Como transformar planos em realidade com a Warren?

A pandemia virou nossas vidas de pernas para o ar, não é mesmo? Muitos querem que ela passe logo para que possam recuperar o quanto antes sua antiga rotina. 

Outros, no entanto, estão sonhando com mudanças. 

Se você faz parte do primeiro grupo, só resta esperar; se você é do segundo grupo, precisa se planejar para realizar o que deseja.

Quais mudanças você quer fazer?

Quer continuar trabalhando de casa? Sempre ou só alguns dias? Buscar uma vida mais saudável? Ficar mais tempo com os filhos? Iniciar um plano de aposentadoria? Construir ou reconstruir sua reserva de imprevistos? Diminuir os gastos para poder pagar as dívidas? Voltar a estudar? Mudar de emprego, de namorado, de cônjuge, de casa ou de cidade? Ou, quem sabe, ter mais tempo para você?

SAIBA MAIS | Como investir em diferentes momentos de vida?

Como você sabe, nem sempre é fácil transformar os planos em realidade. A estrutura cerebral que pensa no futuro não é a mesma que pensa no agora. 

Diversas pesquisas no campo da Neurologia demonstram como nosso cérebro realmente trabalha. Uma das conclusões mais interessantes é a de que o cérebro dos seres humanos também é resultado de uma lenta evolução.

Felizmente, com esse cenário, as Finanças Comportamentais e a Warren podem te dar uma boa ajuda com relação aos planos financeiros. Mas, antes disso, vamos nos aprofundar um pouco em nosso cérebro e seu processo de evolução.

O nosso cérebro e o processo de evolução

Um dos modelos mais interessantes para representar o cérebro foi proposto pelo neurocientista Paul D. MacLean. Segundo ele, o cérebro humano é composto por três sistemas: 

  • O complexo reptiliano
  • O límbico 
  • O neocortical

O cérebro reptiliano está preocupado basicamente com as funções de sobrevivência e as que nos geram prazer. Essa estrutura faz com que nos comportemos da mesma forma que um jacaré. E o jacaré só se move para se alimentar, se defender, se reproduzir ou para ir a um lugar mais confortável.

O sistema límbico, que compartilhamos com outros mamíferos, controla as emoções e experiências subjetivas de afeto, medo, raiva, tristeza, alegria. Os mamíferos tiveram de desenvolver um sistema afetivo para se apegar aos filhotes, que ainda dependem dos pais para continuar se alimentando após o nascimento. Se tivéssemos apenas esses dois primeiros sistemas, nos comportaríamos como um tigre.

Finalmente, desenvolvemos o córtex pré-frontal – gosto de chamá-lo de Sr. Spock, o Vulcano da série Star Trek, personagem que age baseado na lógica, desprezando emoções. O córtex frontal ou neocórtex controla nosso pensamento abstrato e a razão, está constantemente analisando o passado e programando o futuro. 

Como o jacaré e o tigre só entendem o presente, eles não se metem nos nossos planos. Quando pensamos que, no futuro, teremos que comer menos e fazer mais exercícios físicos para melhorar nossa saúde e viver melhor, esse pensamento não passa pela parte jacaré do nosso cérebro. 

Mas quando o futuro finalmente chega e ligamos a esteira para nos exercitar, o jacaré vai à loucura. Ele não consegue entender por que estamos nos submetendo a tamanho desconforto, se não há nenhum animal correndo atrás de nós ou outro perigo iminente.

Quando planejamos economizar e colocar nossas contas em dia, o tigre também não se intromete na decisão. Mas quando recebemos o convite de amigos para uma viagem no final de semana, ele quer o conforto de estar em um grupo afetuoso e agradável – e não se preocupa em economizar despesas.

O jacaré e o tigre de nosso cérebro são muito mais rápidos nas decisões. E eles estão preocupados somente com o agora. Eles querem nosso prazer e nosso conforto emocional imediato. Já o Sr. Spock é uma máquina de retrabalhar o passado e projetar o futuro.

Hoje sabemos que nossas decisões não são tomadas apenas pelo córtex, como acreditava a economia clássica. Atualmente, a economia comportamental busca criar modelos de como efetivamente nos comportamos, tentando modelar a influência das estruturas infracorticais nos nossos processos de decisão. 

É aí que as Finanças Comportamentais e a Warren entram para ajudar.

abra sua conta warren

Como transformar planos em realidade na Warren

Para facilitar o cumprimento dos planos que envolvem recursos financeiros, a Warren tem a aba Carteiras, ali você pode dividir seus investimentos em diferentes objetivos. Pode ter a carteira aposentadoria, casa nova, estudo dos filhos, mas pode também ter a carteira férias na praia ou viagem ao exterior. 

Enquanto você faz seus investimentos, pode distrair o rápido jacaré com uma promessa de uns dias relaxando ao sol e escutar o sensato Sr. Spock para colocar parte dos seus recursos em planos de longo prazo.

SAIBA MAIS | Reveja a Live Carteiras do Warren 3.0 

Como o Sr. Spock passa muito tempo analisando o passado e se preocupando com o que está por vir, ele sabe que algumas coisas precisam ser feitas. Sabe que precisamos fazer reservas para o estudo dos filhos ou para nossa aposentadoria. 

Porém, muitas vezes, o córtex esquece de que precisamos de prazer e conforto emocional no presente. Então, para ter uma vida equilibrada e realizar nossos planos, é preciso escutar os anseios do jacaré e do tigre, sem esquecer do Sr. Spock.

Gostou deste artigo do Jurandir? Aproveite para ler os outros textos dele aqui no blog da Warren:

abra sua conta trade warren