Viver de Dividendos em 2020 — Descubra quanto você precisa

Viver de dividendos é o sonho de muitos investidores. No entanto, atingir esse objetivo pode ser uma tarefa mais desafiadora do que muitos esperam. Assim, é comum que surjam dúvidas — até mesmo sobre o quão viável essa meta realmente é.

A verdade é que você pode, sim, viver de dividendos. Para isso, é preciso planejamento, disciplina e uma boa estratégia de investimento.

Pensando nisso, preparamos este artigo completo sobre como viver de dividendos. Você aprenderá tudo que precisa para colocar esse plano em prática e atingir suas metas financeiras para 2020.

A seguir, vamos falar sobre:

Boa leitura!

O que é viver de dividendos (é possível?)

Entenda melhor o que é viver de dividendos antes de começar, ilustração

Viver de dividendos significa que os rendimentos provenientes dos seus investimentos são suficientes para cobrir seu custo de vida mensal. Trata-se de uma forma de renda passiva. Isto é, os dividendos são diferentes do lucro obtido ao comprar papéis baratos e vendê-los após a valorização.

Quando você compra ações de uma empresa, está se tornando um sócio. Dessa forma, algumas empresas distribuem uma parcela do seu lucro para acionistas.

Assim, se você conseguir construir um patrimônio grande o suficiente, é possível viver apenas desse lucro passivo. Mas é importante ressaltar: nem todas as ações dão direito a dividendos.

Da mesma forma, nem todas as empresas são boas pagadoras de dividendos. Por exemplo: é interessante optar por companhias já estabelecidas no mercado. Isso porque empresas que estão em período de valorização tendem a ter mais dívida e, consequentemente, um lucro menor para distribuir.

Para viver de dividendos, o investidor precisa da quantia certa de dinheiro aplicado nas empresas certas. E é aí que a parte mais complicada começa. É preciso se planejar, acumular patrimônio e mantê-lo nas aplicações. 

Tipos de proventos

Antes de começar o seu plano para viver de dividendos, é muito importante entender melhor os diferentes tipos de proventos em ações. Assim, você pode tomar decisões melhor mais informadas. Veja:

Dividendos

Dividendos são pagamentos referentes ao lucro da empresa no período. A frequência do pagamento é definida pela administração da empresa em questão.

Normalmente, o investidor poderá decidir se deseja sacar a quantia ou reinvestir o capital em mais ações.

É possível obter informações sobre quais empresas distribuem mais proventos procurando saber o dividend yield dos ativos.

Bonificações

A bonificação acontece quando o pagamento dos proventos é feito através de ações adicionais. A quantidade de ativos recebidos é proporcional a quantas ações o investidor já possui.

Direitos de Subscrição

Quando uma empresa emite mais ações, o direito de subscrição garante que investidores que já possuem ativos comprem novos papéis antes do mercado geral. Assim, é possível manter sua fatia societária.

Além disso, muito frequentemente essas ações são oferecidas por um valor mais baixo do que o de mercado. 

Dividendo Especial Extraordinário

Trata-se de um provento extra, pago de maneira extraordinária. Normalmente, acontece devido a ganhos inesperados ou aumento súbito do fluxo de caixa da empresa.

Quanto você precisa para viver de dividendos

Descubra quanto você precisa investir para viver de dividendos, ilustração

Agora você já sabe que é possível, sim, viver de dividendos. Mas quanto é preciso ter investido para isso?

Bem, isso depende de algumas variáveis particulares a você. Para fazer essa conta, é preciso primeiro definir:

  • Quanto você precisa, por ano, para cobrir todos os seus custos? 
  • Qual é a rentabilidade anual dos seus investimentos atualmente? 

Como exemplo, vamos imaginar que você precise de R$ 5 mil para cobrir seus custos de vida mensais. Assim, você precisa de R$ 60 mil por ano para suas despesas.

Agora, considere que sua carteira atual de investimentos corresponde a 10% ao ano. Conhecendo esses números, já é possível descobrir quanto você precisa ter investido para viver de dividendos. Basta dividir a renda anual desejada pelo rendimento obtido ao ano. Nesse caso:

R$ 60.000 / 0,10 = R$ 600.000 

Não deixe esse número assustar você. É verdade que, para muitas pessoas, pode parecer impossível acumular todo esse dinheiro. No entanto, esse processo pode ser muito mais rápido e simples quando você começa a investir.

Assim, viver de dividendos não é um objetivo para o curto prazo. O importante é começar a aplicar, mesmo que você não tenha muito. Com uma carteira diversificada, é possível obter rendimentos muito superiores a 10% ao ano, por exemplo. O mercado acionário, em geral, costuma a entregar resultados muito melhores do que esse.

Se essa quantia for reinvestida, é possível aumentar seu patrimônio de maneira exponencial e atingir seus objetivos mais rápido. 

Como funciona o pagamento de dividendos da ação

Aprenda mais sobre como funcionam os rendimentos através de dividendos na Bolsa de Valores.

Para entender como funciona o pagamento de dividendos, você precisa primeiro conhecer o dividend yield. Esse indicador aponta qual é a porcentagem de proventos recebidos em relação ao valor da ação.

Por exemplo, imagine que um ativo esteja cotado a R$ 20. No último período, essa empresa pagou R$0,90 por ação. O dividend yield é representado pela proporção entre esses valores:

Dividend Yield (YD) = (Dividendos pagos por ação / Valor unitário da ação) x 100
YD = (0,90 / 20) x 100
YD = 4,5%

Os dividendos correspondem a uma parte do lucro das empresas que é pago aos acionistas. Para isso, a companhia em questão deverá seguir o processo abaixo: 

  1. É obtida a aprovação do Conselho Administrativo da empresa. Assim, os membros decidem se há lucro suficiente para distribuir aos acionistas;
  2. A decisão é protocolada junto à Comissão de Valores Mobiliário (CVM). Dessa forma, a informação sobre a decisão, além de datas e valores dos pagamentos, torna-se pública;
  3. Os dividendos são creditados na conta dos acionistas. 

Assim, o investidor não precisa realizar nenhum procedimento para receber os dividendos. O valor é creditado em sua conta de investimentos automaticamente nos períodos especificados.

Algumas empresas, ainda, podem aumentar os valores da distribuição de lucros ao longo do tempo. É interessante salientar: isso não é uma regra. No entanto, as mudanças no pagamento de dividendos costumam a ser crescentes.

Para entender ainda melhor como funciona o pagamento de dividendos, é importante revisar alguns termos. Vamos lá:

O que é Data de Registro

A data de registro corresponde ao dia em que as empresas usam para determinar quem são seus acionistas. Também é definido nesse dia quem receberá procurações, relatórios e outras informações vitais para o processo de distribuição dos dividendos.

Como funciona a Data de Declaração

Por sua vez, essa é a data referente ao anúncio dos dividendos, feito pelo Conselho de Administração. É nesse momento que são comunicados o valor a ser recebido por ação, a data de registro e de pagamento. 

Data Ex-Dividendo

Também conhecido como data-ex, é nesse dia que são anunciados novos acionistas que não possuem mais direito ao recebimento do dividendo declarado.

Isto é, se o investidor comprar uma ação após essa data, quem receberá sua parte dos lucros do período é o vendedor da ação. 

Índice de Cobertura de Dividendos

O índice de cobertura trata-se da relação entre o lucro líquido e os dividendos pagos por uma empresa.

Dessa forma, acionistas podem medir a capacidade da empresa de pagar os dividendos.

Para o cálculo desse índice, basta dividir o lucro total pelo valor do dividendo da ação. 

Planos de Reinvestimento dos Dividendos (PRD)

O objetivo desse planejamento é permitir que acionistas reinvistam os dividendos pagos pela empresa automaticamente. Normalmente, empresas permitem que a compra automática receba descontos, ou que seja realizada sem comissão.

Assim, essa é uma boa oportunidade para investidores que visam aumentar seu patrimônio ou aproveitar o potencial de capitalização da empresa. 

Melhores 10 ações de 2019 pagadoras de dividendos

É muito importante lembrar, antes de tomar sua decisão, que o histórico de performance não é garantia de bons rendimentos no futuro. Afinal, as ações são investimentos de renda variável, e muitos fatores podem gerar impactos na performance.

Dito isso, quando o assunto é pagamento de dividendos, os números costumam a ser relativamente estáveis. Isso porque as melhores pagadoras de dividendos são empresas já estabelecidas no mercado.

Companhias em crescimento costumam a investir pesadamente em desenvolvimento. Assim, enquanto os papéis podem valorizar muito, não sobra muito do lucro para distribuir aos acionistas.

Por sua vez, as empresas já estabelecidas não precisam ter grandes gastos com desenvolvimento. O preço dos papéis não sofre grandes variações, mas sobra bastante lucro para distribuição.

Veja quais foram as melhores pagadoras de dividendos em 2019, segundo a Infomoney:

NomeCódigoDividend  Yield (12 meses)Dividend  Yield (36 meses)
BR DistribuidoraBRDT314,72%
ItaúsaITSA411,24%38,03%
BB SeguridadeBBSE311,17%22,92%
TelefônicaVIVT411,15%23,66%
TaesaTAEE1110,64%32,49%
Engie BrasilEGIE39,93%24,87%
EletrobrasELET69,21%24,90%
Itaú UnibancoITUB49,01%31,96%
CemigCMIG48,73%29,14%
Banco do BrasilBBAS38,40%25,58%

Como determinar se uma empresa é uma boa pagadora de dividendos? 

A melhor forma de tomar decisões sobre seus investimentos é analisando cada caso. Assim, basta seguir esses simples para descobrir se uma empresa é uma boa pagadora de dividendos:

  1. Análise a empresa: ao comprar ações, você está se tornando um sócio da empresa. Dessa forma, é importante buscar opções que estejam alinhadas aos seus objetivos. Outro fator importante é não pensar apenas no dividend yield. Por exemplo, uma ação cotada a um valor muito baixo apresentará um dividend yield proporcionalmente maior. No entanto, isso não significa maiores rendimentos para você. 
  2. Conheça o histórico de pagamentos: é preciso pesquisar sobre o pagamento de dividendo dos últimos anos  na empresa. Isso ajuda a identificar opções estáveis que apresentam crescimento dos dividendos pagos. 
  3. Acompanhe o calendário dos dividendos: as datas explicadas neste artigo são importantíssimas para montar uma carteira de dividendo que atenda às suas necessidades.
  4. Tenha foco no longo prazo: as oscilações do curto prazo podem preocupar muitos investidores. No entanto, quando o assunto é receber dividendos, o longo prazo é muito mais relevante. Indicadores como o dividend yield e dividend payout, nesse caso, são mais relevantes  do que as oscilações no preço do papel. 
  5. Diversifique: a regra de ouro dos investimentos continua válida aqui. Diversificar ajuda a reduzir os riscos e potencializar os rendimentos das suas ações. 

Lembre-se: as melhores pagadoras de dividendos são as empresas sólidas, com boa geração de caixa. Por isso, você deve buscar opções já estabelecidas no mercado e com histórico estável de pagamento de dividendos. 

Outros investimentos que dão retorno mensal

Investimentos com retorno mensal, ilustração

Se seu objetivo é viver dos rendimentos dos seus investimentos, as ações não são sua única alternativa. Existem outros tipos de investimento que oferecem retornos mensais, inclusive na categoria de renda fixa. Veja alguns exemplos:

  • Previdência privada: essa aplicação de renda fixa e longo prazo permite que o investidor receba os rendimentos mensalmente. No entanto, é preciso esperar o prazo de vendimento nesse tipo de ativo. 
  • Fundos de investimento imobiliário (FII): esses fundos são compostos de ações de negócios imobiliários, que pagam aluguel mensal aos investidores. Essa é uma boa alternativa para quem busca viver do aluguel de imóveis e quer evitar a burocracia de se tornar um proprietário. 

Ainda, existem investimentos de renda fixa que oferecem retornos semestrais. Dependendo do valor aplicado, é possível gerenciar o montante para uso mensal. Entre os mais conhecidos nessa modalidade, estão:

Conclusão

Agora você já sabe o que precisa fazer para viver de dividendos.

Viver de dividendos é uma meta possível! Basta organizar suas finanças e manter seu foco no longo prazo.

Neste artigo, você aprendeu como identificar as melhores oportunidades para viver de dividendos. Além disso, encontrou dicas sobre como aumentar seu patrimônio mais rapidamente.

Quer continuar aprendendo sobre como investir de modo eficaz e atingir seus objetivos? Leia esses outros artigos que separamos: