Onde você estava há 5 anos e onde quer estar em 2027?  

As datas comemorativas quase sempre nos fazem parar para refletir sobre tudo aquilo que queremos fazer. Afinal, essas datas representam, ao mesmo tempo, o fim de um ciclo e o início de uma nova fase.

Por isso, é normal ficarmos pensativos nessas datas, e aqui na Warren não é diferente.

Diante do nosso aniversário de cinco anos, é hora de refletir sobre o que queremos para os próximos cinco anos, mas também é época de relembrarmos tudo que passamos para chegar até aqui.

Desde 2017, em uma pequena sala, poucas pessoas iniciaram um sonho extremamente simples: revolucionar o mercado financeiro. Sim, contém ironia. 

Isso porque não é fácil mudar um mercado que está consolidado sob bases nem sempre éticas. Não é fácil mudar uma realidade onde quem ganha é a empresa, não cliente. Não é tarefa simples bater de frente com grandes players do mercado e dizer que, atualmente, muitos lidam com os investimentos de forma errada.

Mas mesmo depois de cinco anos, ter a coragem de fazer a coisa certa ainda é o que nos motiva todos os dias.

E nessa meia década de caminhada, nem sempre as coisas foram simples.

Assim como na vida temos momentos de dificuldades, por aqui também trabalhamos muito para entregar, sempre, a corretora que nossos clientes merecem. Isso envolve, atualmente, mais de 800 pessoas.

São 800 pessoas com um único objetivo: entregar a melhor experiência de investimentos, encorajando você a realizar os seus sonhos.

E quando falamos de futuro, ninguém melhor que nosso Chief Executive Officer e Chief Product Officer, Tito Gusmão, e nossa Chief People Officer, Kelly Gusmão, para a roda de conversa.

Eles são duas das pessoas que idealizaram a Warren e que, hoje, mostram ao mundo que sim, é possível mudar o mercado financeiro.

Conversando com eles, fiz uma pergunta bastante curta, mas que tem um significado enorme: onde vocês estavam há cinco anos e onde querem que a Warren esteja em 2027?

Uma missão: mudar a vida das pessoas

Para responder a essa pergunta, ambos precisaram de um minuto para respirar.

Não porque não soubessem responder. Pelo contrário, são tantas histórias que fica difícil lembrar em uma ordem cronológica. Por outro lado, há tantas coisas para fazer que, por vezes, é difícil listar ideias prontas.

Tito diz que nunca imaginou que a Warren estaria onde está, mesmo que tivesse a convicção de que seria um caso de sucesso.

“Hoje, a Warren é muito maior do que imaginávamos no início”. Ele afirma isso baseado na ideia de que mudar a vida das pessoas é a principal função da Warren. Entender de produtos financeiros, operações complexas e o famoso financês é algo que impedia, até pouco tempo atrás, o acesso das pessoas ao mercado financeiro.

Nossa missão é tornar isso cada dia mais simples. Para Tito, a ideia é que em cinco anos sejamos a maior corretora do país.

Ele não diz isso com soberba, mas com um propósito: ser a maior significa mudar a vida de mais pessoas, ajudar mais gente a realizar seus sonhos e tornar realidade muitos planos que, hoje, estão apenas no papel.

E mesmo que chegue a esse patamar, ele não pensa em parar por aí. Seu objetivo é estar em uma posição em que possa estar ajudando a Warren. “Se aposentar é para os fracos”, brincou.

Incluir e desenvolver: o sonho de se tornar uma referência de lugar para se trabalhar

Por mais que Tito seja estratégico e um idealista, poucas pessoas sentem a Warren como Kelly Gusmão. O modo como ela vive o dia a dia na empresa não é algo de hoje e é, pessoalmente, uma enorme inspiração.

Prova disso é que, diante da mesma pergunta, ela se emocionou. “Sou canceriana e eu sou sentimental”, ela brinca. Um choro que significa que a Warren transborda seus escritórios e que, acima de tudo, tem uma missão social. 

E é exatamente isso que pensamos desde o início da nossa caminhada como empresa. A Warren não muda apenas o mercado financeiro, ela muda a relação de uma empresa com a sociedade.

Por aqui, prezamos muito pela diversidade e é isso que enriquece nosso convívio diariamente.

Além disso, ao ser questionada sobre 2027, a resposta foi precisa: “Quero que a Warren seja a referência de lugar para se trabalhar, tenha um ambiente saudável, com projeção de carreira, crescimento, desenvolvimento e, claro, ser uma empresa que paga bem”.

E se depender dela, a Warren vai ultrapassar as barreiras do mercado financeiro. Isso porque a Kelly tem um sonho: ter o instituto Warren de educação infantil, para montar um ecossistema completo de educação e desenvolver crianças em vulnerabilidade social.

Isso só reforça a nossa identidade: queremos transformar vidas e faremos isso. Nos próximos cinco anos, queremos atingir cada vez mais pessoas, realizar cada vez mais sonhos e revolucionar ainda mais o mercado financeiro.

Gostou da leitura? Confira outros artigos que separamos para você: