Antes de pensar em suar no crossfit, que tal pensar apenas em se movimentar mais?  

Da cama para o computador, do computador para a televisão, da televisão para a cama, and repeat.

Essa foi a rotina de muitos dos quase oito milhões de brasileiros que, segundo o IBGE, passaram a trabalhar de casa desde o início da pandemia.

Com o distanciamento social, as horas de trabalho em frente à tela somaram-se às horas de lazer maratonando séries ou assistindo às inúmeras lives que tomaram conta das nossas redes sociais.

Sem poder sair de casa para se exercitar, ou sem disposição para seguir se exercitando mesmo que dentro de um apartamento, muita gente acabou abandonando por completo as atividades físicas.

É o que mostra um estudo realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) no qual 62% dos entrevistados afirmaram que deixaram de fazer qualquer tipo de exercício ao longo da pandemia.

Ou seja, nos tornamos mais sedentários. E, como você já deve ter lido ou ouvido falar em algum momento, o sedentarismo não está entre as melhores companhias para se ter nessa vida.

Além de estar relacionado a doenças crônicas como diabetes, hipertensão e infarto, ele afeta diretamente o nosso bem-estar.

Mas colocar o corpo em movimento começa muito antes de uma rotina puxada na academia ou no crossfit.

Se você andou muito parado nos últimos tempos e quer voltar a se movimentar, mas não sabe por onde começar, calma que a gente ajuda!

No artigo de hoje, reunimos quatro dicas simples para ajudar você a inserir o exercício na sua rotina.

Vamos lá?

LEIA TAMBÉM | Saiba como simplificar a sua vida em 2022

1. Faça pausas para se movimentar ao longo do dia

Não sabe por onde começar? Calma que a gente ajuda.

Para quem trabalha sentado, lembrar de levantar da cadeira a cada par de horas nem sempre é tão fácil.

Com o distanciamento social imposto pela pandemia, isso se agravou: além do aumento da carga de trabalho por conta do home office, muitos de nossos movimentos naturais e cotidianos foram interrompidos.

Ir até o local de trabalho, caminhar até um restaurante para almoçar e tantos outros deslocamentos antes triviais foram cortados da nossa rotina, fazendo com que muita gente passasse horas sentado na frente do computador sem nem perceber.

Mas ficar muito tempo sentado pode ter consequências sérias, como problemas nos músculos e ossos, dores na coluna e doenças cardiovasculares.

Por isso, se movimentar é essencial — e todo movimento conta.

Calma, não precisa ir correndo para a academia, não. Movimentos muito mais simples do que você imagina já vão fazer uma grande diferença. Veja algumas dicas:

  • Ir ao banheiro;
  • Ir até a cozinha pegar um copo d’água;
  • Levantar a cada uma hora e caminhar por dez minutos;
  • Ficar de pé ao atender uma ligação.

Você também pode experimentar trabalhar em pé por algumas horas do dia.

Diversos escritórios oferecem bancadas mais altas onde os colaboradores podem se instalar, mas é possível fazer isso em casa também.

Uma opção interessante é a standing desk, uma mesa com regulagem de altura para que você possa alternar períodos sentado e de pé. Infelizmente, não é uma alternativa muito acessível. Assim, há quem opte pela boa e velha pilha de livros para apoiar o laptop.

2. Para deslocamentos curtos, prefira caminhar

Levar uma vida mais ativa não requer necessariamente uma rotina de exercícios vigorosos.

Como já vimos, pequenas mudanças cotidianas podem fazer muita diferença, contribuindo para melhorar a qualidade de vida e reduzir os riscos de doenças crônicas e outros problemas de saúde.

Ao chegar ou sair de casa, que tal sair do modo automático e usar as escadas ao invés do elevador?

Na hora de ir ao mercado, por que não ir a pé? Ou, caso você vá fazer uma compra maior, ir a pé e voltar de táxi?

O mesmo vale para compromissos ou passeios perto de casa, como uma ida ao médico ou um café com as amigas.

Se você não precisa ir muito longe, experimente se deslocar a pé ou de bicicleta. Além de economizar o dinheiro que você gastaria com transporte, seu corpo agradece.

E você vai ver que, em pouco tempo, caminhos que antes você não cogitaria fazer caminhando nem vão parecer tão difíceis assim.

LEIA TAMBÉM | Do lazer à saúde mental: por que cultivar um hobby faz bem?

3. Reserve alguns minutos do seu dia para se alongar

Há quem diga que esta é a dica de ouro para quem quer se colocar em movimento e levar uma vida sem dores no corpo.

O alongamento é fundamental não só antes e depois de praticar alguma atividade física, mas também ao longo de um dia de estudo ou trabalho.

Isso porque se alongar ajuda a aliviar as tensões musculares causadas pelo estresse, além de ativar a circulação e provocar uma sensação de relaxamento.

Entre outros benefícios, o alongamento:

  • Ajuda a melhorar a postura;
  • Reduz as tensões, aliviando dores musculares;
  • Aumenta a flexibilidade do corpo; 
  • Melhora a respiração; 
  • Diminui a ansiedade;
  • Aumenta a sensação de bem-estar. 

E o melhor de tudo é que se alongar não tem hora nem lugar. Você pode começar seu dia se alongando, antes mesmo de tomar café, ou terminar o expediente com uma boa sessão de alongamento. Ou os dois, é claro!

Fazer pequenas pausas ao longo do dia para esticar os braços e as pernas também é uma ótima opção, e inclusive pode aumentar a produtividade. Mesmo sem um colchonete, existem vários exercícios que você pode fazer caso esteja no ambiente de trabalho.

E então, o que faltou para adicionar o alongamento à sua rotina?

4. Comece (ou recomece) aos poucos

Como acontece com a maioria das mudanças, colocar o corpo em movimento depois de muito tempo parado não é algo que vai acontecer da noite para o dia. É um processo gradual.

Por isso, lembre-se de respeitar o seu tempo e o seu corpo. Cada um tem seus próprios limites, e aceitá-los é muito importante para evitar não só lesões, mas também frustrações.

A vontade de começar (ou recomeçar) já é um grande passo.

A partir disso, pense em pequenas atitudes que você pode adicionar à sua rotina e defina metas atingíveis para colocá-las em prática.

Aos poucos, e com persistência, as pequenas mudanças que você vai incorporando no seu dia a dia tornam-se hábitos, e você nem vai precisar pensar muito antes de se colocar em movimento!

Gostou da leitura? Confira outros artigos que separamos para você: