FAANG: conheça o acrônimo das big techs — e veja como investir nelas

FAANG é um acrônimo que reúne as letras iniciais das empresas de tecnologia mais poderosas dos últimos anos: Facebook, Apple, Amazon, Netflix e Google.

O responsável por sua criação é Jim Cramer, um apresentador da rede CNBC especialista no mercado financeiro, que é considerado uma autoridade na Bolsa de Valores.

Você certamente conhece todas essas empresas e percebe que elas fazem parte do seu dia a dia, certo? 

Ao escalar seus produtos e serviços globalmente, as FAANG apresentaram um crescimento exponencial nos últimos anos, liderando o ranking de empresas com maior valor de mercado do S&P 500.

Mas será que vale a pena investir nessas empresas?

Neste artigo, nós vamos detalhar as empresas que formam o FAANG e vamos comentar o seu desempenho recente. Ao fim do artigo, você também vai entender como investir nessas companhias. 

Vamos juntos? Boa leitura!

O que é FAANG

Primeiro entenda o que é FAANF, ilustração

FAANG é o acrônimo do grupo de empresas formado por Facebook, Amazon, Apple, Netflix e Google, consideradas referências em seus mercados e também símbolos das relações de consumo e comportamento na economia digital em um mundo globalizado.

Juntas, essas empresas somam um valor de mercado que supera o PIB de alguns países. Para você ter uma ideia, montamos uma tabela simples, com dados do início de outubro. Compare:

EmpresaValor de mercado
FacebookUS$ 755 bilhões
AppleUS$ 1,99 trilhão
AmazonUS$ 1,60 trilhão
NetflixUS$ 233,9 bilhões
GoogleUS$ 1 trilhão


Para fazer uma comparação inusitada — sem querer comparar estoque com fluxo —, em 2019, o PIB brasileiro foi de R$ 7,3 trilhões, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Qual a origem do acrônimo FAANG?

Como já adiantamos, a sigla FAANG foi sugerida pelo apresentador Jim Cramer, da rede CNBC. Desde então, passou a ser adotada pelo restante do mercado para falar sobre as ações e influências dessas gigantes no mercado.

Uma das discussões que a FAANG sempre suscita, por exemplo, é o monopólio de mercado e a suposta ausência de competição. O presidente Donald Trump recorrentemente cita as empresas FAANG se referindo a elas como o “grupo do um trilhão de dólares”.

No entanto, a sigla não incluía a Apple em 2013, ano do seu surgimento, sendo, portanto, intitulada FANG.

De lá para cá, depois da inclusão da empresa que teve Steve Jobs como principal chairman, algumas mudanças foram propostas no acrônimo. São elas:

  • Junho de 2017: o Goldman Sachs sugere a inclusão da Microsoft, formando a sigla FAAMG;
  • Outubro de 2017: o Bank of America propôs a entrada da Broadcom (AVGO) e da Adobe, mudando a sigla para FAAANG;
  • Julho de 2018: é a vez do Financial Times, que propõe uma sigla alternativa, a MAGA que significa “Make America Great Again” e também “Microsoft, Apple, Google e Amazon”;
  • Agosto de 2018: o próprio Jim Cramer propõe os holofotes para outro grupo, agora chamado WANG que inclui Walmart, Apple, Netflix e Google;
  • Maio de 2019: dois analistas da Wall Street sugerem a entrada da Uber nas ações FAANG, mas sem orientação de onde a letra “U” entraria na sigla;
  • Outubro de 2019: Jim Cramer agora propõe a substituição da Netflix pela Microsoft;
  • Junho de 2020: a Baird afirmou preferir o grupo de ações WASP, que inclui Wayfair, Amazon, Shopify e PayPal, em vez das ações FAANG;

Todas as sugestões giram em torno de empresas que dominam seus mercados e detêm patrimônios trilionários (ou próximo disso), porém, a formação tradicional da FAANG ainda é a principal referência para ações de empresas fortes e ligadas à tecnologia nos últimos anos.

LEIA TAMBÉM | Como e por que investir em ações americanas?

Banner BDRs 2

Empresas do FAANG

Para investidores que usam a análise fundamentalista ou fazem stock picking, é muito importante conhecer as empresas negociadas na bolsa, seus desempenhos atuais e perspectivas de crescimento.

No caso das FAANG, não é difícil encontrar estatísticas e notícias sobre elas.

Facebook (FB)

Para o público geral, o Facebook é apenas uma rede social. Para os investidores, trata-se de um conglomerado americano das mídias sociais que tem seu capital aberto nas bolsas americanas.

Entre as redes que fazem parte do grupo, destacamos, além do próprio Facebook, o Instagram e o WhatsApp.

O IPO da empresa foi em 2012, um dos maiores na história da Nasdaq. Na época, suas ações foram precificadas a US$ 38 e, atualmente, é negociada em torno de US$ 265.

Seu código de identificação é FB e, sua maior e absoluta fonte de receita são os anúncios em seus canais.

Amazon (AMZN)

Já a Amazon, negociada com a sigla AMZN, tem um modelo de negócio do tipo e-commerce, com fontes de receitas variadas, como as vendas online, lojas físicas, parte das vendas de serviços, serviços de assinaturas, Amazon Web Services e outros.

A estreia da Amazon na Bolsa de Valores é mais antiga, do ano 1997. Porém, ela não fez seu IPO como o mega e-commerce que é hoje e, sim, como “A maior livraria da Terra”.

No dia do seu lançamento, foi precificada em US$ 18 e fechou o dia em US$ 23,50. A empresa de Jeff Bezos se reinventou diversas vezes e, na atualidade, está valendo US$ 3.157 aproximadamente.

Apple (AAPL)

O IPO da Apple (AAPL) foi em dezembro de 1980, com suas ações precificadas em US$ 14 e vendidas no fechamento por US$ 29.

Antes disso, a empresa já contava com investidores independentes que, nessa primeira oferta pública de ações, tornaram-se os primeiros milionários com o retorno que receberam com ações da Apple.

A receita da Apple vem, basicamente, da venda de seus produtos. Em ordem de importância, podemos listar:

  • iPhone: 62,76%
  • Serviços da marca: 14%
  • Mac: 9,60%
  • iPad: 7,08%

Na atualidade, as ações da Apple são comercializadas, em média, por US$ 115, depois de passarem pelo quinto processo de desdobramento recentemente.

Netflix (NFLX)

A Netflix é uma empresa que atualmente oferece serviços de streaming. Seu IPO aconteceu em maio de 2002. Com o código NFLX, oferta inicial era de US$ 15.

Nessa época, a receita central da empresa ainda era a distribuição de DVDs em domicílio nos EUA. Ela só migrou para o modelo on demand anos depois.

Atualmente, a empresa tem mais de 160 milhões de assinantes e está presente em mais de 190 países. O crescimento vertiginoso das ações — e do lucro da empresa — nos últimos anos é a explicação para ela fazer parte do acrônimo.

Google (GOOG)

Sinônimo de Internet, o Google é responsável por 77% de todo o tráfego global em pesquisas em computadores, e mais de 94% do tráfego em celulares. São pelo menos 2 trilhões de buscas por ano no buscador.

O Google também é um modelo de negócios que gera a maior parte de suas receitas por anúncios em seus canais, mas, como se sabe, em 2015 a empresa renomeou sua gestão para Alphabet para expandir seu portfólio de negócios.

Mais 85% dos ganhos do Google são de seus anúncios. O IPO do Google ocorreu em agosto de 2004, com uma precificação de US$ 85 e no fechamento do dia, já valia US$ 100,34. Com as siglas GOOG e GOOGL, suas ações valem cerca de US$1.480 atualmente.

Como vimos, as empresas integrantes da FAANG têm forte apelo tecnológico, mas, essencialmente, não são concorrentes em seus mercados —  pelo contrário.

Agora, vamos entender por que as FAANG ganharam os holofotes ainda mais em 2020.

SAIBA MAIS | Os resultados trimestrais de Apple, Amazon, Alphabet e Facebook

Desempenho das FAANG em 2020

Nos últimos meses, as ações das FAANG se descolaram de tal maneira do índice S&P 500, que surgiram dúvidas sobre a sustentabilidade desse crescimento.

Há quem aponte, inclusiva, uma bolha nas ações FAANG em 2020. O questionamento do mercado é válido, afinal, esses papéis continuam se valorizando mesmo nesse ano devastador para as economias globais.

O medo é que as FAANG produzam o mesmo efeito das empresas pontocom iniciado no ano 2000, mas, de acordo com Warren Buffett, por exemplo, a situação é bem diferente

Empresas que causaram tal efeito de bolha estavam precisando de capital, o que não é o caso do grupo FAANG. Pelo contrário: elas estão crescendo vertiginosamente em termos de receita e lucro, o que alavanca as expectativas do mercado e os valores de suas ações.

Para entender melhor, basta olhar o desempenho das empresas de tecnologia nas bolsas de valores e refletir: você consegue imaginar sua vida sem a interação com, pelo menos, uma dessas empresas? 

Difícil, não é mesmo?

Com a necessidade do isolamento social para conter a pandemia, as soluções das empresas do grupo FAANG nunca foram tão importantes.

O isolamento social potencializou ainda mais a comunicação via redes sociais e mostrou que a tecnologia é essencial para a vida, o trabalho e até o lazer.

Um gráfico compilado pela casa de análise NDR mostra como as FAANG vêm praticamente carregando o índice S&P 500 nos últimos anos. Observe o recorte de 2014 a 2020:

S&P 500 Index vs FAANG, gráfico

Incrível, concorda?

Agora, vamos entender como investir nessas empresas com as quais você convive diariamente.

Como investir nas FAANG

Pensando nos investidores que desejam investir nas FAANG e em outras empresas de tecnologia, a Warren está lançando o fundo Warren Tech.

O fundo investirá em empresas sólidas do setor de tecnologia, incluindo algumas das FAANG, como Netflix, Google e Apple. Mais do que isso: também vai olhar para companhias com capacidade de crescimento, como Zoom e Docusign.

Quer conhecer mais? Inscreva-se na pré-lista para clientes interessados em investir nesse fundo e comece a receber conteúdos exclusivos sobre o segmento. Os primeiros investidores receberão vantagens, então vale a pena ficar por dentro.

Para investir nas FAANG, o investidor também pode optar pelas BDR, ou, Brazilian Depositary Receipts que são negociados na B3. Outra solução é optar pelo fundo Warren Ações Americanas que replica o índice S&P 500 e, por isso, também está exposto às ações FAANG.

Assim como os outros fundos da Warren, não há taxa de administração, nem taxa de performance. Você conta com a expertise dos gestores da Warren para alocar o seu patrimônio de forma diversificada, respeitando os seus objetivos e o seu perfil de investidor.

Quer começar? 

Abra sua conta na Warren e acompanhe de perto o desempenho do Fundo Warren Tech.

Banner