Afinal, quem é o senhor mercado? Jurandir Sell explica

Se você já prestou atenção por algum momento no noticiário econômico, certamente ouviu alguém falar ou escrever sobre um cidadão quase mítico, o senhor mercado.

O mercado ora está em alta, ora em baixa. Algumas vezes está nervoso, em outras está calmo. 

E o sujeito tem muitas opiniões: “o mercado quer reformas”, “o mercado defende a reforma tributária”, “o candidato preferido do mercado é…”.

Mas quem é esse cidadão quase onipresente no noticiário econômico? 

A origem do senhor mercado

O senhor mercado foi batizado em 1949, seu padrinho é o investidor Benjamin Graham, que o apresentou ao mundo no livro “O investidor inteligente”.

O personagem foi criado para descrever o que Graham considerava ser os traços irracionais ou contraditórios do mercado de ações

No livro, o autor pede ao leitor que imagine ser dono de um negócio em sociedade com o senhor mercado.

Segundo Graham, o senhor mercado não é muito racional. 

Na verdade, ele vive tomado por emoções. Quando está otimista, superestima o valor da participação na empresa. Quando está pessimista, subestima. 

Para Graham, todos os dias o senhor mercado faz ofertas de compra e venda, e cabe ao investidor inteligente decidir se aceita ou não, pois momentos depois o distinto senhor poderá voltar com ofertas totalmente diferentes. 

Ele é movido pela esperança e pelo medo: quando está esperançoso, exige um preço elevado por suas ações e quando está amedrontado se oferece para vendê-las por qualquer preço. 

O sócio paciente vai saber lidar com o senhor mercado, comprando em momentos em que ele está otimista e vendendo nos momentos em que ele está pessimista.

Graham e seus seguidores, entre eles o grande investidor Warren Buffett, consideram que o senhor mercado era um sujeito tolo, movido por pânico, euforia e apatia. 

Mas Markowitz, em 1952, começou a ver aspectos de genialidade no senhor mercado.

Para Markowitz e todos os pesquisadores da área de finanças modernas, notadamente Eugene Fama, o senhor mercado é extremamente eficiente para determinar o real preço das ações e de todos os ativos, e qualquer pessoa que decida vencer o mercado terá poucas chances de sucesso.

De qualquer forma, sendo um tolo ou um gênio, fato é que o “mercado” nasceu muito antes de ser batizado por Benjamin Graham.

LEIA TAMBÉM | Livros de análise fundamentalista: 7 opções para estudar e investir melhor 

Banner baixar relatório de BDRs, ilustração

O surgimento do mercado

Provavelmente o primeiro mercado surgiu há uns 10 ou 12 mil anos, logo após o homem ter começado a se especializar no trabalho, quando deixou de ser um caçador coletor e se tornou agricultor.

Quando passou a se dedicar à agricultura, o homem começou a ter excedentes de determinados produtos e falta de outros, então, os agricultores começaram a se reunir em locais públicos com objetivo de comprar e vender mercadorias.

O momento em que se começou a negociar títulos não é muito preciso, mas provavelmente isso ocorreu na França do século 12, quando algumas pessoas começaram a se especializar em comprar e vender dívidas dos agricultores franceses.

Também não é muito preciso o momento em que os mercados de títulos passaram a ser feitos em locais formais. 

Provavelmente o primeiro mercado organizado de títulos se deu em um prédio da família de negociantes Van der Beurze, na cidade belga de Bruges, porém nem isso é muito preciso, já que a família também tinha prédios em Antuérpia. 

Segundo historiadores, a origem da expressão Bolsa de Valores vem do fato de que no brasão dessa família existiam três bolsas de couro. 

Sendo assim, a primeira bolsa de valores surgiu na Bélgica em meados do século 13.

O fato é que a negociação de títulos de dívidas e posteriormente de ações de empresas se espalhou pela Europa e foi fundamental para o financiamento das conquistas das Américas.

LEIA TAMBÉM | Como começar a investir na Bolsa de Valores: passo a passo 

Qual o significado do mercado atualmente?

Hoje, quando falamos de mercado, estamos considerando todas as pessoas que negociam determinados ativos ou mercadorias. 

Assim, temos os mercados do petróleo, de commodities agrícolas, de minérios, mas também mercados de ações, de moedas ou de títulos de dívidas.

Quando você ouvir falar de mercado, saiba que ele é a média de todas as pessoas que negociam determinado ativo. 

E como hoje os mercados mundiais são cada vez mais interligados e interdependentes, quando um mercado específico entra em euforia ou pânico, ele afeta todos os ativos e países.

Quer continuar aprendendo sobre o mercado financeiro? Leia também outros artigos do Jurandir aqui no blog da Warren:

abra sua conta trade warren