibovespa

Por sua vez, o Ibovespa é o principal indicador do mercado brasileiro de ações

Se você pretende investir na renda variável, um dos primeiros passos é conhecer as empresas que são mais representativas na Bolsa de Valores brasileira.

Mas como sabe como o Ibovespa funciona na prática? Por que ele foi criado? Como investir no índice? 

Para responder essas e muitas outras perguntas, nós criamos esse artigo completo sobre o assunto. 

Hoje, passaremos pelos seguintes tópicos:

  • Principais ações da Ibovespa 
  • O que é o Ibovespa
  • Onde acompanhar a cotação e composição da Ibovespa?
  • Como investir no Ibovespa
  • Quanto custa investir em ações?
  • Quais são os riscos de investir em ações?

Boa leitura!

Principais ações do Ibovespa

principais ações do ibovespa, ilustração

As principais ações do Ibovespa são as maiores empresas da Bolsa de Valores brasileira, a B3, que acabam sendo responsáveis por movimentar os maiores valores em cada pregão. Isso porque o índice Ibovespa é concebido de acordo com o valor de mercado de cada empresa, dando mais peso às maiores.

O índice funciona como uma carteira teórica. Isso é: acompanha a variação dos preços de determinados ativos na Bolsa, selecionados de acordo com regras objetivas.

Atualmente, as empresas que compõem o Ibovespa representam aproximadamente 80% do volume de negociações da Bolsa. 

Abaixo, veja a relação das dez principais ações da Ibovespa, isso é, os ativos com maior participação no índice: 

AçãoCódigoParticipação no IBOV
ValeVALE312,33%
Itaú UnibancoITUB46,71%
PetrobrasPETR46,13%
B3B3SA35,23%
BradescoBBDC45,06%
PetrobrasPETR34,52%
Ambev ABEV33,20%
WegWEGE32,92%
Magazine LuizaMGLU32,83%
IntermedicaGNDI32,54%

Fonte: B3 — janeiro de 2021

LEIA TAMBÉM | Ações ordinárias (ON): o que você precisa saber ao investir 

Banner baixar relatório de BDRs, ilustração

O que é o Ibovespa

o que é o ibovespa, ilustração

Agora você já conhece as principais ações da Ibovespa, mas também é importante compreender esse índice mais a fundo, afinal, a composição completa tem mais de 60 ativos.

Conhecendo em detalhes, fica mais fácil entender qual é seu impacto no dia a dia do investidor. 

Como dissemos, o Ibov é um dos principais indicadores do mercado financeiro brasileiro, porque permite um acompanhamento da performance das principais ações negociadas na Bolsa de Valores. 

Para isso, ele funciona como uma carteira teórica de ações. Quando os ativos se valorizam, o índice sobe. Quando eles se desvalorizam, o índice cai.

Essa carteira teórica, composta por ações e units, é reavaliada a cada quatro meses

Para fazer parte do índice, as empresas mais negociadas também devem atender a alguns critérios:

  • Ser um ativo listado e negociado na Bolsa
  • Não ser um BDR ou uma ação de uma empresa em recuperação judicial
  • Estar entre empresas com o maior índice de Negociabilidade da Bolsa nos últimos 3 anos
  • Ser negociada em pelo menos 95% dos pregões nos últimos 3 anos
  • Movimentar volume financeiro equivalente a, pelo menos, 0,1% do total do mercado à vista nos últimos 3 anos
  • Não ter sido classificada como penny stock (preço menor do que um real por ação durante todo o ano) nos últimos 3 anos

Na prática, o Ibovespa é um recorte das ações mais negociadas na Bolsa de Valores, divididas de acordo com o seu valor de mercado. 

LEIA TAMBÉM | Ações preferenciais: entenda o que são e quais cuidados tomar ao investir 

Por que o Ibovespa foi criado?

O objetivo do Ibovespa é agir como indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de maior negociabilidade e representatividade do mercado de ações brasileiro. 

A metodologia por trás do índice foi criada pelo economista e ex-ministro da Fazenda Mário Henrique Simonsen. 

Antes de ser utilizada na atual B3, a metodologia foi testada na antiga bolsa de valores do Rio de Janeiro. 

Em 1968, foi adotado pela então Bolsa Paulista como parte de uma série de mudanças visando a transparência e modernização do mercado de negociações brasileiro. 

História do Ibovespa

O primeiro índice Bovespa foi publicado em 2 de janeiro de 1968

Ele era composto, na época, por uma cesta de 12 ações, as mais negociadas da Bolsa Paulista no ano. 

Para a compra da cesta, foi estipulado o valor de NCr$ 100 (cem cruzeiros novos). 

Cada um dos ativos teria um valor correspondente ao volume de sua participação no índice. 

Foi estabelecido que a carteira seria atualizada no primeiro dia de maio, setembro e janeiro. 

Até hoje, o Ibovespa é calculado utilizando a mesma metodologia.

O papel do Ibovespa na economia

Como mencionamos, hoje o Ibovespa é o indicador mais importante do mercado de ações brasileiro. 

Isso é: funciona como um termômetro da economia, medindo a performance das principais empresas listadas na Bolsa.

Dessa forma, é possível dizer que o Índice Ibovespa ilustra as oscilações do mercado de ações. 

Vale destacar, no entanto, que o desempenho das ações na Bolsa de Valores não reflete, necessariamente, o atual momento da economia do país.

Como os investidores precificam a capacidade de geração de caixa das empresas no futuro, o desempenho das ações está muito mais relacionado a expectativas do que à realidade atual.

Isso explica por que, em 2020, com a queda brusca do PIB devido à pandemia, muitas empresas se recuperaram antes que os indicadores econômicos, como os índices de consumo e de emprego.

Finalmente, o Ibovespa deve ser interpretado como principal benchmark da renda variável

Não é por acaso que a imensa maioria dos fundos de renda variável brasileiros buscam superar o indicador.

LEIA TAMBÉM | Ação fracionada: o que é e como comprar na prática 

Onde acompanhar a cotação e composição do Ibovespa?

O Índice Ibovespa é um indicador bastante volátil, porque sofre oscilações a cada segundo em que a Bolsa de Valores está aberta. 

Além disso, ele pode ter fortes variações dentro de um dia, semana, mês ou ano, como aconteceu em março de 2020, quando o Ibovespa caiu 30%.

Você pode acompanhar as cotações em tempo real no site da B3.

Lá, você encontra um gráfico interativo, no qual é possível personalizar o intervalo de tempo para análise, por exemplo. 

A composição atual da carteira teórica do Ibovespa também pode ser verificada no site da B3

Você também pode acompanhar o desempenho do Ibov no home broker da sua corretora, em portais de notícias sobre ações e em aplicativos que se dedicam a cobrir o tema.

Como investir no Ibovespa

como investir no ibovespa, iluistração

Para investir no Ibovespa, você precisa conhecer as diversas alternativas disponíveis no mercado. 

Vale o lembrete: em todos os casos, esse é um investimento em ativos de renda variável

Assim, é fundamental contar com estratégias para manejo dos riscos envolvidos e foco no longo prazo.

A seguir, você aprende mais sobre as diversas formas de investir através do Ibovespa: 

Replicando a carteira teórica

É possível investir nas ações que compõem o índice individualmente

Dessa forma, o investidor pode contar com maior flexibilidade, escolhendo por si mesmo em quais ativos aplicar e qual peso cada um terá na sua carteira. 

No entanto, para replicar a performance do Ibovespa, é necessário distribuir os aportes na mesma proporção da carteira teórica. 

Esse, como você pode imaginar, é um processo que envolve tempo e bastante conhecimento. 

Além disso, vale lembrar que cada negociação na Bolsa de Valores incorre em taxas, a não ser que você escolha uma corretora taxa zero, como a Warren.

LEIA MAIS | Planilha de rebalanceamento de ações: como utilizar [Download] 

Através de Contratos Futuros de Índice

Essa é uma das alternativas adotadas por investidores com um pouco mais de experiência e aptidão ao risco. 

Para investir no Ibovespa através de contratos futuros de índice, é necessário operar no mercado futuro. 

Funciona assim: o investidor que prevê alta no índice faz a compra de um contrato pelo valor atual da cotação. Se, na data de vencimento do contrato, suas expectativas se concretizarem e o índice valorizar, ele lucra com a diferença dos preços. 

Da mesma maneira, se ele prevê queda no índice, o investidor pode vender seus contratos para proteger seu patrimônio.

ETFs

Os ETFs (Exchange Traded Funds) também são uma opção bastante popular para investir no Ibovespa. 

Tratam-se de Fundos de Índice, que acompanham o índice de referência de forma passiva, sem que o investidor precise tomar decisões de investimento  

Atualmente, existem quatro ETFs que replicam o Ibovespa. São eles: 

  • BOVA11
  • XBOV11
  • BOVB11
  • BOVV11

Para investir, basta procurar pelo código dos ETFs no home broker e executar a ordem de compra. Simples assim.

Fundos de Investimento que replicam a carteira

Além dos ETFs, é possível encontrar fundos de investimento em ações que buscam replicar a carteira teórica do Ibovespa. 

Essas opções costumam ser mais versáteis, visto que as gestoras podem negociar ativos distintos quando necessário, visando a proteção do patrimônio, por exemplo. 

Se você está procurando fundos de ações que atendam às suas necessidades, conheça alguns dos produtos próprios da Warren: 

Ao abrir uma conta na Warren, você informa os seus objetivos de curto, médio e longo prazo, e nós entregamos uma alocação sugerida com base no seu perfil de investidor. 

Quer experimentar a única corretora sem conflitos de interesses do mercado financeiro? Abra sua conta agora mesmo.

Quanto custa investir no Ibovespa?

Com pouco mais de R$ 100, você consegue comprar uma cota de um ETF que replica o índice Ibovespa, garantindo exposição aos mais de 60 ativos inclusos no índice.

Abaixo, você confere o valor de uma cota dos principais ETFs do Ibov, em valores de 14 de janeiro de 2020:

  • BOVA11: R$ 118,68
  • XBOV11: R$ 120,88
  • BOVB11: R$ 123,57
  • BOVV11: R$ 124,00

Quais são os riscos de investir em ações?

As ações, fundos de ações, ETFs e contratos futuros são ativos da renda variável. 

Sendo assim, todas as opções para quem pretende investir nas principais ações da Ibovespa representam alguns riscos, que podem ser medidos, entre outros fatores, pela volatilidade.

Primeiramente, é importante lembrar que performance passada, na renda variável, não é garantia de retornos futuros.

As oscilações do mercado não podem ser previstas, e a possibilidade de perda do capital sempre existe, principalmente quando falamos em curto prazo. 

Vale lembrar, novamente, que, em março de 2020, o Ibovespa despencou 30% devido à crise provocada pelo Coronavírus.

Esse tipo de investimento é mais indicado para perfis moderados e arrojados, com horizonte de investimento longo.

Quando os juros compostos começam a fazer efeito, seu patrimônio se multiplica. Veja o gráfico do Ibovespa nos últimos trinta anos:

índice ibovespa nos últimos trinta anos, gráfico

Outros passos essenciais são diversificar a carteira, para minimizar os riscos, e construir uma reserva de emergência antes de dar os primeiros passos na renda variável. 

LEIA TAMBÉM | Investir em ações no curto prazo: é possível ganhar dinheiro? 

Comece a investir com a Warren

Na Warren, acreditamos que investir pode ser uma tarefa prática, que não toma muito tempo. 

Assim, nosso objetivo é disponibilizar uma plataforma que possa ser, ao mesmo tempo, acessível para quem está começando e poderosa para quem já tem experiência. 

Para isso, apostamos na modernidade, transparência e personalização dos serviços

Em apenas alguns minutos, você pode ter acesso às nossas carteiras sugeridas. Elas são personalizadas tendo em mente seu perfil de investidor e objetivos financeiros. 

Você tem acesso aos melhores produtos para você, além de contar com o rebalanceamento automático da sua carteira. 

Dessa forma, a Warren irá acompanhar sua carteira e ajustar a distribuição do seu patrimônio sempre que necessário. 

Além disso, você pode escolher as principais ações do Ibovespa e investir diretamente, com corretagem zero.

Quer começar? Abra sua conta agora mesmo.

Se você gostou do artigo, talvez também se interesse por:

abra sua conta trade warren