Fundo de Renda Variável: entenda o que é e aprenda como e por que investir

Um fundo de renda variável é, antes de tudo, um conjunto de ativos dessa categoria. A diferença é que, ao invés de escolher as rendas uma a uma, os papéis serão selecionados por um gestor financeiro.

A verdade é que, quando se trata de renda variável, podem surgir muitas dúvidas. Em especial entre investidores que estão começando agora.

Mas com a queda da taxa básica de juros, a Selic, mais pessoas estão deixando os investimentos de renda fixa de lado e estão procurando rendimentos melhores. 

Para mitigar os riscos, é fundamental diversificar os investimentos. É aí que entra o fundo de renda variável. Essa é uma maneira mais prática de investir nessa categoria. 

Pensando nisso, preparamos esse artigo completo.

Você aprenderá mais sobre: 

  • O que é o Fundo de Renda Variável?
  • Tipos de Fundo de Renda Variável
  • 3 Vantagens de Investir em Fundo de Renda Variável
  • 3 Desvantagens de Investir em Fundo de Renda Variável
  • Fundo de Renda Varável x Fundo de Renda Fixa
  • Rendimentos do Fundo de Renda Variável
  • Por que Investir em Fundo de Renda Variável?
  • Invista com a Warren
  • Conclusão

Boa leitura!

O que é Fundo de Renda Variável?

O que é fundo de renda variável, ilustração

O fundo de renda variável é como uma carteira de investimentos pré selecionada. Isso é, trata-se de um conjunto de ativos da categoria de renda variável.

A grande diferença entre investir em um fundo e adotar uma carteira recomendada é que, nessa última, você não pode alterar os papéis do fundo. 

Isso acontece pois cada fundo de investimento conta com um gestor financeiro. Ele é um profissional destinado a selecionar os ativos e observar constantemente as movimentações do mercado para você.

O objetivo do gestor financeiro é buscar a melhor performance possível para sua carteira de investimentos. Para o investidor, fica o trabalho de monitoramento dos resultados do fundo, através dos relatórios emitidos, normalmente a cada mês.

Dessa maneira, você decide se é um bom negócio manter ou vender sua parte no fundo de renda variável, chamada de cota. 

Os rendimentos e taxas do fundo são distribuídos entre os investidores de maneira proporcional ao número de cotas adquiridas. Ou seja, quanto maior seu investimento, maiores as possibilidades de ganhos — e tributações. 

Tipos de Fundo de Renda Variável

Um fundo de renda variável é classificado de acordo com a distribuição dos seus ativos. 

Segundo a ANBIMA, para ser considerado um fundo da categoria, ele deve contar com um portfólio de, no mínimo, 67% do patrimônio alocado em investimentos de renda variável.

Os títulos que se enquadram nessa descrição são aqueles cujo o rendimento não pode ser previsto com precisão. Alguns exemplos são ações, contratos futuros e câmbio. 

Normalmente, os fundos também são divididos em algumas subcategorias, de acordo com os ativos que fazem parte de seu portfólio.

Veja alguns exemplos a seguir: 

Ações

Ações são como pequenas frações do capital de uma empresa. Esses talvez sejam os ativos de renda variável mais conhecidos. 

Mesmo assim, muitas pessoas têm receio de começar a investir em ações. Afinal, são muitas opções e é preciso realizar análises mais complexas do mercado antes de decidir. 

No fundo de renda variável de ações, esse trabalho fica por conta do gestor. Geralmente, ele seguirá as tendências do mercado e as regras estabelecidas pelo fundo. 

Por exemplo, você pode investir em ações do setor de infraestrutura ou em ações de pequenas empresas. Existem até mesmo fundos que priorizam ações de empresas que demonstrem políticas de diversidade na contratação ou conservação do meio ambiente. 

Assim, é mais fácil para o investidor. Você precisa monitorar apenas a performance do fundo e não de cada ativo, individualmente. Outra vantagem: é mais barato contar com uma carteira diversificada — e, portanto, mais segura.

