Yield é um termo que vem da língua inglesa e quer dizer rendimento. Expresso em percentuais, ele é um indicador do retorno que um investimento oferece durante um determinado período de tempo.

Além disso, o yield também pode ser utilizado como ferramenta para a análise do estado, atual ou passado, de uma empresa.

Como funciona o yield?

Este indicador financeiro é calculado a partir da divisão direta de duas informações: o valor dos dividendos pagos por ação dividido pelo valor unitário da ação. Dividendos são a parcela de lucro que a empresa paga aos acionistas.

Dessa maneira, podemos usar a seguinte fórmula para calcular o yield:

Yield = Dividendos pagos pela ação / Valor da ação

Os lucros sobre os investimentos em ações podem vir de duas formas. 

A primeira acontece quando há um aumento de preço. Nela, o investidor compra uma ação por um determinado valor e, após um ano, consegue vendê-la por um valor mais alto.

A segunda seria quando essa ação rende dividendos ao investidor no período de um ano.

O yield seria a valorização do preço da ação, somada a qualquer dividendo recebido, dividido pelo seu preço original. 

Digamos que você comprou uma ação por R$100 e, um ano depois, vendeu essa mesma ação por R$120. Além disso, recebeu da empresa R$2 de dividendos. Nesse caso, o cálculo do yield ficaria assim:

(R$ 20 + R$ 2) / R$ 100 = 0,22 ou 22%

O yield pode ser considerado uma renda fixa obtida pelo investidor, uma vez que as empresas tendem a manter uma política de dividendos mais ou menos estável de um ano para o outro.

Também é comum que o investidor ganhe um benefício adicional com a reavaliação da ação.

Este índice financeiro ainda é utilizado para analisar a rentabilidade dos acionistas e verificar se há reavaliações de preços, com o objetivo de entender como isso pode afetar a situação da empresa.

Normalmente, o cálculo anterior é usado ​​para analisar se uma empresa obteve lucratividade, mas também pode ser utilizado para previsões, adicionando os dividendos estimados para o ano seguinte.

Tipos de yield

O yield pode variar de acordo com o título investido, a duração do investimento e a rentabilidade. Aqui separamos alguns dos seus principais tipos:

  • Yield on cost (rendimento no custo): serve para medir o dividendo em relação ao preço de aquisição da ação. Ele é calculado dividindo-se o dividendo atual de uma ação pelo preço originalmente pago por essa ação, desconsiderando seu atual preço de mercado.
  • Current yield (rendimento atual): é o rendimento anual de um investimento, com juros ou dividendos, dividido pelo preço atual do título. Ele analisa o preço vigente do título, no lugar de seu valor de resgate. O current yield aponta qual seria o rendimento de um investidor ao comprar e manter um título durante um ano.
  • Yield to maturity (rendimento até o vencimento): o yield to maturity tem como objetivo indicar qual seria o retorno de um investidor se ele comprasse e mantivesse um título até o seu prazo de vencimento. 

Vantagens de utilizar o yield

O yield, utilizado com outro indicador denominado payout, que é a parte do lucro da empresa distribuída em dividendos, indica se o negócio pode distribuir seus lucros entre os acionistas ou deve alocá-los nas reservas.

Uma das principais vantagens de usar o yield é para ver se uma empresa é lucrativa ou não. Nesse sentido, pode-se verificar duas situações:

  • Se o rendimento aumenta a cada ano: isso significa uma oportunidade de investimento, pois a remuneração dos acionistas aumenta e as ações estão baratas.
  • Se o rendimento é menor a cada ano: os dividendos para os acionistas diminuem com o tempo e o preço das ações fica cada vez mais caro. Embora possam parecer dados negativos, a empresa pode estar em expansão e necessitar de recursos para essa expansão.

Como é possível perceber, o yield pode ser usado de várias maneiras para analisar uma empresa e entender quais são as melhores estratégias para colocar em prática.