Tipos de fundos de investimentos: entenda melhor essa forma de investir

Existem diversos tipos de fundos de investimentos disponíveis no mercado financeiro. Quem está pesquisando para investir nesse tipo de ativo, certamente já encontrou diversas siglas e classificações.

Essas divisões existem para que os investidores tenham uma melhor ideia sobre a estratégia da gestão destes produtos, entretanto também podem acabar causando confusão por sua complexidade. Pensando nisso, criamos este guia sobre os tipos de fundos de investimentos. 

Assim, você pode entender como cada tipo de fundo funciona e, principalmente, qual melhor se adequa ao seu perfil de investidor.

Neste texto, vamos falar sobre:

  • O que são fundos de investimentos?
  • Principais tipos de fundos de investimentos
  • Gestão passiva ou ativa: entenda como funciona
  • Classificação da ANBIMA para tipos de fundos de investimentos
  • Conclusão

Boa Leitura!

O que são fundos de investimentos?

Entenda o que são fundos de investimentos, ilustração

Os fundos de investimentos são um tipo de ativo financeiro. Neles, a gestora seleciona diferentes títulos, e o investidor compra uma cota desse conjunto. Ou seja, funciona como uma carteira recomendada, porém uma na qual o investidor não precisa escolher quais ativos serão negociados. 

Como são os gestores que selecionam os ativos que fazem parte do fundo, essa é uma opção prática. Em especial para quem ainda não tem muita experiência no mercado financeiro. Afinal, ter um time de especialistas tomando as decisões individuais de compra e venda de ativos torna tudo mais simples. 

O que é vantagem para um perfil de investidor, no entanto, pode ser um ponto negativo para outros. Por exemplo, investidores mais experientes, que possuem interesse em estudar e se aprofundar no mercado para montar suas próprias carteiras.

Como fundos de investimento funcionam?

Ao aplicar em fundos de investimentos, você está adquirindo cotas (uma ou várias). Diversos outros investidores também aplicam. Por sua vez, a instituição responsável pela gestão do fundo irá administrar o capital total recolhido. 

LEIA MAIS | Zé (quantidade de) Cotinhas

É de responsabilidade da gestora de um fundo cuidar da seleção, compra e venda dos ativos que compõe a carteira do fundo.

Mensalmente, essa instituição também emitirá um relatório completo para os cotistas do fundo. Assim, eles poderão avaliar a performance e decidir se permanecem no fundo ou vendem suas cotas. 

Principais tipos de fundos de investimentos

Conheça os diferentes tipos de fundos de investimentos, ilustração

Como você viu no início deste artigo, o investidor não escolhe quais ativos farão parte da carteira em um fundo. Por isso, existem diferentes tipos de fundos de investimentos, que permitem que o investidor tenha uma ideia melhor sobre onde está aplicando seu dinheiro. 

Por exemplo: se você não quer arriscar-se na renda variável, existem fundos que lidam apenas com ativos da renda fixa.

Fundos de Renda Fixa

Os fundos de renda fixa costumam ser mais indicados para investidores conservadores. Porém, ainda que um investidor possua um perfil mais arrojado, ele pode ter aplicações em fundos de renda fixa para carteiras que precisem de mais liquidez e baixa volatilidade. 

Como a maioria dos ativos de renda fixa, não há oscilação para o negativo, estes fundos são excelentes opções para montar uma reserva de emergência. Alguns investidores também utilizam a diversificação em renda fixa para mitigar os riscos da variável. 

Importante: mesmo com riscos menores que na renda variável, é importante selecionar seus investimentos de renda fixa com cuidado. Isso porque a rentabilidade pode ser menor que a inflação, resultando em perda de valor do patrimônio. 

LEIA MAIS | Entenda quando a rentabilidade da renda fixa é afetada

Nesses tipos de fundos de investimento, a gestora deverá montar uma carteira com, no mínimo, 80% do seu patrimônio em renda fixa. Os títulos podem ser públicos ou privados. 

Conheça os fundos de renda fixa da Warren: Renda Fixa Simples (composto 100% de produtos em renda fixa) e Warren Crédito Privado.

FIA ou fundos de ações

Os fundos de ações são aqueles que têm, no mínimo, 67% da carteira investida em ações negociadas em bolsa de valores, ou em mercado de balcão organizado. Isto é, trata-se de um fundo de renda variável para quem quer aplicar em ações. 

Existem inúmeros tipos de estratégias utilizadas nesse tipo de fundo. Você pode encontrar opções com foco em dividendos, em negociações de curto prazo, por exemplo. Existem até mesmo fundos que selecionam apenas empresas pequenas – small caps – ou aquelas que têm determinadas políticas de gestão em comum. 

Aqui na Warren, você encontra algumas opções diferentes em fundos de ações. Além de termos à disposição, na nossa plataforma, mais de 300 produtos das principais gestoras do país.

  • Warren Equals: o referencial para seleção de ações internacionais nesse fundo é o Bloomberg Gender-Equality Index. Saiba mais.
  • Warren Ações BR: com as principais empresas do Brasil, além de uma estratégia que se adapta ao momento do mercado.
  • Warren Ações USA: replica a carteira teórica do S&P 500, um dos principais índices com as gigantes norte-americanas. 
  • Warren Green: inclui ações de empresas com boas práticas sociais, ambientais e de governança.

Fundos multimercado

Os multimercado estão entre os mais flexíveis tipos de fundos de investimentos disponíveis. Isso porque sua classificação é mais ampla. Dessa forma, a gestora tem um leque de escolha de ativos mais amplo, o que permite um grau maior de adaptação ao momento do mercado. 

Como seus critérios são menos restritivos, existem opções com diferentes classificações de risco – dos mais conservadores até arrojados. Assim, é fundamental ler com atenção a documentação do fundo (assim como em qualquer tipo!) para ter certeza de que trata-se da melhor opção para você. 

Alguns exemplos de fundos multimercado são: 

  • Warren Omaha Multimercado: um bom meio-termo entre a renda fixa e variável, buscando rentabilidade consistente com a maior estabilidade possível. 

Fundos de Índice – ETF

Os fundos de índice, ou Exchange Trade Funds (ETFs) contam com carteiras que buscam acompanhar a performance de um índice do mercado financeiro. Assim, o portfólio costuma a replicar a carteira teórica utilizada no cálculo do índice em questão.

Um exemplo é o IBOV11, que replica a carteira do IBOVESPA e busca acompanhar a rentabilidade do índice.

Fundos cambiais

Esses tipos de fundos de investimento mantém, no mínimo, 80% do patrimônio em ativos que estejam direta ou indiretamente atrelados à variação de preço de uma moeda estrangeira. Os ativos também podem ser relacionados à taxa de juros (cupom cambial).

Fundo Imobiliário

Fundos imobiliários, ou FIIs, como o nome sugere, são compostos de ativos relacionados ao setor imobiliário. Nesse caso, é como se o investidor adquirisse uma parte de diversos imóveis. 

Um dos maiores destaques nessa categoria é o recebimento do aluguel desses imóveis pelos cotistas. 

Os fundos imobiliários também podem incluir títulos relacionados ao setor, como LCIs. 

Gestão passiva ou ativa: entenda como funciona

Aprenda o que é gestão ativa e como ela funciona, ilustração

Além das classificações referentes aos tipos de ativos na carteira e à estratégia utilizada, também devemos destacar que existem fundos com gestão ativa e passiva. É importante entender essa distinção, visto que isso afeta diretamente as taxas que você paga ao investir. 

A gestão passiva normalmente está relacionada a fundos onde o objetivo é replicar um determinado índice (benchmark). Como a carteira teórica dos índices é conhecida por todos, o trabalho da gestão é apenas replicar a lista de ativos. Ou seja, não há trabalho de avaliação e seleção de ativos. 

Por sua vez, os fundos de gestão ativa normalmente têm como objetivo superar determinados índices. Ou, então, buscam a melhor rentabilidade possível, sem ter um benchmark como meta. Assim, o gestor deve encontrar as melhores opções, analisando variáveis como o momento no mercado, potencial de valorização de ações e outros fatores. 

Quanto custa investir em fundos? 

Dependendo da gestora e tipo de fundo de investimento, diferentes taxas podem estar envolvidas na operação. 

De maneira geral, a taxa de administração está sempre presente – mas varia muito de um fundo para outro. O comum para um fundo de gestão ativa é 2% de taxa de administração. 

Nos produtos próprios da Warren, não é cobrada nenhuma taxa extra. Isso porque você já paga pela nossa gestão ativa da sua carteira. O valor varia conforme o montante total que está investido. A taxa é de 0,7% ao ano para valores até R$ 99.999,99. De 0,6% ao ano para valores de R$ 100.000,00 até 999.999,99. E 0,5% ao ano para valores superiores a R$ 1.000.000,00.

Existe também a taxa de performance. Ela é cobrada por alguns fundos quando a rentabilidade supera seu patamar de referência (benchmark). Alguns fundos têm taxas de performance de até 20%. Nos nossos produtos próprios, você não paga taxa de performance. 

Vale lembrar, também, que os fundos de investimentos são rendimentos tributáveis. Há incidência de IOF e IR. O Imposto de Renda é cobrado sobre os rendimentos, no último dia útil de maio e novembro (chamados “come-cotas”).

LEIA MAIS | Entenda como funciona o come-cotas

Conclusão

Os diferentes tipos fundos de investimentos atendem aos diversos perfis e objetivos dos investidores.

Agora você já conhece os tipos de fundos de investimentos mais comuns no mercado financeiro. Assim, está melhor equipado para tomar decisões assertivas e eficazes para o seu patrimônio. 

Se você ainda tem dúvidas, não se preocupe! A Warren ajuda você em todas as etapas do processo de investimento. Trabalhamos todos os dias para tornar o mercado financeiro mais prático e acessível para todos. 

Quer continuar aprendendo sobre como cuidar do seu dinheiro e investir de maneira cada vez melhor? Leia estes outros artigos que separamos para você: 

E não esqueça: qualquer dúvida, é só entrar em contato com nossa equipe!