Commodities

Os commodities são matérias primas essenciais, isto é, produtos com baixo nível de industrialização.

Commodities são comercializados em altas quantidades e não dependem de marcas ou empresas específicas. 

Alguns tipos de commodities são: 

  • Agrícolas: soja e trigo 
  • Mineral: ouro e ferro
  • Financeiro: índices e moedas
  • Recursos Energéticos: etanol e petróleo.

Para investir em commodities, é necessário aplicar em contratos futuros ou, é claro, em um fundo de renda variável cujo portfólio contenha ativos nessa categoria. 

Derivativos

Os derivativos são ativos cujo valor deriva do comportamento de outro produto – o ativo-objeto. Ou seja, seu valor oscila de acordo com outro indicador – produto ou ativo. 

Investir em derivativos é considerado uma operação de alto risco, normalmente com fins de alavancagem ou hedge, que é uma proteção contra a desvalorização. 

O fundo de renda variável pode alocar parte do seu portfólio em derivativos com esses objetivos. Além disso, o risco nesse tipo de operação é reduzido, devido à diversificação. 

Mas lembre-se: todo investimento – especialmente em renda variável – traz algum tipo de risco.

Assim, analise os ativos para garantir que estão alinhados com seu perfil de investidor e objetivos financeiros. 

Imóveis

Chamados de fundos imobiliários, esse tipo de fundo de renda variável trata-se de um conjunto de frações de empreendimentos imobiliários ou ativos do setor. 

Alguns exemplos de ativos são frações de empreendimentos como lajes corporativas, shopping centers e galpões. Fundos com esses tipo de aplicações são conhecidos como FIIs de Tijolo. 

No entanto, quando a maior parte do portfólio é composta por ativos do setor – como CRIs e LCIs – eles são conhecidos como FIIs de Papel.

3 Vantagens de Investir em Fundo de Renda Variável

Vantagens de investir em fundo de renda variável, ilustração

Investir neste fundo é uma boa ideia para quem tem desde um perfil de investimento moderado até arrojado e para objetivos de longo prazo. 

Lembre-se: é importante ler com cuidado a descrição do fundo, suas regras e objetivos. Além disso, também é fundamental acompanhar a performance passada e checar a classificação de risco. 

Com isso em mente, veja as principais vantagens desse tipo de investimento: 

Diversificação

Como o fundo de renda variável trata-se de um conjunto de ativos, você já conta com uma boa diversificação da carteira, mesmo investindo apenas em um fundo. 

Assim, essa é uma boa opção para quem está começando a investir ou simplesmente não tem tempo, ou vontade de monitorar diversos ativos todos os dias. 

Fundos de Investimento em ações possuem tributações menores

Com o objetivo de incentivar o investimento em ações, esse tipo de fundo está sujeito a regras específicas de tributação, com alíquotas menores. 

Veja as diferenças: 

  • Imposto sobre Operações Financeiras (IOF): não há incidência.
  • Imposto de Renda: 15%, independentemente do prazo de permanência. Incide sobre a valorização das cotas e não estão sujeitos ao “come-cotas”.

Além disso, o recolhimento do IR fica a cargo da administradora do fundo. 

Aporte Inicial e Potencial de Rendimento

Com um fundo de renda variável, é possível começar investindo menos. Principalmente quando você considera que está adquirindo uma carteira diversificada, com a administração de um profissional. 

O aporte inicial é listado na descrição do fundo. Os valores costumam variar entre R$ 100 e R$ 10 mil. 

Além disso, como qualquer ativo em renda variável, o potencial de rendimento é bem maior quando comparado com as opções em renda fixa.

Fundo de Renda Variável x Fundo de Renda Fixa

E então, qual é melhor: investimento em fundo de renda variável ou fundo de renda fixa? Para responder essa pergunta é preciso analisar seu perfil de investidor e seus objetivos. 

O ideal, na verdade, é diversificar sua carteira o máximo possível. Nada impede que você tenha aplicações nos dois tipos de fundo, com o objetivo de reduzir os riscos e potencializar os rendimentos. 

Tendo isso em mente, veja a comparação de características entre os fundos: 

Fundo de Renda FixaFundo de Renda Variável
Rendimento previsívelRendimento imprevisível
Baixo riscoMédio a alto risco
Menor potencial de rendimentoMaior potencial de rendimento
Perfil conservadorPerfil moderado a arrojado
Poucas opções de investimentoMaior variedade de opções
Poucas variáveisMuitas variáveis e oscilações
Retorno medido pelo CDIRetorno medido pelo Ibovespa

Rendimento do Fundo de Renda Variável

Rendimento do fundo de renda variável, ilustração

O potencial de retorno em um fundo de renda variável é muito maior que em um fundo de renda fixa. Contudo, o rendimento atua exatamente como seu nome sugere: sujeito a oscilações. 

No mundo dos investimentos, uma das regras gerais aponta que quanto maior o risco que você estiver disposto a correr, maiores serão suas possibilidades de ganhos.

No entanto, as possibilidades de prejuízos também irão aumentar. 

Como você viu na tabela do último tópico, o fundo de renda variável tem seu rendimento medido pela Ibovespa. Ao mesmo tempo, a renda fixa está atrelada ao CDI.

Veja a seguir a comparação entre os dois índices: 


CDI Acumulado*Variação IBOVESPA*
20186,42+ 15,0325%
20194,66+ 21.57%

*dados referentes a 12/11/2019

Note que, enquanto o CDI está baixando, a IBOVESPA segue em crescimento. Esse é um padrão esperado com a queda da taxa básica de juros (Selic).

Essa é uma tendência que deve continuar em 2020. Assim, os investimentos de renda variável terão rendimentos mais atrativos.

Por que Investir em Fundo de Renda Variável?

Investir neste fundo é uma ótima opção para quem procura melhores rendimentos. 

Isso acontece pois você conta com vantagens como:

  • aporte inicial mais acessível;
  • diversificação;
  • facilidade;
  • boa liquidez; 
  • gestor com experiência no mercado financeiro. 

No entanto, devemos ressaltar que esse é um investimento recomendado para quem já possui uma reserva de emergência. Além disso, trata-se de uma opção mais indicada para perfis entre moderado e arrojado. 

Qual o melhor fundo de renda variável

A escolha vai depender dos seus objetivos e perfil. Além, é claro, do capital que você tem disponível para começar. 

Independentemente do que você procura, oferecemos as melhores opções aqui na Warren. Veja alguns exemplos de fundos no nosso portfólio: 

Invista em Fundo de Renda Variável Com a Warren

E então? Após ler esse artigo, está decidido de que um fundo deste tipo é o que você está procurando? Saiba que, aqui na Warren, você pode começar a investir hoje mesmo! 

Investindo com a gente, você conta com as melhores opções de fundos, além de sugestões incríveis para sua carteira de investimentos. 

Basta clicar aqui para abrir sua conta

Não se preocupe: é tudo bem rápido e intuitivo. No fim do cadastro, você já fica sabendo qual seu perfil de investidor e quais as nossas melhores sugestões para você!

Conclusão

Um fundo de renda variável é como uma carteira de investimentos pré-selecionada para você. Nele, um gestor escolhe quais os ativos mais promissores da categoria, segundo as regras do fundo.

O principal objetivo desse gestor financeiro é atingir a melhor performance possível, potencializando seus rendimentos. 

No entanto, esse é um tipo de investimento recomendado para perfis do moderado ao arrojado e para carteiras de longo prazo. Isso porque, mesmo com a diversificação, ainda existem riscos. Ativos variáveis podem sofrer algumas oscilações imprevisíveis. 

Então, é importante ler com atenção a descrição dos fundos e ter algum conhecimento do mercado financeiro, antes de optar pelo fundo de renda variável. 

Quer aprender ainda mais sobre investimentos? Leia também os outros artigos que separamos para você: