Guia da venda a descoberto: tudo que você precisa saber

No poker, o objetivo de todo jogador é ter um Royal Flush na mão. Esse é o melhor Straight Flush possível devido à sequência de Ás, Rei, Dama, Valete e Dez. Quando você tem essas cartas, pode trabalhar com a alavancagem. Ou seja, você aposta mais do que tem, porque sabe que vai ganhar. O mesmo princípio pode ser adotado na venda a descoberto.

Esse não é o objetivo principal da estratégia, mas é uma das vantagens principais na mente dos investidores quando optam por ela. Afinal, é uma forma de ganhar mais e aumentar seu rendimento, mesmo sem ter o dinheiro em mãos. Parece estranho? Pode até ser, mas acredite: é uma oportunidade de apostar alto e se dar bem.

Para entender porque trabalhar com venda descoberta é uma chance para investidores experientes e de que forma ela pode ser aproveitada, neste conteúdo vamos explicar tudo que você precisa saber sobre essa estratégia. Confira o que você verá neste material.

  • O que é a venda a descoberto?
  • Para quem essa abordagem é indicada?
  • Quais são as vantagens dessa estratégia?
  • Quais termos são importantes na venda a descoberto?
  • Como funciona o short selling?
  • Como operar vendido?
  • Quais são as diferenças entre operar vendido e comprado?
  • Quais são os riscos da venda a descoberto?
  • Como diminuir os riscos do short selling?
  • Quais são os custos envolvidos na operação?
  • Quais são as dúvidas mais comuns da venda a descoberto?

Continue lendo!

O que é a venda a descoberto?

Entenda o que é venda a descoberto, ilustração

Também chamada de short selling, a venda descoberta é aquela em que você vende um ativo que não tem na sua carteira. Assim, você aluga a ação de outra pessoa, comercializa e, ao ter o retorno, paga a comissão da operação ao detentor do papel. O restante do rendimento é seu.

Essa estratégia pode parecer muito confusa, mas ela é bastante simples de ser realizada. Inclusive, é muito praticada no mercado por investidores experientes. Afinal, é preciso executar a operação no momento certo para evitar perdas.

Então, como saber qual é a hora correta de fazer esse movimento? Basicamente, é preciso analisar os gráficos de tendências da bolsa de valores, a B3, e verificar quando há tendência de queda

Desse modo, você vende o título quando ele ainda está em alta. Ao cair o preço do ativo, é possível recomprá-lo e devolvê-lo ao proprietário com o pagamento de uma taxa de aluguel. Perceba que essa operação é o inverso do caminho natural de operação na bolsa de valores.

Como usamos no exemplo, é o mesmo que o poker. Você tem as cartas na sua mão e, a partir disso, usa a alavancagem, blefa ou aposta. Portanto, a sua realidade é o que ajudará a tomar a decisão certa.

Banner baixar relatório de BDRs, ilustração

Para quem essa abordagem é indicada?

A venda a descoberto implica riscos e benefícios, como qualquer modalidade de investimento. Por isso, é necessário fazer uma avaliação apropriada para saber se é a atitude mais certa para o seu caso.

Nessa análise, é preciso entender que as operações estruturadas são complexas. Por isso, são mais indicadas para quem tem experiência e conhecimento do mercado financeiro, mais especificamente o de ações.

Novamente, é como um jogo de poker. Você não vai apostar R$ 10.000 logo de cara, sem nunca ter jogado, certo? É preciso cuidado e atenção para garantir o melhor retorno possível.

Além disso, é uma operação mais indicada para investidores arrojados ou agressivos, ou seja, cujo perfil prioriza a potencialidade de ganhos. Ainda é importante ter uma reserva de emergência e realizar as vendas a descoberto somente quando você não precisará usar o dinheiro no curto prazo.

Mais para frente, vamos abordar os riscos da estratégia. Por enquanto, é importante saber que existe a possibilidade de perdas. Inclusive, elas podem ser mais elevadas do que o lucro. Portanto, é preciso fazer apenas quando você tem segurança da sua análise. 

Caso contrário, poderão ser exigidas mais garantias pela bolsa de valores. É isso mesmo. A depender do contrato, é preciso apresentar um valor para garantir a operação. Portanto, é mais um fator a considerar no aluguel de ações.

Quais são as vantagens dessa estratégia?

Vantagens da venda a descoberto, ilustração

Existem vários benefícios ao escolher essa abordagem. Uma das principais é a possibilidade de ganhar mais em períodos de crise, isto é, aqueles em que a economia e os resultados da bolsa de valores são negativos.

Esse é o caso, por exemplo, do momento vivido pelo Brasil em 2020. A economia ainda sofria os efeitos da crise política e econômica iniciada em 2014, e veio a pandemia do novo coronavírus. O que aconteceu?

Somente em março de 2020, ocorreram 6 circuit breakers, ou seja, paralisações das negociações na B3 por, pelo menos, 30 minutos. O propósito é aguardar o mercado se acalmar. Depois desse momento, as interrupções deixaram de acontecer, mas o mercado ainda sofreu quedas expressivas em vários dias.

Em um mercado instável como o verificado nesse período, é altamente arriscado realizar operações de investimento. Nesse caso, você precisa atuar com o day trade da venda descoberta para ter retorno em curto prazo ou adquirir as ações em baixa sem ter necessidade de sacar o valor rapidamente.

Afinal, é impossível prever quando o mercado voltará a subir, que é o momento ideal para resgatar as quantias investidas. Outro benefício é o fato dessa operação ser usada como ferramenta de proteção para a carteira de ativos.

Como você opera com ações que são de outra pessoa, mantém seus títulos preservados e tenta lucrar sem implicar riscos desnecessários para os papéis que já tem. Outras vantagens verificadas são:

  • Oportunidade de ganhar nos períodos de queda do mercado, estando em crise ou não;
  • Agilidade para aproveitar o melhor momento, mesmo que não tenha o ativo na carteira;
  • Facilidade, porque não precisa gastar o recurso na hora. O dinheiro será desembolsado apenas na hora da recompra para pagamento da taxa de aluguel.

Quais termos são importantes na venda a descoberto?

Termos importantes da venda a descoberto, ilustração

Qualquer investidor pode optar por essa modalidade — basta saber usá-la da forma correta. Para isso, é preciso entender que a estratégia é ideal para momentos de queda do mercado. Já dissemos isso, mas é fundamental reforçar essa informação, ok?

Para ter certeza desse cenário, é necessário utilizar a análise gráfica ou a fundamentalista. Além disso, é importante conhecer alguns termos relevantes para a operação. Entenda melhor.

Análise gráfica

Todo investidor da renda variável precisa ter embasamento para tomar suas decisões. Uma das possibilidades é a análise gráfica, também chamada de técnica. Nesse caso, é feito um estudo para identificar o histórico do preço do ativo e qual é sua tendência nos períodos seguintes.

Essa análise nem sempre é a mais adequada. Por isso, é usada mais por investidores iniciantes. Apesar dessa característica, ajuda a tomar uma decisão e saber o momento certo para fazer uma operação a descoberto.

Análise fundamentalista

Seu objetivo é indicar o valor de um título, de acordo com fatores que impactam a empresa e suas perspectivas. Por isso, são avaliados diferentes aspectos, como situações financeira, política e mercadológica.

Com os dados coletados, você tem uma ideia de como está a situação da empresa negociada na B3 e se há possibilidade de valorização do ativo. Por considerar diferentes fatores, é mais complexa e complementa a análise gráfica.

Margem de garantia

Todas as vendas a descoberto exigem alguma garantia por parte de quem vai alugar a ação. A justificativa é simples: assim como o ativo tem tendência de queda, ele também pode subir. Nesse caso, o detentor do título precisa ter alguma garantia de que receberá a taxa de aluguel.

Para isso, existem a margem, uma garantia em dinheiro retida pela corretora de forma automática sempre que é realizada a operação. Por exemplo, imagine que o mercado não pode variar mais do que 10% ao dia, tanto para cima quanto para baixo, e uma ação é comercializada por R$ 1.000.

Nesse caso, a margem poderia ser de R$ 300, que equivale a 30%. Assim, o investidor tem mais chance de liquidar a operação com lucro, porque tem mais dias para operar. Aqui, é preciso avaliar o prazo da transação, como vamos explicar em seguida. 

De toda forma, é importante entender que a margem de garantia é calculada no dia da contratação da venda a descoberto e recalculada todos os dias até a transação ser finalizada. A diferença, se existir, será devolvida ou cobrada para a conta do investidor.

BTC

Essa sigla significa Banco de Títulos, mas o que ela realmente determina é o empréstimo de ações por meio do aluguel para fazer a operação de venda descoberta. O BTC tem determinado prazo e a cobrança de uma taxa previamente acordada. Toda a negociação ocorre em um ambiente específico de mesmo nome.

Normalmente, quem aluga suas ações são grandes investidores, que focam o longo prazo. Eles não tem interesse em comercializar seus ativos por um longo período. Por isso, colocam-se à disposição dessas operações para ganhar mais.

Comparando com o poker, seria o caso de um jogador que tem a maior parte dos ganhos da mesa, mas opta pela alavancagem apenas para fazer um dinheiro a mais. Depois de entender esses termos, chega o momento de verificar como funciona a operação a descoberto.

Como funciona o short selling?

Entenda como funciona o Short Selling, ilustração

Para entender o funcionamento, veja o seguinte exemplo: um investidor de longo prazo tem uma ação com valor de R$ 100. Você já verificou que ela está em tendência de queda e opta pelo aluguel do ativo. Nesse caso, você vende o papel agora e aguarda a diminuição do preço.

Depois de alguns minutos, o valor cai para R$ 88. Nesse caso, você recompra o título e tem um lucro de R$ 12. A comissão é repassada para o detentor da ação e o resto fica para você.

Caso a tendência não se confirme e o preço permaneça igual ou até mesmo suba, você terá que arcar com o prejuízo. Em outras palavras, será necessário recomprar o título e pagar a comissão ao detentor. Afinal, o aluguel foi efetivado, mesmo que tenha trazido um resultado inesperado.

É importante saber que a recompra das ações pode ser feita até 30 minutos antes do fechamento do pregão. Se você não efetivar a operação, a zeragem compulsória será executada pela mesa de operações.

Em outras palavras, as operações sofrerão um encerramento automático. Nesse caso, o detentor da ação não recebe o seu retorno, porque você deixa de honrar seu compromisso, e o mercado todo se torna inseguro.

Novamente, para tornar mais claro, vamos fazer uma comparação com o poker. José ganhou a maior parte das partidas e está com uma grande quantidade de fichas. Chega Leonardo, um jogador experiente, e pede para jogar uma em seu lugar.

José aceita a proposta e sai da mesa, deixando suas fichas para Leonardo. Na nova partida, um problema acontece. Leonardo tem um Straight Flush na mão e acredita que vai ganhar. Mas Carlos tem um Royal Flush. Na ânsia de ganhar o máximo possível, Leonardo aposta todas as fichas de José e as perde para Carlos.

Se isso acontecesse, Leonardo não teria como arcar com todo esse prejuízo. Os ganhos de José iriam para Carlos e ele ficaria “a ver navios”, como diz o ditado popular. É o que acontece na venda a descoberto, quando o locatário das ações deixa de honrar seus compromissos.

Prazos da operação da venda descoberta

Até aqui, você entendeu que o short selling é uma possibilidade arriscada, mas que pode trazer ganhos elevados. Ao optar por essa modalidade, o investidor passa a ser um especulador, porque trabalha com previsões e aposta nelas, a partir da análise técnica ou fundamentalista realizada.

É necessário compreender que essa estratégia sempre funciona da seguinte forma: um investidor vende um ativo com a promessa de comprá-lo depois. Em muitos casos, como informamos, a operação costuma ser fechada no mesmo dia. Caso contrário, há a zeragem compulsória. 

No entanto, existe uma possibilidade da venda a descoberto ocorrer em alguns dias. Veja quais são as características de cada um desses tipos.

Venda a descoberto no mesmo dia

No day trade, você vende o ativo alugado e o recompra no mesmo dia a preço mais baixo. O propósito é obter o lucro ou o prejuízo em um espaço de tempo curtíssimo, ou seja, de apenas alguns minutos ou horas. Aqui, nem sempre há o aluguel da ação, porque a transação é muito rápida.

Venda a descoberto em alguns dias

Nessa outra operação, chamada especificamente de aluguel de ações, o especulador acredita que o preço de determinado ativo vai cair nos próximos dias. Ele consulta o BTC e verifica se a ação pode ser alugada. Assim, é possível saber a disponibilidade e as taxas cobradas para firmar a negociação.

Como operar vendido?

Aprenda a operar vendido, ilustração

Operar vendido é a prática de investir nessa estratégia. Apesar de ter riscos, vários traders já entraram para a história ao terem bons resultados. Um exemplo foi em 2008, durante a crise do subprime.

Na época, um grupo de gestores percebeu a tendência de crise do mercado imobiliário americano e criaram uma posição de lucro. Se você quiser saber mais sobre essa história, vale a pena ver o filme A Grande Aposta, de Adam McKay. 

Portanto, para investir nessa modalidade, a primeira atitude a tomar é ter uma conta em uma corretora — como a Warren —, verificar a tendência de queda do ativo e pesquisar sua possibilidade de aluguel da ação no BTC. 

Ao mesmo tempo, é preciso garantir a disponibilidade da margem de garantia. Veja, a seguir, quais etapas é preciso executar para montar uma operação.

Alugue a ação para fazer a operação a descoberto

Pesquise no home broker as opções disponíveis para aluguel. Busque o ativo por sua sigla e defina o detentor para firmar o acordo segundo seu volume de ações e taxa anual cobrada. 

Coloque a quantidade desejada de ativos a entrar na transação e confira a margem de garantia solicitada. Nesse momento, aparecerá a opção “Bloquear zeragem de alavancagem”. Clique em “Sim”.

Venda a ação alugada

Opere vendido negociando o ativo e bloqueie o robô de zeragem. É importante realizar a operação até as 16h30min, conforme já indicamos. Caso contrário, será realizada a zeragem compulsória — que é tudo que você não quer agora.

Desmonte a operação a descoberto

Recompre a quantidade de ativos vendidos na mesma quantidade. A aquisição será liquidada em até 3 dias úteis. Depois disso, o aluguel é devolvido de forma automática, assim como a margem de garantia. Aqui, também bloqueie o robô de zeragem até as 16h30min, ok?

De acordo com a sua corretora de valores, pode ser solicitado um valor mínimo para operar vendido. Por isso, informe-se antes. 😉

Quais são as diferenças entre operar vendido e comprado?

A principal divergência entre essas duas estratégias é que a venda descoberta aposta em uma queda no preço dos ativos. Você atua como especulador e foca o curto ou o curtíssimo prazo. 

No segundo caso, a esperança é de pequenas variações em um período de algumas horas. É o caso de identificação de sinais de instabilidade. Para tomar essa decisão, o trader costuma se basear no volume de negociação e na análise gráfica.

No curto prazo, você age como um swing trader. Portanto, precisa alugar as ações. Aqui, é importante definir os stop loss e stop gain. Esses são os seus pontos de saúda para ganho e perda. Novamente, é importante avaliar os gráficos e combiná-los à análise fundamentalista.

Operar comprado, por sua vez, nunca será uma operação de day trade. Ela pode ter curto prazo, mas costuma ser de longo prazo, ou seja, position trade. Em vez de um especulador, você age como holder, ou seja, segura a ação em sua carteira de investimentos para lucrar com o passar dos meses ou até anos.

Quais são os riscos da venda a descoberto?

Veja os riscos da venda a descoberto, ilustração

A estratégia é positiva, quando bem utilizada. Sempre há riscos implicados. Nesse caso, dois deles são:

  • Risco de oportunidade, isto é, a quantia investida na operação está empregada na venda a descoberto. Portanto, se ela der errado, você pode ter perdido uma chance melhor em outra categoria de investimento;
  • Taxas de aluguel, nos casos em que a ação permanece alugada por mais de 1 dia. O índice pode chegar a 10% ao mês. Por isso, é necessário que o preço do ativo sofra uma queda suficiente para compensar a quantia paga.

Ainda existem outras ameaças à possibilidade de lucro. Veja quais são as principais!

Ausência de limitação de perdas

A principal ameaça ao operar vendido é clara: quando você executa a operação, acredita em uma tendência de baixa, que pode não se confirmar. Assim, em vez de cair, o preço das ações pode subir. Assim, você tem prejuízo, em vez de lucro.

Você deve saber que, nessa estratégia, não existe limite. Portanto, o preço da ação por subir cada vez mais e fazer você tem uma perda significativa. Ou seja, o erro é exponencial e os seus custos serão elevados.

Essa assimetria é uma das principais dificuldades, já que o potencial de ganhos e perdas fica contra quem faz a operação vendido.

Mais do que isso, se o mercado entrar na tendência de alta, deverão ser solicitadas mais garantias. Por isso, a margem é mais elevada e nem sempre vale a pena continuar realizando esse tipo de operação. 

Operação contra a tendência natural do mercado

O risco parece estranho, mas é isso mesmo: as bolsas de valores tendem a subir, uma hora ou outra. Isso é o que o histórico mostra. Portanto, mesmo em situações de forte baixa, haverá um período em que elas votarão ao normal.

Operar vendido é, portanto, contra a natureza do mercado financeiro. Por isso, é fundamental fazer uma boa análise técnica e/ou fundamentalista para ter o máximo de certeza de que as ações de determinada empresa vão cair. Além do mais, é necessário ter motivos que justifiquem essa tese. É preciso ser mais do que um “achismo”.

Possibilidade de operar short squeeze

O short squeeze é uma transação de manipulação ilegal. Apesar da venda descoberta estar dentro do que a lei determina, o especulador está sujeito a essa outra operação. Por quê? Vamos explicar!

Quando existe uma grande concentração de doadores, os grandes players do mercado compram muito determinado ativo. Essa demanda eleva o preço do ativo “na marra” e os especuladores que operaram vendido precisam recomprar as ações para devolver aos seus detentores.

Esse segundo movimento aumenta ainda mais o preço dos ativos. Perceba que, nesse caso, o short squeeze foi efetivamente executado pelos grandes investidores. No entanto, quem operou a descoberto “entrou de gaiato no navio” — e alguém sofrerá grandes perdas com isso.

Por todos esses fatores, as vendas a descoberto são a maneira mais rápida de quebrar em renda variável, especialmente se você tem pouco conhecimento no assunto. Por isso, o ideal é ter ampla experiência para só então realizar operações desse tipo.

Como reduzir os riscos do short selling?

Para evitar prejuízos significativos, é necessário tomar precauções. Quais são elas? Além de fazer análises adequadas, é importante seguir as dicas abaixo.

Tenha consciência da especulação

Em operações vendido, você especula na bolsa de valores. É claro que essa é uma decisão individual e não é ilegal. No entanto, é fundamental ter consciência do que está sendo realizado e dos riscos que corre. Assim, há clareza de que pode haver ganhos e perdas.

Use o hedge

Com o objetivo de preservar seu patrimônio, use o hedge. Essa transação evita prejuízos com a variação de preços. Portanto, tem o objetivo diverso ao da especulação. 

Quando você realiza a operação vendido de acordo com o hedge, ela tem o propósito de limitar as perdas de outras aplicações financeiras. 

Por exemplo, imagine que determinado investidor lança opções de venda de um ativo. Aqui, pode ser realizado um short selling para que os resultados de uma transação compensem os de outra. Por isso, é necessário que ambas estejam sempre em sentidos opostos.

Evite arriscar muito alto

No começo, o recomendado é ir com calma. Para acertar o alvo, é preciso ter tranquilidade e conhecimento. Portanto, evite comprometer todo seu patrimônio. Comece aos poucos, de modo mais seguro e diversifique os investimentos. Conforme errar, aprenda com suas falhas para aprimorar suas transações.

Entenda bem o home broker

Com o objetivo de lucrar o máximo possível, é necessário entender bem a plataforma que usa, porque essa é a sua ferramenta de acesso ao mercado. Aprenda também sobre as análises gráfica e fundamentalista para reduzir seu risco operacional.

Mantenha uma carteira equilibrada

Por último, lembre-se de que é preciso ter uma reserva para emergência e ativos de diferentes categorias para evitar prejuízos enormes ao seu patrimônio. A regra da diversificação continua válida, mesmo para quem deseja operar vendido. Além disso, considere seu perfil comportamental para ver o percentual de alocação dos recursos.

Quais são os custos envolvidos na operação?

Custos do Short Selling, ilustração

Considerar os valores de um short selling é necessário para saber quanto o preço do ativo deve cair para a estratégia compensar. O recomendado é verificar a tendência de queda, ter uma ideia de quanto essa redução será e, então, chegar a uma decisão sobre a venda do título alugado.

Para fazer o cálculo, é preciso considerar as seguintes taxas:

Aluguel

Realizar a operação passa pelo pagamento de uma comissão ao detentor do título. Caso contrário, não teria motivo para ele alugar o ativo. A cobrança varia conforme o contrato e a corretora de valores. De toda forma, costuma ser uma taxa de juros incidente sobre o total das ações envolvidas na transação. Por isso, quanto maior for o tempo da operação, maior será a quantia cobrada.

Execução

É cobrada pela corretora de valores e incide a cada ordem executada. Nesse caso, é preciso verificar o seu plano. O valor costuma variar bastante e pode ser até um percentual da quantia negociada. Por isso, é importante ter atenção.

Emolumentos e outras taxas

Há cobrança da B3 pela intermediação da venda a descoberto. O percentual é de 0,25% ao ano, sendo que o mínimo é de R$ 10. Ainda existe a aplicação de Imposto de Renda (IR). Para operações normais é de 15% e para as de day trade é de 20%.

Quais são as dúvidas mais comuns da venda a descoberto?

Com todas as informações vistas até aqui, você definiu que vai operar vendido, mas ainda tem algumas dúvidas? Então, vamos fechar este conteúdo com as explicações dos questionamentos mais comuns para você executar suas operações da maneira certa. Confira!

O que acontece se as ações ficarem na carteira por mais de um dia?

Para operar vendido por alguns dias, você precisa realizar o aluguel das ações pelo home broker da corretora de valores. Desse modo, você pode encerrar o short selling e ter mais calma para continuar a operação e concretizar seu lucro ou prejuízo. Assim, a margem de garantia será devolvida.

Como calcular a margem de garantia?

Ao decidir se compensa fazer uma operação a descoberto, é preciso calcular a margem de garantia. O motivo, como vimos, é a alavancagem, o que significa que há riscos e é necessário garantir que o detentor das ações receberá a sua comissão.

Caso você tenha lucro, a quantia exigida como margem é devolvida. Caso contrário, terá o prejuízo descontado. Para definir o montante a ser usado como margem de garantia, é preciso considerar as ações escolhidas e a plataforma de negociação.

De toda forma, assim que você contratar o aluguel, o home broker indica quanto você precisará dispor para a operação.

Sempre é obrigatório fazer o aluguel de ações?

Para operar vendido, também é possível atuar como day trader. Ainda será cobrada uma margem de garantia, mas é dispensado haver o aluguel de ações. Nesse caso, você precisa iniciar e encerrar a posição no mesmo pregão.

Em resumo, a venda a descoberto é mais uma oportunidade do mercado financeiro, mas ela exige experiência, conhecimento e análise. Existem riscos implicados, como em qualquer operação financeira. No entanto, com as dicas deste guia completo, você já sabe tudo que precisa fazer.

Gostou deste conteúdo? Então, leia agora os artigos que separamos exclusivamente para você! Confira:

abra sua conta warren trade