Como investir em criptomoedas: 4 alternativas para você analisar  

Entender como investir em criptomoedas é um dos primeiros passos para quem deseja se expor a esse mercado.

Como estamos falando de um nicho recente no mundo dos investimentos, é natural que surjam dúvidas sobre qual o melhor caminho a ser seguido.

Mas, antes de explorar as opções relacionadas ao Bitcoin e outras criptomoedas, recomendamos que você procure entender exatamente do que se trata esse tipo de investimento, para decidir se ele tem a ver com sua estratégia de longo prazo.

Partiu descomplicar esse assunto?

Para começar, precisamos definir um conceito: as criptomoedas são moedas que existem apenas no formato digital. 

Não são emitidas por nenhum governo ou autoridade monetária e têm seu preço definido exclusivamente pela lei da demanda e oferta.

Apesar de definirmos como “moedas”, a verdade é que pouca gente usa as utiliza de fato como uma alternativa às moedas tradicionais. 

Por isso, podemos considerar as criptomoedas como mais uma opção de ativo para compor sua carteira de investimentos.

Neste artigo, você vai ver que não é tão complicado entender como investir em criptomoedas.

Mas, se você ainda tem dúvidas se esse tipo de ativo deve compor a sua carteira, no final apresentamos o tópico “vale a pena investir em criptomoedas?” para tentar esclarecer suas dúvidas.

Siga em frente para aprender como investir em criptomoedas. 

Boa leitura!

Como investir em criptomoedas?

Como investir em criptomoedas?, ilustração

Muita gente que busca entender como investir em criptomoedas tem em mente um tipo específico, como o Bitcoin.

Mas a verdade é que existem várias opções, como Ethereum, Dogecoin, Litecoin e tantas outras.  

Com essa variedade de opções, é natural que as formas de investimento também se ampliem. 

Assim, você pode diversificar, investindo em mais de um ativo dessa categoria.

Ou então aplicar em um fundo de investimento e delegando as escolhas a gestores especializados e dedicados ao assunto.

Uma opção parecida são os ETFs, ou fundos de índice, focados em criptomoedas. Também são uma forma prática de diversificar, mas sem um gestor para escolher os ativos.

Por fim, ainda há a alternativa de investir em ações de empresas que têm relação com o universo das criptomoedas e, por isso, costumam se valorizar de forma proporcional às moedas virtuais.

A seguir, vamos detalhar cada uma dessas opções para que você entenda melhor como investir em criptomoedas.

LEIA MAIS | Altcoin: tudo que você precisa saber 

Investir em fundos de criptomoedas

Investir em fundos de criptomoedas, ilustração

Aplicando em um fundo de investimentos, você se torna cotista de um grupo de investidores cuja soma do dinheiro é direcionada para vários tipos de ativos, a critério de um gestor especializado (um profissional com amplo conhecimento para gerir a carteira).

Acontece que as empresas do mercado financeiro criam fundos com diversas características, a fim de atrair pessoas com os mais distintos perfis, objetivos e preferências.

Uma dessas opções são os fundos com estratégias dedicadas às moedas virtuais, também conhecidos como fundos de criptomoedas.

A primeira grande vantagem dessa opção é a praticidade: você pode entrar diretamente no mercado de compra e venda de criptomoedas e lidar com a burocracia das transações.

Vale mencionar que há fundos com diferentes graus de exposição a estes ativos — ou seja, não é necessariamente todo o dinheiro do fundo que efetivamente é aplicado em criptomoedas.

A outra grande vantagem é o gestor especializado. 

Afinal, é preciso conhecimento e dedicação para ser capaz de selecionar os melhores ativos a partir de critérios sólidos e formar uma carteira de investimentos diversificada e confiável.

Se você não dispõe desse tempo (ou não tem vontade) para estudar, aprender e acompanhar o mercado, o melhor é deixar a função para um profissional, que se dedica a isso no seu dia a dia de trabalho.

Na Warren, temos o Warren Cripto, um fundo de criptomoedas com gestão ativa da nossa equipe da Warren Asset Management e aporte inicial de apenas R$ 1.

LEIA TAMBÉM | Por que investir em fundo de investimento? Conheça 4 vantagens 

Investir em ETFs de criptomoedas

Investir em ETFs de criptomoedas, ilustração

Outra opção são os ETFs (Exchange Traded Funds), que são conhecidos no Brasil também como fundos de índice.

A grande diferença em relação aos demais fundos de investimento é que os ETFs, em vez de contarem com um gestor para fazer a seleção dos ativos, seguem um índice.

Os índices são carteiras teóricas, criadas com o objetivo de informar e acompanhar o desempenho médio do mercado ou de um segmento do mercado.

O Ibovespa, por exemplo, indica a variação no preço das ações que correspondem a cerca de 80% do número de negócios e do volume financeiro da Bolsa de Valores brasileira.

Além das ações, há índices compostos por outros ativos, como fundos imobiliários e, no caso que nos interessa aqui, índices que buscam refletir o desempenho global do mercado das criptomoedas.

Os ETFs são negociados no pregão da bolsa, como se fossem ações. 

Assim, você pode comprá-los direto pelo home broker ou plataforma de investimentos da sua corretora.

As opções de ETFs de criptomoedas da B3 são:

Código do ETFÍndice que segueMoedaAdministradora
HASH11Nasdaq Crypto IndexCriptomoedasHashdex
QBTC11CME CF Bitcoin Reference RateBitcoinQR Capital
BITH11Nasdaq Bitcoin Reference PriceBitcoinHashdex
QETH11CME CF Ether-Dollar Reference RateEthereumQR Capital
ETHE11ETHER HASH CIEthereumHashdex

A grande vantagem de um ETF frente a um fundo de investimento é a taxa de administração, que costuma ser muito menor.

Afinal, ela serve apenas para cobrir as despesas operacionais, já que não há gestores dedicados a fazer a seleção dos ativos.

LEIA MAIS | ETF: o guia definitivo dos fundos de índice para você entender por que o investimento passivo é o futuro

Investir diretamente por meio de corretoras 

Investir diretamente por meio de corretoras , ilustração

A próxima opção é investir diretamente nas criptomoedas que despertam o seu interesse.

Para isso, você vai precisar de uma conta em uma exchange, um tipo de corretora de valores especializada em criptomoedas. 

Essas empresas têm uma plataforma virtual que faz a intermediação da compra e venda dos ativos.

O passo a passo para a compra de criptomoedas pode variar de acordo com a exchange, mas geralmente envolve um cadastro, verificação da identidade e depósito. 

Com saldo na conta, basta começar as negociações dentro da plataforma.

O prazo de compensação do depósito depende do método utilizado. Já o mercado de criptomoedas em si funciona 24 horas por dia.

A grande vantagem de investir em criptomoedas diretamente, por meio de uma corretora, é a liberdade total para escolher cada um dos ativos que vai compor a sua carteira.

Se você estudou as possibilidades, viu que a melhor oportunidade é determinada criptomoeda e gostaria de aumentar sua exposição a ela, com um fundo de investimentos ou ETF você ficaria de mãos atadas, pois não existe a possibilidade de personalizar a carteira.

Um possível lado negativo é que, caso você já aplique seu dinheiro em ativos mais tradicionais, terá mais uma corretora para lidar, aumentando a complexidade da gestão de seu patrimônio e da tributação.

Mas a principal desvantagem de investir diretamente nas criptomoedas é o risco

Como o seu preço é bastante volátil, o investimento só é recomendado para investidores com um perfil bastante arrojado.

Para que esse risco não seja ainda maior, jamais deixe uma fração muito grande de seu dinheiro nas criptomoedas diversifique sempre!

LEIA MAIS | Diversificação: não coloque todos os seus investimentos dentro de uma cesta só

Investir em empresas do universo cripto

Investir em empresas do universo cripto, ilustração

Por fim, você pode ter uma exposição indireta às criptomoedas. Basta investir em ações de empresas cujo negócio tem relação com o universo das moedas virtuais.

Para o investidor brasileiro, a maior parte das opções estão em BDRs, sigla para Brazilian Depositary Receipts, que são recibos de ações negociadas nas bolsas americanas.

Simplificando, os BDRs são a possibilidade mais simples de investir em empresas americanas a partir da Bolsa de Valores brasileira.

Confira as possibilidades:

EmpresaCódigo do BDRAtuaçãoRelação com cripto
CoinbaseC20I34Casa de câmbio digital.A empresa atua diretamente no mercado, como uma plataforma de compra, venda e armazenamento de criptomoedas.
Intercontinental ExchangeI1CE34Empresa controladora da Bolsa de Valores de Nova York.Lançou a Bakkt, plataforma que negocia contratos futuros de bitcoins.
Signature BankSBNY34Serviços de banco e soluções financeiras diversas.Primeiro grande banco americano a lançar uma criptomoeda lastreada em dólares.
NvidiaNVDC34Empresa de tecnologia que atua com processamentos gráficos e inteligência artificial.Fabrica chips usados na mineração de criptomoedas.

Quanto às empresas brasileiras, podemos citar a Cielo (CIEL3), que anunciou, em 2020, que suas máquinas de cartão passariam a aceitar criptomoedas.

Caso você opte por este caminho, lembre-se que existem vários critérios que devem ser levados em conta antes de apostar nas ações de uma empresa.

Leia o artigo Análise fundamentalista: um guia para você aprender para entender do que estamos falando.

Outra opção é investir em fundos de investimentos compostos por empresas que se beneficiam diretamente com a valorização das criptomoedas.

Qual a melhor maneira de investir em criptomoedas?

Qual a melhor maneira de investir em criptomoedas, ilustração

Com tantas possibilidades para investir em criptomoedas, qual delas é a melhor?

Você mesmo, depois de ler as opções, já deve ter identificado. 

E é assim que deve ser, porque não existe uma maneira que seja melhor para todas as pessoas, mas sim uma que é melhor para o seu caso específico.

Vamos tentar resumir as características principais de cada possibilidade e sua relação com o perfil do investidor:

  • Fundo de investimento com exposição a criptomoedas: para quem deseja um percentual de exposição na sua carteira, mas prefere delegar a escolha dos ativos para um gestor especializado
  • ETFs de criptomoedas: para quem prefere apostar na média do mercado, pagando uma taxa de administração menor
  • Investir diretamente: para quem tem tempo e interesse para analisar as melhores oportunidades por conta própria
  • Ações de empresas: também para quem tem tempo e disposição para a análise e prefere investir em uma companhia, não em uma criptomoeda

Como investir em criptomoedas na Warren?

A Warren é uma corretora que chegou para descomplicar seus investimentos. Ao se cadastrar em nossa plataforma, você responde um questionário e recebe uma sugestão de carteira com base em seu perfil de risco.

Essa carteira terá uma série de ativos, com maior ou menor concentração de renda variável, a depender do perfil.

Mas existe também a possibilidade de criar uma carteira por conta própria, tendo acesso aos melhores produtos de terceiros do mercado financeiro.

Para saber como, leia o passo a passo “Como criar uma carteira por conta própria?” em nossa FAQ.

Assim, você conseguirá acessar os fundos de investimentos baseados em criptomoedas. E quais são esses fundos? 

Você pode conhecê-los lendo o artigo “Fundos de criptomoedas: saiba como investir no mercado cripto pela Warren”.

No caso dos ETFs, BDRs e ações, é bem simples: basta ir na aba Bolsa da plataforma, procurar pelo código do ativo e comprar a quantidade desejada.

Vale a pena investir em criptomoedas?

Assim como nas ações, o valor das criptomoedas flutua com base na lei da oferta e procura.

A diferença é que elas não estão atreladas a uma empresa, que fabrica produtos ou presta serviços ao consumidores, tem uma marca, gestores, colaboradores e parceiros, enfim, tem uma materialidade muito maior.

Enquanto o investidor de ações tem o balanço da empresa, apenas para citar um de tantos elementos de análise, quem aposta em criptomoedas precisa de outros tipos de insights do mercado para decidir se o investimento vai render bem.

Por isso, trata-se de um investimento com alto grau de imprevisibilidade e risco.

Claro que pode render bons frutos, e muitas das histórias de pessoas que ganharam bastante dinheiro com criptomoedas são verdadeiras. 

Mas não há garantias de que o mesmo acontecerá com você.

Segundo Jurandir Sell Macedo, Doutor em Finanças Comportamentais e autor de vários posts em nosso blog, o modelo de moedas baseadas em blockchain, embora seja pouco útil como moeda de troca, parece ser uma boa forma de reserva de valor.

No entanto, esse investimento só é recomendado para pessoas mais propensas ao risco, com a exposição de uma fração muito pequena do patrimônio e com objetivos de longo prazo.

Para entender melhor seu ponto de vista, leia o artigo “O investimento em criptomoedas e o fear of missing out”, no qual Jurandir analisa as motivações comuns de quem aposta em criptomoedas e as vantagens de investir nesse tipo de ativo.

E agora, está pronto para começar a investir em criptomoedas? 

Descubra por que a Warren é a melhor opção para os seus investimentos.

Se você gostou do artigo, talvez também se interesse por: