Trade da Warren: invista em ações, FIIs e ETFs sem taxa de corretagem no plano básico

O plano básico da Warren 3.0 permite comprar ações, Fundos de Investimento Imobiliário e ETFs sem taxa de corretagem.

É uma solução básica, sem a complexidade de um homebroker, mas funcional, para quem deseja personalizar a exposição à renda variável — e tem perfil de investidor para isso.

Lembre-se: para investir em ativos da Bolsa é preciso estudo e conhecimento. O mercado de renda variável é volátil e apresenta riscos para investidores que não possuem conhecimento necessário para tomar este tipo de decisão de compra, combinado?

Você sabe como funcionam esses ativos na prática e por que eles são os mais populares quando falamos em renda variável no Brasil?

Montamos este artigo para tirar algumas dúvidas simples a respeito do plano básico da Warren 3.0.

Acompanhe!

Ativos disponíveis no plano básico da Warren 3.0

Até então, você conseguia investir em fundos de investimento e outros títulos de renda fixa com a Warren. Dessa maneira, já era possível diversificar seus investimentos entre renda fixa e renda variável, com opções sofisticadas, como os fundos multimercados.

Mas a gestão ficava por nossa conta — ou por conta dos mais de 400 produtos de terceiros à disposição na plataforma.

Agora, investidores arrojados e moderados podem ir além, personalizando e diversificando ainda mais a carteira com a a aba Trade.

Ali, será possível comprar suas primeiras ações, FIIs e ETFs.

Se você ainda está aprendendo sobre o mercado financeiro e não tem tempo para se dedicar mais ao universo da renda variável, talvez a aba Trade não encante e você prefira continuar confiando nos nossos gestores especialistas para alocar e gerir o seu patrimônio, sem nenhum tipo de conflitos de interesse.

Agora, se você está preparado para dar um passo além e quer começar a investir nestes ativos por conta própria com foco no longo prazo, a aba Trade muito provavelmente vai atender suas expectativas. Mas importante: você realmente deve estar preparado para seguir nessa jornada no mundo de Trade sozinho, pois há grande volatilidade e risco neste mercado.

Confira, a seguir, os ativos negociados na plataforma:

Ações

As ações são as menores partes de uma empresa de capital aberto, cujos papéis são negociados diretamente na Bolsa de Valores.

Quando você compra uma ação de Petrobras (PETR4/PETR3), Magazine Luiza (MGLU3) ou Ambev (ABEV3), você está, na prática, se associando a essa empresa.

Sim, você se torna um dos acionistas minoritários e passa a receber uma parcela dos lucros da companhia, distribuídos de forma periódica através dos dividendos.

Como as ações são negociadas na Bolsa, o valor de cada cota oscila de acordo com o humor dos investidores. O preço que você vê em tela é, portanto, o consenso do mercado financeiro para aquele ativo, naquele exato momento. 

Conforme o mercado aumenta suas expectativas para o desempenho da empresa no futuro, as ações tendem a se valorizar. Se, por outro lado, a empresa começa a passar por dificuldades, é ameaçada ou tem margens reduzidas, as ações podem cair, com queda do interesse dos investidores.

Há diversas estratégias de investimento para quem deseja comprar ações, seja operar via day trade, lucrando com pequenas oscilações do mercado, ou mirar no longo prazo e procurar empresas descontadas, algo típico do stock picking, value investing e buy and hold, nomes que caracterizam estratégias de investimentos focadas na análise fundamentalista — aquela que observa a saúde financeira da empresa, seus resultados e as perspectivas econômicas em geral.

De forma bastante simplificada, esse é um resumo do mercado acionário, que é extremamente complexo e repleto de nuances, que estamos abordando cada vez mais aqui no blog da Warren.

Antes de avançar, vale lembrar que há três principais tipos de ações:

Quer conhecer mais sobre o mercado de ações? Confira nossas leituras recomendadas:

Fundos Imobiliários (FIIs)

Os Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs) são fundos dedicados ao investimento em imóveis, que têm suas cotas negociadas diretamente na Bolsa de Valores — e, portanto, oscilam da mesma maneira que as ações.

Funciona assim: os gestores emitem cotas dos fundos, que são negociadas diretamente na Bolsa e compradas pelos investidores. Com o dinheiro, esses fundos investem em imóveis, seja para explorar o aluguel ou para lucrar com a compra e venda. Já os cotistas recebem, em troca do investimento, proventos mensais com o dinheiro dos aluguéis.

Por essa característica de proventos mensais, os FIIs são uma opção de investimento não apenas para quem deseja diversificar o patrimônio, mas também para quem deseja viver de renda, já que eles são uma excelente fonte de renda passiva. Além disso, esses proventos não são tributados, o que oferece uma vantagem tributária aos investidores.

