Taxa de administração em fundos de investimento: faz sentido pagar?

A taxa de administração é uma cobrança típica dos fundos de investimento, para remunerar os gestores pelo trabalho de escolha dos ativos e pela gestão do portfólio do fundo. 

O mercado financeiro não tem mais as temidas letras miúdas e, por isso, os produtos que cobram taxa de administração deixam bem clara a sua existência.

Muitos até criam uma estratégia de desconto no seu valor para que ela seja um dos seus diferenciais. 

Mas, mesmo assim, será que faz sentido pagar por isso?

Neste artigo, você vai entender como a taxa de administração afeta a rentabilidade dos seus investimentos e qual é a média das taxas cobradas pelos fundos no Brasil.

Mais do que isso: vai descobrir por que a Warren não cobra taxa de administração em nenhum dos nossos sete fundos de investimento.

Juntos, passaremos pelos seguintes tópicos:

  • O que é taxa de administração em um fundo de investimento?
  • Por que a taxa de administração é cobrada?
  • Taxa de administração afeta a rentabilidade?
  • Qual a taxa de administração média em fundos de investimentos?
  • Existem outras taxas nos fundos de investimentos?
  • Por que a Warren não cobra taxa de administração e de performance

Boa leitura!

O que é taxa de administração em um fundo de investimento?

Entenda o que é a taxa de administração nos fundos, ilustração

De acordo com a Instrução CVM 555/2014, a taxa de administração é o meio para remuneração do administrador do fundo. Além disso, ela remunera toda a operacionalização da sua gestão e os prestadores de serviço contratados pelo fundo.

A mesma Instrução, porém, não estabelece um teto máximo ou mínimo para a cobrança da taxa de administração. Ou seja, o administrador do fundo de investimento estabelece o percentual que será debitado. 

Depois, esse número precisa ser informado em seu regulamento e lâminas.

Caso o administrador queira reduzi-la, pode fazer a modificação unilateralmente, apenas informando à CVM e aos cotistas do fundo de investimento. Porém, o aumento só pode ser realizado depois de uma aprovação em assembleia geral.

Como funciona a cobrança da taxa de administração do fundo de investimento?

A taxa de administração deve ser fixa e expressa em percentual anual do patrimônio líquido de cada cotista. Porém, existe um provisionamento diário desse valor, bem como o pagamento efetivo de forma mensal.

Então, como funciona essa cobrança na prática? Vamos esmiuçar, acompanhe!

Se um investidor aplica R$ 100 mil em um fundo de investimento com taxa de administração de 2% ao ano, pagaria aproximadamente R$ 2 mil depois de 12 meses.

Porém, o provisionamento diário da cobrança nos traz um cálculo de equivalência de taxas, ou seja, transformar esse percentual anual (252 dias úteis) para diário (1 dia).

Assim, temos:

  • Taxa diária = {(1+ 2%) elevado a 1/252 } – 1
  • Taxa diária = {(1,02) elevado a 1/252} – 1
  • Taxa diária = 0,000078585 ou, 0,0078585% ao dia

Ou seja, usando a taxa diária no primeiro dia da aplicação de R$ 100 mil, o provisionamento seria de R$ 7,86.

Porém, os dias seguintes seriam diferentes, afinal de contas, o provisionamento diário incide sobre o patrimônio líquido investido, ou seja, o principal e os rendimentos apurados no período.

Assim ficou fácil de entender a dinâmica da taxa de administração, mas, isso não explica o motivo da cobrança, certo?

Por que a taxa de administração é cobrada?

Saiba porque a taxa de administração é cobrada, ilustração

A taxa de administração é cobrada para remunerar os administradores dos fundos de investimento. Mas, quais são as funções e custos desses gestores? Vejamos a seguir.

Um administrador é uma pessoa jurídica, autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para realizar a gestão de carteiras de valores mobiliários.

Ele, portanto, não é uma pessoa natural, mas sim uma instituição jurídica que se submete a um processo de formalização no órgão competente. Além disso, ele precisa contratar uma equipe especializada para a gestão dos fundos de investimentos.

Para cada fundo de investimento criado, existe um processo de registro e aprovação na CVM. A instituição analisa rigorosamente os critérios e documentos que precisam ser enviados para sua oficialização.

Você percebe como o administrador do fundo tem uma série de despesas com a regularização junto à CVM?

Mas as horas de dedicação do time de especialistas não terminam aí. Ainda é preciso somar a execução da estratégia em si, ou seja: fazer a gestão do portfólio do fundo de investimento, em busca de bons rendimentos.

Para isso, é preciso definir uma estratégia, selecionar os ativos, acompanhar o mercado, controlar a compra e venda dos ativos, gerir os depósitos e resgates e criar um relacionamento com os distribuidores do fundo, entre outras incumbências.

Em suma, o administrador do fundo de investimento tem uma estrutura operacional e organizacional complexa, que envolve:

  • Gestores;
  • Auditores;
  • Custodiantes;
  • Distribuidores;
  • Especialistas;
  • Documentações;
  • Sistemas;
  • Segurança de dados.

À exceção dos itens obrigatórios por lei nessa lista, porém, é preciso lembrar que, como todo negócio, é possível inovar trazendo mais eficiência para a gestão e, portanto, redução de custo para os cotistas.

Gosta do mercado financeiro? Assine a Warren Pills e receba uma newsletter inovadora com conteúdo leve e informativo todas as semanas.

Taxa de administração afeta a rentabilidade?

Como uma cobrança que incide sobre o patrimônio investido, é possível afirmar, com certeza, que a taxa de administração freia a sua rentabilidade.

Mas a composição do fundo de investimento e a performance de seus principais indicadores no cenário econômico também podem impactar ainda mais o resultado da aplicação.

Então, vamos voltar ao exemplo da aplicação de R$ 100 mil, considerando que a escolha do investidor foi em um fundo de investimento de renda fixa com taxa de administração de 2% ao ano.

Com a taxa Selic a 2,25% ao ano, suponha que os gestores do fundo obtiveram um retorno de 90% do CDI com as aplicações. 

Isso garante uma rentabilidade de aproximadamente 2%. Mas não estamos considerando, aí, o custo da taxa de administração, dos mesmos 2%.

Descontando essa taxa — e sem considerar gastos com o Imposto de Renda, que são em torno de 15% dos rendimentos —, descobrimos que esse fundo que cobra 2% de taxa de administração e entrega 90% do CDI não rendeu nada

Pior do que isso: ele perderia de longe para a inflação do período. Em 2020, o mais recente boletim Focus prevê inflação na casa de 1,67%.

Na prática, é como se você tivesse deixado dinheiro embaixo do colchão, porque a taxa de administração comeu a rentabilidade, e você perdeu de longe para a inflação.

Assim, o seu poder de compra diminui. Se você quer viver de renda, ou apenas proteger seu patrimônio, entender essas cobranças e funcionamento dos investimentos é essencial.

Qual a taxa de administração média em fundos de investimento?

Veja a taxa média cobrada pelos fundos, ilustração

A cobrança da taxa de administração varia conforme o tipo do fundo de investimento e o volume aportado. 

Em alguns bancos públicos e privados, essa variação pode ser percebida também nos segmentos que a instituição classifica seus clientes.

Ou seja, mesmo investindo um valor superior aos demais, se o cliente estiver em um segmento intermediário do banco, vai pagar uma taxa de administração mais alta que outro que esteja na classificação superior.

A ANBIMA divulga um consolidado histórico da média das taxas de administração cobradas. O último levantamento publicado em 23/06/2020 traz o panorama de dezembro de 2019.

Fundos de renda fixa: taxa de administração média de 0,93%

Para que seja considerado um fundo de renda fixa pela CVM, sua composição deve ser feita com pelo menos 80% dos ativos em renda fixa, como títulos públicos, CDBs, LCA e LCI, e, 20% em outros ativos.

Na administração do fundo, o gestor movimenta os ativos dentro dessa proporção e, nesse caso, usa os 20% outros ativos, como derivativos, para ter uma alavancagem dos ganhos quando a renda fixa está baixa.

A taxa de administração média dos fundos de renda fixa é de 0,93% ao ano, sendo que para aqueles que aceitam aplicações mínimas inferiores a R$ 1 mil, o valor é de 1,66% ao ano.

No mesmo consolidado, a ANBIMA apurou uma quantidade de 2.586 fundos de investimento em renda fixa no Brasil. No último dia do período de 2019, eles contabilizavam cerca de R$ 2,2 trilhões sob gestão.

Na Warren, temos dois fundos de renda fixa, e nenhum deles cobra taxa de adminstração. Conheça:

Fundos multimercados: taxa de administração média de 1,87%

Os fundos multimercados não têm limite de concentração, ou seja, o gestor pode criar uma composição de ativos com ações, câmbio, renda fixa e outros fundos para alcançar ou superar a performance estipulada.

No consolidado da ANBIMA, a taxa de administração média em dezembro de 2019 dessa modalidade foi de 1,87% ao ano, sendo que, para aplicações superiores a R$ 100 mil, ela ficou em torno de 1,09% anualmente.

Em dezembro de 2019, havia 9,5 mil fundos multimercados ativos que contabilizaram R$ 1,2 trilhões como patrimônio líquido total.

Na Warren, nosso fundo multimercado é o Warren Omaha Multimercado. A exemplo de todos os fundos da Warren, ele não cobra taxa de administração.

Fundos de ações: taxa de administração de 2,12%

Os fundos de ações precisam investir pelo menos 67% do patrimônio em ações e cotas de fundos de ações.

Assim como os fundos multimercados, também são considerados mais arrojados pela flexibilidade de características dos ativos que podem compor a carteira.

De acordo com o consolidado da ANBIMA de dezembro de 2019, o número de fundos dessa modalidade era de 2,6 mil, sendo que seu patrimônio líquido totalizava R$ 521 bilhões.

A taxa de administração média dos fundos de ações também reduz quando o valor investido aumenta, a exemplo de outros tipos de fundos de investimentos. Ou seja, valores de aplicação acima de R$ 100 mil têm cobranças menores, em torno de 2,08% ao ano.

A Warren trabalha com quatro fundos de ações, e nenhum deles têm taxa de administração. Conheça:

Aqui vale um destaque. A taxa de administração de multimercados e fundos de ações tem uma evolução diferente da observada nos fundos de renda fixa.

Volume de aplicação / tx. de administração média anualAté R$ 1 milEntre R$ 1 mil e R$ 25 milEntre R$ 25 mil e R$ 100 milAcima de R$ 100 milMédia
Fundo de renda fixa1,66%1,02%0,70%0,44%0,93%
Fundo Multimercado1,19%2,00%2,05%1,09%1,87$
Fundo de ações1,97%2,48%1,58%2,08%2,12%

Essa variação torna a escolha por fundos de investimentos que cobram a taxa de administração muito mais complexa, não é mesmo?

Existem outras taxas nos fundos de investimento?

Fique por dentro de todas as taxas cobradas pelos fundos, ilustração

A cobrança da taxa de administração é uma praxe do mercado convencional, como mostram as médias apuradas pela ANBIMA.

Isso fica ainda mais claro quando percebemos que as administradoras que fazem essa cobrança usam descontos na taxa de administração para criar condições diferenciadas.

Porém, além da taxa de administração, ainda existem outras cobranças que incidem sobre o seu investimento. 

Taxa de performance

A taxa de performance é um percentual que o administrador do fundo de investimento cobra ao superar o benchmark, ou seja, a meta estipulada para seus resultados, como o CDI, no caso de fundos de renda fixa, ou o Ibovespa, para fundos de ações.

É, portanto, um estímulo que faz o gestor buscar resultados ainda mais expressivos para o fundo.

Ela deve ser divulgada no regulamento do fundo, e é cobrada semestralmente do cotista se o benchmark for atingido. Porém, se a performance do fundo for negativa, ela não é abatida do montante.

Aqui valem duas observações:

  • O percentual da taxa de performance é cobrado somente sobre o valor que exceder o benchmark;
  • Ao escolher um fundo de investimento com cobrança de taxa de performance, é preciso analisar se o benchmark é competitivo e alinhado com sua composição.

É importante entender que um benchmark baixo é quase uma garantia de que ele será superado, mas não necessariamente, terá um desempenho digno de recompensa, não é mesmo?

Taxa de saída

Se estiver prevista na lâmina do fundo, a taxa de saída é cobrada sobre o montante resgatado antes do prazo determinado na aplicação. Ela é mais comum em fundos de previdência.

Taxa de carregamento

Em fundos de investimentos com planos de previdência, a taxa de carregamento pode ser cobrada. 

Sua incidência está relacionada à movimentação da aplicação. Assim, é cobrada do cotista quando ele investe, resgata parte ou integralmente o montante.

São muitas taxas para se preocupar quando o maior interesse do investidor é fazer seu dinheiro render, não é mesmo?

A melhor escolha, portanto, é escolher uma opção de investimento que não cobra a taxa de administração e de performance.

E se a gente te contasse que essa opção está muito mais perto do que você imagina?

Sim. Estamos falando da Warren.

Por que a Warren não cobra taxa de administração e de performance

Entenda porque a Warren não cobra nenhuma taxa dos fundos, ilustração

A Warren trabalha com o modelo de remuneração fee based, adotado em diversos mercados no mundo inteiro, como nos Estados Unidos e Inglaterra, porque ele é mais simples, transparente e alinhado com o cliente.

Mas, o que é afinal, alinhamento com o cliente

O alinhamento ocorre quando a gestão do fundo é feita de acordo com os interesses do cliente, e não com aquilo que vai gerar mais cobranças e retornos para a administração do fundo. 

No modelo utilizado pela maioria do mercado financeiro, nem sempre a escolha dos produtos ocorre porque eles são a melhor indicação para o cliente, e sim porque eles geram mais retornos à corretora ou ao banco.

Isso acontece porque diferentes produtos oferecem diferentes comissões, a taxa de rebate, dando origem a um modelo conflitado, já que a única remuneração da corretora é pelas comissões dos produtos.

No fee based, ocorre o oposto. 

É cobrada uma taxa única de gestão ativa e de ótima performance do portfólio do cliente. Simples, eficiente e transparente assim.

Na Warren, essa cobrança varia entre 0,5% a 0,7% do seu patrimônio investido, o que torna suas aplicações, em média, 3 vezes mais baratas que no restante da indústria.

Como falamos, os fundos de investimentos da Warren não cobram taxa de administração nem performance. 

Ao abrir a sua conta, você responde um questionário e tem acesso a nossa carteira recomendada, de acordo com os seu perfil de investidor e os objetivos de curto, médio e longo prazo.

Ou seja, existem soluções para você atingir suas metas financeiras além daquelas que cobram taxa de administração, não é mesmo?

Se você quer construir ou reforçar seu patrimônio pagando por uma gestão de patrimônio que não corrói seus ganhos, abra sua conta e venha para a Warren.

Se você gostou deste conteúdo, talvez também se interesse por: