Gestora de mais de R$ 20 bilhões conta como funciona seu trabalho

Nesta semana, a Warren lançou sua nova família de fundos, chamada Clean Fee. Inédita no Brasil, essa é uma classe inspirada no modelo britânico Clean Share Class e espelha estratégias reconhecidas no mercado brasileiro sem cobrar taxa de rebate ou qualquer tipo de comissão, trazendo assim mais rentabilidade e transparência aos clientes.

Para o lançamento do fundo Clean Fee, a Warren começou seu trabalho em parceria com a gestora ARX. Fundada em 2001, a gestora conta hoje com mais de R$ 20 bilhões sob gestão, com estratégias diversas em Renda Fixa, Multimercados e Renda Variável.

“Temos uma equipe com mais de 40 pessoas e o que procuramos fazer, na gestão de nossos fundos, é a busca por preservar capital, tendo consistência de resultados no longo prazo. Não querermos tomar riscos desnecessários em nossos fundos, mas sim ter uma carteira bem diversificada”, conta Paulo Bokel, da equipe de Relações com Investidores ARX.

“Outro dos nossos diferenciais é o fato de termos dentro de casa uma equipe completa de análise, olhando para crédito, equity e visão macroeconômica, por exemplo, o que faz com que mesmo fundos com estratégias específicas possam contar com uma visão mais ampla de outras pessoas do time”, complementa.

“Além disso, temos no time profissionais com histórico e alinhamento de interesses total com os investidores nos nossos fundos, tudo isso com uma sinergia grande entre nossos times”, aponta.

Bruno Panerai, head de Product Solutions da Warren, afirma que “a ARX é uma das gestoras mais tradicionais do mercado brasileiro, provando sua capacidade de gerar valor para seus clientes em diferentes classes ativos ao longo do tempo”.

Tendência Atual

No momento atual, a economia mundial passa por um grande baque na esteira da pandemia de Covid-19, com a maior parte dos países apresentando retração na atividade econômica. Sobre esse cenário econômico, Paulo Bokel conta que uma tendência que a ARX observa se aprofundar cada vez mais é a digitalização. 

“Essa já era uma tendência que observávamos e o cenário somente se tornou mais forte com a questão atual da pandemia. São cadeias inteiras de negócios que estão mudando e isso, sem dúvida, é uma forte tese de investimentos que estamos observando, vemos essa mudança em setores tão variados quanto o de turismo e o varejo, por exemplo”, encerra.