Fundo Warren Crédito Privado: renda fixa com performance e baixo risco

Você já imaginou um investimento com a segurança da renda fixa, mas com potencial de rentabilidade superior aos títulos públicos? Esse produto existe e é o Fundo Warren Crédito Privado

Lançado em maio de 2018, o fundo foi concebido pela Warren com o objetivo de ser mais uma opção de diversificação em renda fixa exclusiva para os nossos clientes. 

Apesar de ser um produto de renda fixa, ele foi feito pensando em todos os perfis, seja você um conservador que deseja ir além, um moderado que acha os títulos públicos muito mornos ou um arrojado que deseja proteger uma parte do patrimônio.

Com a taxa Selic nas mínimas históricas, você provavelmente concorda que um dos principais desafios do investidor com baixa tolerância ao risco é encontrar opções para diversificar a sua carteira.

Como buscar um retorno acima de títulos públicos e da inflação na renda fixa? A resposta é simples: incluindo um pouco mais de risco na carteira.

Dentro do universo da renda fixa, esse risco está, principalmente, no crédito privado ou em um fundo de crédito privado, como é o caso do Fundo Warren Crédito Privado.

Vamos entender melhor? Neste artigo, você vai conhecer todos os detalhes deste fundo de renda fixa, passando pelos seguintes tópicos:

  • O que é o Fundo Warren Crédito Privado
  • Estratégia do fundo Warren Crédito Privado
  • Para quem o Fundo Warren Crédito Privado é indicado
  • Características do Fundo Warren Crédito Privado
  • Rentabilidade do Fundo Warren Crédito Privado
  • Como investir no Fundo Warren Crédito Privado

Vamos juntos? Boa leitura!

O que é o Fundo Warren Crédito Privado? 

Entenda o que é o Fundo Warren Crédito Privado, ilustração

O Fundo Warren Crédito Privado é um produto de renda fixa, que tem o seu patrimônio aplicado em títulos de crédito privado. 

Mas o que são títulos de Crédito Privado? Vamos começar do início. 

Quando você precisa de dinheiro para comprar um apartamento, mas não tem, o que você faz? Pede empréstimo ao banco, um financiamento.

O mesmo acontece com as empresas. 

Elas precisam de recursos para financiar os seus projetos, investir em melhorias e trabalhar na sua expansão. 

Uma das estratégias que elas utilizam é emitir títulos, que são justamente o que conhecemos por crédito privado

Esses papéis são comprados por investidores, que se tornam os financiadores dessas empresas.

Assim, você se torna credor — porque está emprestando dinheiro para elas — e a companhia consegue o dinheiro para os projetos.  

Dessa forma, os fundos de crédito privado são compostos por títulos de empresas privadas que emitem esses papéis. 

Em troca desse empréstimo, você recebe juros como remuneração

Mas por que os fundos de crédito privado costumam render mais do que os títulos públicos?

Isso acontece porque o mercado financeiro tende a oferecer maiores retornos para os investimentos de maior risco

Ou seja, maior percentual de juros como rentabilidade. 

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, também há risco na renda fixa.

É importante entender que não existe investimento com risco zero, e sim baixo risco. 

A renda fixa, por exemplo, costuma ser de risco baixo. 

No entanto, nos fundos de crédito privado, os emissores são empresas privadas, ao contrário dos títulos públicos, que são emitidos pelo Governo. 

Por isso, se atrela um maior risco dessas instituições privadas falirem ou não cumprirem com o pagamento do empréstimo, ao contrário do Governo, que tem mais condições de manter os pagamentos em dia, até porque, em muitos casos, como no Brasil, pode emitir dinheiro na própria moeda. 

Mas isso não quer dizer que, ao investir em um fundo de crédito privado, você estará correndo grandes riscos, estará exposto à grande volatilidade ou precisará contar com a sorte. 

Na prática, o grau de risco é superior ao dos títulos públicos, mas fica longe de se aproximar dos investimentos em renda variável. 

Trata-se, apenas, de um grau maior de risco dentro do universo da renda fixa.

abrir conta warren carteiras, banner

Estratégia do Fundo Warren Crédito Privado 

Estratégia Fundo Warren Crédito Privado, ilustração

A estratégia do Fundo Warren Crédito Privado é diversificar o patrimônio do fundo entre os principais títulos de crédito privado do Brasil, visando sempre diluir os riscos e aumentar o potencial de retorno dos cotistas. 

Toda a gestão e atualização do fundo é feita pela equipe da Warren, por isso você não precisa se preocupar com nada ao investir no fundo. 

Essa equipe trabalha diariamente para encontrar as melhores oportunidades para esse fundo. Uma das tarefas é controlar os limites máximos de exposição em três níveis:

  • Setores;
  • Empresas;
  • Produtos. 

O fundo é predominantemente composto por debêntures, LCIs e LCAs. 

Debêntures são títulos de renda fixa emitidos por empresas privadas. Ou seja, você empresta dinheiro para uma empresa e, ao fim do contrato, recebe o valor acrescido de juros. 

Já as LCIs e LCAs — Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio — também são produtos de renda fixa, mas os recursos dos investidores são utilizados para financiar as atividades do setor imobiliário e do agronegócio. 

O Warren Crédito Privado utiliza o CDI como benckmark, ou seja, como índice de referência. A meta do fundo é entregar rentabilidade em torno de 120% do CDI. 

Empresas que fazem parte do Fundo Warren Crédito Privado

Um dos mecanismos para diluir os riscos do crédito privado é estudar o histórico da empresa emissora desses títulos. 

A reputação de mercado, os fluxos de caixa e outros indicadores da análise fundamentalista ajudam nessa seleção de boas empresas. Porém, você não precisa se preocupar em fazer essa análise. 

A equipe de gestores da Warren faz uma avaliação criteriosa das empresas que compõem o fundo. Algumas das empresas selecionadas a dedo são:

  • Angá Sabemi
  • AZ Quest
  • Angá High Yield

Conforme as variações do mercado e estratégias da Warren, a proporção e os títulos podem mudar.

Para quem o Fundo Warren Crédito Privado é indicado? 

A renda fixa, principalmente quando falamos em crédito privado, está longe de ser um investimento somente para os perfis conservadores. 

É fato que os investidores avessos ao risco e com objetivos de curto prazo devem colocar praticamente 100% do seu patrimônio na renda fixa, mas moderados e até mesmo arrojados também podem ter a renda fixa como estratégia de diversificação da carteira.

Nesses casos, o que muda é apenas o percentual de renda fixa no portfólio — quanto mais conservador, maior tende a ser o percentual.

O Fundo Warren Crédito Privado foi elaborado pensando no portfólio de qualquer investidor que deseje se expor à renda fixa. 

Assim, os conservadores que desejam se arriscar um pouco mais e ir além dos títulos públicos podem investir no Warren Crédito Privado. 

Também os moderados que buscam retornos mais vantajosos na renda fixa podem optar pelo Fundo Warren Crédito Privado como parte do portfólio. 

E os arrojados? Eles estão somente na Bolsa de Valores? Na verdade, não. 

A renda variável é de alto risco, volátil e muda a todo momento, apesar dos altos potenciais de rentabilidade no longo prazo. 

Por isso, mesmo os investidores arrojados podem investir uma parte do seu patrimônio em fundos de crédito privado. 

Essa pode ser uma estratégia para se proteger das oscilações da renda variável ou para objetivos de curto prazo, como uma viagem ou reforma da casa, por exemplo. 

Liquidez e prazos do Fundo Warren Crédito Privado

Liquidez do Fundo Warren Crédito Privado, ilustração

A liquidez de um fundo de investimento é o prazo em que o seu rendimento estará na sua conta-corrente após a solicitação de resgate. 

O Fundo Warren Crédito tem liquidez D+2. Assim, o valor estará disponível na sua conta 2 dias úteis após o seu resgate. 

Prazos do fundo 

Esse é um fundo sem prazo de vencimento, por isso você pode fazer o seu aporte a qualquer momento. Também não há taxa de carência — você pode solicitar o seu resgate sem ter que esperar um prazo mínimo. 

O horário para que você faça as suas movimentações, como novos aportes e pedidos de resgate, é de 09h30 às 12h00

Já criou a sua reserva de emergência? Entenda como montar a sua.

Características do Fundo Warren Crédito Privado

Qual o valor mínimo você precisa para investir? Quais são as taxas? Acompanhe e confira os detalhes do fundo. 

Mínimo inicial 

O valor mínimo para o seu primeiro aporte no fundo é de apenas R$ 100. 

Liquidez

Como explicamos, a liquidez é do tipo D+2. 

Movimentação mínima

Você pode fazer movimentações, novos aportes e resgates, a partir de R$ 1,00. 

Rentabilidade nos últimos 12 meses

Nos últimos 12 meses, a rentabilidade do Fundo Warren Crédito Privado foi de 128,3% do CDI. 

Taxa de administração

Não há taxa de administração nem de performance no fundo. 

Nível de Risco

O nível de risco é 2 (baixo). 

Rentabilidade do Fundo Warren Crédito Privado 

A meta da Warren com esse fundo é entregar rentabilidade em torno de 120% do CDI. Nos últimos meses, o resultado foi de 128,3%

No seu histórico de rentabilidade, o Fundo Warren Crédito Privado ficou 25 vezes acima do CDI, desde o seu lançamento em agosto de 2018, e apenas 4 vezes abaixo.

Como investir no Fundo Warren Crédito Privado? 

O Fundo Warren Crédito Privado é um produto de investimento exclusivo para os nossos clientes. Então, se você ainda não é cliente da Warren, o primeiro passo é abrir a sua conta

Após finalizar o seu cadastro e fazer o teste suitability, caso a carteira recomendada não tenha sugerido esse fundo automaticamente, você pode investir nele por conta própria. 

Basta buscar pelo nome do fundo e fazer a sua aplicação. 

O Fundo Warren Crédito Privado é um produto de renda fixa que busca manter a segurança da renda fixa, mas com um potencial de retorno maior, quando comparado aos títulos públicos. 

Tem interesse? Abra a sua conta na Warren e dê os primeiros passos! 

Se você gostou deste artigo, talvez se interesse por:

Banner | Reserva de emergência