Ecoturismo no Brasil: 5 lugares para você conhecer  

Os últimos dois anos foram de grande mudança.

Da forma como nos cumprimentamos aos novos hábitos de higiene, passando pelas reinvenções no mundo do trabalho, a vida pandêmica trouxe transformações que dificilmente irão nos abandonar.

O distanciamento social e os períodos prolongados dentro de casa fizeram com que muita gente buscasse momentos de refúgio em meio à natureza.

Um dos resultados desse novo cenário foi o crescimento do ecoturismo no Brasil — tendência que, segundo especialistas, veio para ficar.

Crescendo mais do que a média já há alguns anos, o ecoturismo ganhou ainda mais força no início dessa nova década, não só por oferecer alternativas menos arriscadas para quem não quer se aglomerar, mas também porque abre um leque imenso de possibilidades para se conhecer sem ter que viajar para muito longe.

Por isso, no artigo de hoje, separamos 5 destinos incríveis para quem quer mergulhar na biodiversidade brasileira e praticar um turismo consciente, responsável e sustentável.

Vamos lá?

Afinal, o que é ecoturismo?

Antes de mais nada, é importante saber o que quer dizer ecoturismo.

Como o próprio nome sugere, o ecoturismo está relacionado à ecologia e ao meio ambiente. Mas sua proposta vai um pouco além do simples contato com a natureza.

De acordo com o Ministério do Turismo, Ecoturismo é “um segmento da atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural do país, incentivando sua conservação e buscando formar uma consciência ambientalista por meio da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar das populações”.

Em outras palavras, estamos falando de uma prática que alia a integração entre as pessoas e as belezas naturais de um local ao cuidado com o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável de uma região.

Placa alerta os visitantes: “Não deixe nada a não ser suas pegadas na praia”

Entre as principais atividades praticadas pelos ecoturistas, estão:

  • Canoagem;
  • Rapel;
  • Tirolesa;
  • Arvorismo;
  • Trekking (caminhadas);
  • Mountain bike e cicloturismo.

Mas, é claro, não é obrigatório ser fã desses esportes. A observação de pássaros, por exemplo, também é considerada uma prática sustentável, de baixo impacto e que promove a educação ambiental.

Então, não se preocupe! Se você prefere uma viagem mais “relax”, o ecoturismo também é para você! 

LEIA TAMBÉM | Conheça o Warren Green, um fundo com retorno ajustado à ética

“Abençoado por Deus e bonito por natureza”: por que o ecoturismo tem tudo a ver com o Brasil 

Quem cantou foi Jorge Ben Jor, mas todo mundo concorda.

E não é à toa: somos o país com a maior biodiversidade do mundo.

Quando se fala em Brasil, não há quem não pense nas praias paradisíacas, na majestosa floresta Amazônica ou nas incontáveis cachoeiras que estampam as paisagens tupiniquins.

De acordo com o Estudo da Demanda Turística Internacional de 2019, realizado pelo Ministério do Turismo, a motivação de 54,3% dos turistas estrangeiros que visitaram o Brasil naquele ano foi o lazer.

Dentro desse recorte, 18,6% buscavam natureza, ecoturismo ou aventura. E os brasileiros não ficaram para trás: segundo o Boletim do Turismo Doméstico Brasileiro realizado no 3º trimestre de 2019, 25,6% dos viajantes brasileiros procuravam o mesmo.

Como comentamos no início deste artigo, as restrições impostas por conta da pandemia potencializaram esse cenário, pois despertaram em muitos brasileiros o desejo de estar mais próximo da natureza.

Assim, quem ainda não sonhava em se encantar com a exuberância da nossa terra acabou descobrindo uma infinidade de localidades para explorar por aqui mesmo.

Vamos conhecer alguns deles?

Lugares para praticar ecoturismo no Brasil

Agora que você já entende um pouco mais sobre o assunto, que tal começar a pensar em qual será o seu próximo destino?

Reunimos 5 locais que fazem jus ao que cantou Jorge Ben, com paisagens de tirar o fôlego e que vão deixar você tão patriota quanto em época de Olimpíadas.

Mapa do Brasil, ilustração

Confira:

1. Chapada Diamantina (BA)

Não bastasse o litoral de areia branca e águas cristalinas, a Bahia também foi presenteada com um dos complexos geográficos mais impressionantes do país.

Protegida por um Parque Nacional que leva o seu nome, a Chapada Diamantina fica no interior baiano, a mais ou menos 7 horas de Salvador. Como dizem alguns, “um oásis em pleno sertão nordestino”.

Vales, rios, serras e cachoeiras fazem parte das diversas paisagens que compõem a região, que também abriga centenas de espécies animais e vegetais.

Cachoeira do Buracão, uma das principais atrações da Chapada Diamantina. Foto: Monique Renne/Melhores Destinos

Para grande parte dos passeios na Chapada, é obrigatório contratar um serviço de guia turístico, seja de agências de turismo ou guias particulares. Mas existem opções para se fazer sozinho também.

Um dos mais procurados é a travessia do Vale do Pati, um trekking de cerca de 70 km que, em geral, é feito em 4 ou 5 dias, com pernoites em casas de moradores da região. Há quem diga que é a travessia mais linda do Brasil!

Na hora de definir questões como meio de deslocamento, hospedagem e melhor época para viajar, vale a pena fazer uma pesquisa mais aprofundada. A Chapada tem uma área de mais de 30.000 km² e muitos cantinhos especiais para conhecer.

Vamos ao próximo destino?

2. Chapada dos Veadeiros (GO)

A Chapada dos Veadeiros é um verdadeiro pedaço de paraíso no meio do cerrado brasileiro.

Localizada no nordeste do estado de Goiás, a Chapada é protegida pelo Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, declarado Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO em 2001.

São mais de 240 mil hectares de cerrado de altitude, com fauna e flora únicas, inúmeras nascentes, cursos d’água e rochas que datam de mais de 1 bilhão de anos.

As atividades preferidas dos visitantes da Chapada dos Veadeiros são as caminhadas e os banhos de cachoeira. Aliás, cachoeira é o que não falta por lá, com opções dentro e fora do circuito principal do Parque. Aqui vão algumas:

  • Cachoeira Santa Bárbara;
  • Saltos do Rio Preto;
  • Cachoeira das Cariocas;
  • Cachoeira do Segredo;
  • Cachoeira Loquinhas.
Cachoeira Loquinhas, na Chapada dos Veadeiros. Foto: Augusto Miranda/MTur

Diferentemente da Diamantina, a Chapada dos Veadeiros conta com muitas trilhas autoguiadas, sendo procurada especialmente por viajantes que gostam de um turismo mais independente.

Se você já estiver tomando nota para quando for começar a se planejar, vale lembrar que esse fator pode reduzir bastante os custos da sua viagem!

Mas se você não faz o tipo explorador, não precisa se preocupar, pois encontrar um guia não vai ser difícil.

Além disso, é melhor pagar um pouco a mais e se sentir bem do que economizar e acabar tornando a viagem desconfortável, certo?

Afinal, em um lugar como esse, a última coisa que você vai querer é ter qualquer preocupação!

LEIA TAMBÉM | Estes são 4 hábitos da cultura japonesa. E é assim que eles farão você investir melhor

3. Aparados da Serra (RS/SC)

Situado na região nordeste do Rio Grande do Sul, próximo à divisa com Santa Catarina, o Parque Nacional de Aparados da Serra é um dos mais antigos do Brasil.

Criado em 1959, ele possui uma área de 13.141 hectares e abriga um dos maiores cânions das Américas: o Cânion Itaimbezinho.

A fenda, com quase 6 km de extensão e profundidade de até 720m, é contornada por paredões gigantescos que misturam as texturas rochosas com o verde deslumbrante da Mata Atlântica.

Cânion Itaimbezinho. Foto: Danny Zappa

Além disso, o Parque ainda conta com uma Floresta de Araucárias e é o habitat de animais como o papagaio-de-peito-roxo, a jaguatirica, o guaxinim e o leão-baio.

Para chegar ao Itaimbezinho, existem 3 trilhas abertas ao público, cada uma com suas particularidades, belezas e níveis de dificuldade. São elas:

  • Trilha do Vértice;
  • Trilha do Cotovelo;
  • Trilha do Rio do Boi (essa permite acesso ao interior do cânion).

Um pouco mais ao norte, há o Parque da Serra Geral, onde é possível visitar outros cânions, como o Fortaleza, que disputa com o Itaimbezinho o título de maior cânion do Brasil.

Vale ressaltar que, atualmente, nenhum dos parques cobra entrada — o que é um ponto positivo para o bolso, mas também significa que os locais oferecem pouca estrutura.

4. Ilhabela (SP)

Um dos destinos mais procurados por quem quer praticar o ecoturismo, Ilhabela é outro pequeno paraíso brasileiro.

O arquipélago é situado no litoral norte de São Paulo e encanta todo tipo de viajante.

Suas 14 ilhas, mais de 73 praias, 365 cachoeiras e 80% de Mata Atlântica preservada fazem de Ilhabela um verdadeiro éden para o ecoturismo. Não é à toa que ele é uma das bases da economia local.

Uma das atividades preferidas dos turistas é o mergulho. A fauna marinha da região conta com baleias, golfinhos, polvos, corais e tartarugas, além de uma enorme variedade de peixes.

E o programa não é restrito a mergulhadores profissionais. Para os amadores, a dica é fazer o chamado “mergulho de batismo”, ideal para quem está mergulhando pela primeira vez.

Devido à riqueza da fauna e flora marinha local, Ilhabela é um dos destinos preferidos de quem quer praticar mergulho

Ilha das Cabras, Ilha da Vitória e as Grutas da Ilha dos Búzios (esta última para os mais aventureiros) estão entre os locais mais recomendados para a prática.

Mas, se você é do tipo que prefere ficar no seu canto e olhar os animais só pelas fotos mesmo, pode aproveitar as diversas trilhas para praticar caminhadas, ou simplesmente passar o dia relaxando na beira da praia — nada mal, não é?

LEIA MAIS | Investindo para viajar? Confira 7 filmes e séries para assistir enquanto seu dinheiro rende

5. Serra do Tepequém (RR)

Por fim, mas não menos importante: Serra do Tepequém.

Localizada no município de Amajari, no extremo norte brasileiro, a Serra do Tepequém é um prato cheio para quem gosta de aventura.

Ainda que já seja um destino turístico relativamente conhecido, muitas trilhas ainda são pouco exploradas, o que dificulta o acesso a alguns dos belos lagos e cachoeiras do Tepequém.

Por isso, relatos de viajantes que já se aventuraram por lá alertam que, para muitos dos passeios, pode ser interessante contratar um guia local.

Viajar acompanhado de um guia também é uma boa forma de conhecer um pouco mais sobre a história e a cultura da região, muito marcada pelo garimpo não só economicamente, mas também geograficamente.

Além do platô, ponto mais alto da Serra, as principais atrações são as cachoeiras, como a Cachoeira do Paiva, a Cachoeira do Barata, a Cachoeira da Laje Verde e a Cachoeira do Funil.

Para quem gosta de contemplar a paisagem, uma boa dica é a Pedra do Rei Leão, mirante próximo à Cachoeira do Paiva. De lá se vê um belo por do sol e, com sorte, a revoada das araras.

Pedra do Rei Leão. Foto: Acervo Pousada Platô

Planejando a sua viagem

A essa altura, já deve ter dado aquela vontade de colocar a mochila nas costas e partir para uma aventura, não é mesmo?

Então, que tal começar a se planejar?

Na Warren, você pode ter uma carteira diferente para cada objetivo de vida.

Depois de abrir uma conta e descobrir qual é o seu perfil de investidor, basta criar uma carteira dedicada à sua próxima viagem.

Com base no prazo do seu objetivo, isto é, quando você pretende de fato fazer a sua viagem, e na quantia que você tem para investir, nossa tecnologia seleciona os melhores produtos para tornar o seu sonho realidade.

Depois, é só manter a disciplina de realizar aportes mensais e ver o seu dinheiro render enquanto você se prepara para explorar lugares e culturas que ainda não conhece e se conectar com a natureza!

Investir não precisa ser complexo. Quer experimentar? Abra sua conta e invista em minutos.

Se você gostou da leitura, talvez também se interesse por: