LCI, ou Letra de Crédito Imobiliário, é um título de renda fixa utilizado para financiar exclusivamente o mercado de imóveis. Esse ativo é usado por instituições financeiras como instrumento de captação de recursos.

Para incentivar o investimento no setor imobiliário, o governo oferece isenção do imposto de renda, tanto na fonte quanto na declaração, para as pessoas que investem em LCIs.

Como funciona a LCI na prática? 

Quem tem interesse em investir em uma Letra de Crédito Imobiliário deve escolher uma instituição financeira para aplicar o seu dinheiro. Um dos aspectos a se levar em conta na hora de tomar essa decisão é pesquisar para descobrir quais delas oferecem uma boa rentabilidade.

Escolhida a instituição, é preciso definir qual o tipo de LCI em que se pretende investir. Elas apresentam diferenças com relação ao modelo de rentabilidade:

  • Prefixado: na modalidade prefixada, o investidor sabe exatamente qual é o retorno que sua aplicação irá oferecer, pois a rentabilidade é definida previamente.
  • Pós-fixado: neste tipo de LCI, o retorno final dependerá de algum indicador financeiro, como o Certificado de Depósito Interbancário (CDI) ou a taxa Selic. Nesse caso, a rentabilidade do investimento pode ter uma variação do que foi estimado no início da aplicação.
  • Híbrido: a opção híbrida é uma mistura da LCI prefixada e pós-fixada. Ou seja, o investidor terá uma taxa de rentabilidade estabelecida previamente, porém ela também estará atrelada à variação de outro indicador, como o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), por exemplo. 

Características da LCI

Uma das características que costumam ser associadas ao investimento em LCIs é a segurança.

Isso acontece, em parte, porque a LCI tem a proteção do Fundo Garantidor de Crédito, o FGC, o que diminui o risco de crédito do investimento. Em caso de falência da instituição que emitiu o título, para aplicações de até R$250.000, o FGC cobre o prejuízo do investidor.

Além disso, por ser um investimento de renda fixa, as oscilações do mercado geralmente têm um impacto menor nas LCIs.

Como foi dito anteriormente, também existe a vantagem da isenção do imposto de renda, o que pode tornar a LCI mais atraente em comparação com outros investimentos, dependendo do contexto. No entanto, na maior parte dos casos, existe um valor mínimo a ser investido, que pode variar a cada emissão. Ou seja, o investidor não pode escolher este ativo se não tiver a quantia necessária para aplicar.

Também é importante mencionar que as LCIs, assim como as LCAs (Letras de Crédito do Agronegócio), podem apresentar uma carência, ou seja, um tempo mínimo que o investidor precisa esperar até poder resgatar o seu dinheiro.

Por isso, é possível dizer que, muitas vezes, a LCI oferece uma liquidez mais baixa, ou seja, ela não permite ao investidor o resgate rápido do capital investido. Mesmo no caso de títulos que não possuem o período de carência, o mais comum é que o dinheiro só possa ser acessado na data do vencimento da aplicação, definida no momento em que se contrata o título.