Mas é preciso ficar atento, porque os FIIs, embora apresentem menos volatilidade que as ações, também podem oscilar de forma bastante abrupta, de acordo com o humor dos investidores e a expectativa do mercado para os imóveis no portfólio do FII.

Aqui, pesam fatores como o Dividend Yield e a taxa de vacância, entre outras centenas de indicadores que o mercado utiliza para avaliar o desempenho dos imóveis — e dos seus respectivos FIIs.

De qualquer forma, os FIIs acabam sendo uma maneira muito mais simples e prática de se expor ao mercado imobiliário, já que você não precisa se preocupar com tramites burocráticos, como alugar o imóvel, tratar com inquilinos ou imobiliárias, o que geralmente acontece ao investir em imóveis diretamente. 

Além disso, é possível comprar e vender cotas em instantes, o que não acontece com imóveis, considerados ativos muito pouco líquidos.

O principal indicador do mercado de FIIs no Brasil é o IFIX, que faz às vezes do índice Ibovespa no mercado de ações. Ou seja: serve como principal indicador e benchmark do setor.

ETFs

ETFs são a sigla para “Exchange-traded fund”, conhecidos como fundos de índice. Esses fundos têm gestão passiva: não buscam bater o mercado, mas acompanhar algum indicador de referência.

Muito populares nos Estados Unidos, os ETFs são uma das maneiras mais simples e baratas de se expor à renda variável de maneira diversificada

Com um único investimento, por exemplo, é possível acompanhar o índice Ibovespa, por meio do ETF BOVA11 (entre outros), que segue esse indicador, ou acompanhar o índice SMLL, focado em empresas small caps, por meio do SMAL11.

Na prática, portanto, o ETF possui uma carteira teórica com as mesmas ações do índice que ele acompanha. Quando a carteira teórica do Ibovespa muda, o ETF também é atualizado. 

Nos Estados Unidos, os ETFs representam boa parte do investimento em renda variável, principalmente pelo fato de que boa parte dos fundos de investimento de gestão ativa não conseguem superar índices de referência, como o S&P 500, com consistência, no longo prazo.

Aqui no Brasil, esse mercado está em franco crescimento, e já há 17 ETFs listados na B3. No plano básico, você pode negociar todos eles sem taxa de corretagem.

E os derivativos?

Derivativos, como opções e contratos futuros, não estarão disponíveis para negociação no plano básico, que pretende atender os interesses mais simples dos investidores que estão começando na renda variável.

Para quem deseja fazer day trade e investir em derivativos, os planos intermediário e avançado, que serão lançados em breve, são os mais indicados, porque eles dão acesso a um home broker com uma solução completa para você.

abra sua conta warren

Invista com corretagem zero

Um dos grandes diferenciais da Warren 3.0 é a corretagem zero. Isso significa que você não gastará nenhum centavo ao comprar e vender ativos, o que dá liberdade para diversificar o seu patrimônio sem pensar nos custos das operações.

Para quem está começando aos poucos ou não tem muito dinheiro para investir, essa é uma vantagem decisiva. Quer ver?

Imagine, por exemplo, que você queria montar uma carteira com 10 ações e vá investir R$ 1 mil por mês nessa carteira. Com uma taxa de corretagem de, por exemplo, R$ 15,00 por operação, você gastaria R$ 150 todos os meses, apenas para comprar os ativos e diversificar sua carteira.

Isso significaria 15% do aporte, diretamente no lixo. Com a Warren, você fica livre para diversificar o quanto quiser, sem se preocupar com custos operacionais.

Lembrando que essa regra vale, inclusive, para as ações fracionadas, quando você negocia menos do que o lote padrão, e pode escolher entre 1 e 99 ações — ao contrário do lote com 100 unidades.

Prefere deixar a gestão na mão de especialistas? Confie nos fundos da Warren 

Se, depois de ler tudo isso, você concluiu que ainda não está preparado para investir em renda variável por conta própria, não tem problema.

De fato, esse é um investimento que exige tempo e dedicação para que você domine o mercado a ponto de gerenciar a própria carteira com convicção.

Se você não tem tempo ou não se interessa pelo assunto, uma das melhores opções é confiar nos fundos de renda variável da Warren.

Aqui, temos quatro fundos de ações para você diversificar o seu patrimônio, sem taxa de administração ou taxa de performance.

Dessa maneira, a gestão do portfólio e a escolha das ações ficam por conta dos nossos gestores, enquanto você tem a segurança de que o seu dinheiro está bem investido na renda variável, para potencializar os ganhos no longo prazo.

Esperamos que o conteúdo tenha lhe ajudado a tomar as decisões de investimento nesse universo tão complexo quanto fascinante da renda variável.

Quer começar a investir? Abra sua conta na Warren. É grátis.

Se você gostou deste artigo, talvez também se interesse por:

abrir conta warren