Google: como o gigante da tecnologia chegou ao patamar atual — e por que investir na empresa

Utilizado praticamente por todas as pessoas com acesso à internet, o Google é uma empresa de tecnologia que está entre as maiores companhias do mundo, com valor de mercado estimado em mais de US$ 1 trilhão.

Em 2020, a gigante completa 16 anos de Bolsa de Valores, com valorização acumulada de 3.530% desde o IPO. 

Quando estreou no mercado acionário, as suas ações eram cotadas em US$ 85 — com as correções, hoje seria algo em torno de US$ 43. Em 2020, as ações passaram da faixa de US$ 1.544,61.

Seguramente, essa é uma das empresas que mais faz parte da sua rotina, seja no trabalho, seja nos estudos ou no entretenimento. Não é por acaso que ela está relacionada à morte das enciclopédias.

Na prática, o Google virou o seu braço direito, porque armazena trilhões de dados que ficam à sua disposição em questão de segundos. 

Seja para entender o significado de um termo, conhecer a tradução de uma palavra, descobrir uma receita, pesquisar fornecedores ou para acessar qualquer site e tirar qualquer tipo de dúvida, o Google é o caminho natural.

Disso tudo você já sabe, porque usa o Google diariamente. Mas será que vale a investir nessa empresa? 

Neste artigo, vamos apresentar os principais destaques dessa gigante da economia mundial e também vamos explicar como comprar ações do Google.

Passaremos pelos seguintes tópicos:

  • Quem é o Google
  • História do Google
  • Produtos e serviços do Google
  • Números do Google e da Alphabet
  • Desempenho das ações do Google
  • Vale a pena investir no Google a longo prazo?
  • Como investir no Google

Vamos juntos?

Quem é o Google?   

Você realmente sabe quem é o google, ilustração

O Google é uma empresa de tecnologia fundada em 4 de setembro de 1998 e que vai muito além do buscador que você acessa sempre que precisa fazer alguma pesquisa. 

A história da companhia que hoje está no top 3 das mais valiosas do mundo começou em uma garagem, lá no ano de 1995.

Os fundadores são Larry Page e Sergey Brin. Quando Page entrou para a faculdade de Stanford, Brin ficou encarregado de mostrar o campus. Dessa relação, nascia a gigante que hoje é o Google.

Desde o armazenamento de fotos, plataformas de vídeo, site de pesquisa e sistema operacional de smartphones, o Google está presente de diversas formas no nosso dia a dia. Na sequência do artigo, vamos explicar os principais produtos e serviços da empresa.

Google ou Alphabet?

O que algumas pessoas não sabem é que a detentora das ações do Google é a Alphabet

A Alphabet é uma holding, que se tornou a nova dona do Google quando comprou as suas ações. Quando isso aconteceu, o Google Inc. passou a ser a Alphabet Inc.

Com isso, as ações do Google na Bolsa passam a ser da Alphabet, porém com a mesma quantidade. Você pode perceber que, ao pesquisar por “Ações do Google”, encontrará o nome da Alphabet, porém com o Ticker do Google (GOOG e GOOGL).

Banner planilha 2

História do Google

A história do Google começou quando Sergey Brin, estudante da Universidade de Stanford, ficou encarregado de mostrar a universidade para o novo aluno, Larry Page.

Um ano mais tarde, os dois fizeram uma parceria para desenvolver uma tecnologia que fizesse pesquisa por meio de links. A partir daí, eles começaram a trabalhar no dormitório da universidade.

O primeiro mecanismo de busca recebeu o nome de BackRub, mas logo depois passou para Google. 

O nome é uma brincadeira com a expressão matemática chamada de Googol. Ela representa o número 1 acompanhado de 100 zeros.

O objetivo dos dois era de que esse mecanismo tornasse as informações acessíveis e organizadas para todo o mundo. 

E eles conseguiram, não é mesmo?

Anos mais tarde, o Google chamou a atenção de investidores da comunidade acadêmica e do Vale do Silício.

Com os investimentos, em agosto de 1998, foi fundada, oficialmente, o Google Inc. Com isso, a dupla se mudou do dormitório e passaram a trabalhar em uma garagem de Susan Wojcicki, que hoje é a CEO do YouTube.

A partir daí, foi somente crescimento. A empresa, que era somente um buscador, lançou novos serviços, produtos e plataformas.

Gosta do mercado financeiro? Assine a Warren Pills e receba uma newsletter inovadora com conteúdo leve e informativo todas as semanas.

Produtos e serviços do Google

Conheça os produtos e serviços do Google, ilustração

O Google vai muito além do site de pesquisas. Desde a sua fundação, a empresa evoluiu muito e aumentou o seu portfólio. Vamos juntos entender como ela faz parte do seu dia a dia ainda mais do que você imagina?

Conheça os serviços, produtos e plataformas que também são do Google, ou Alphabet.

YouTube

A plataforma de vídeos mais famosa e acessada do mundo também é do Google. O YouTube foi fundado em 14 de fevereiro de 2005 e está sediado em San Mateo, na Califórnia.

Dentro da plataforma do YouTube, há outros serviços:

  • YouTube Go
  • YouTube Kids
  • YouTube Music
  • YouTube Originals
  • YouTube Premium
  • YouTube Studio
  • YouTube TV

Google Play Filmes e Programas de TV

Esse é um serviço que permite comprar ou alugar filmes e programas de televisão. Basta instalar o aplicativo no seu smartphone ou televisão com Chromecast (que também é do Google) para ter acesso aos títulos disponíveis.

Chromecast

O Chromecast é um dispositivo do Google que dá acesso à internet à sua televisão, mesmo ela não sendo uma smart TV.

Basta ligar o Chromecast na entrada HDMI da sua TV para ter acesso a diversos aplicativos, além de poder fazer a transmissão de tela — o que você acessa no celular ou no computador pode ser assistido na TV.

Android

Você sabia que o sistema operacional Android foi desenvolvido pelo Google? A Android Inc. foi fundada em 2003, com a proposta de ser um sistema somente para câmeras de fotografia.

Com o crescimento e percebendo novas possibilidades, a marca passou a atuar nos dispositivos móveis, com a proposta de ser o sistema operacional mais inteligente e flexível do mercado.

Documentos e armazenamento em nuvem

Google Docs, Google sheets, Gmail e Google Drive são destaques da marca. A proposta é que você possa editar, compartilhar e criar documentos e e-mails inteligentes, tudo isso com salvamento na nuvem.

Além desses serviços e produtos que são destaques do Google, a empresa ainda é dona de:

  • Google Maps;
  • Google tradutor;
  • Navegador Chrome;
  • Google Wi-fi;
  • Google Chat;
  • Google fotos;
  • Google Keep e agenda;
  • Google Meu Negócio;
  • Google Ads;
  • Google AdSense;
  • Google Analytics.

Esses três últimos são serviços voltados para estratégias de marketing digital. São plataformas para gerenciamento de anúncios na internet, indicadores de desempenho no Google e recursos para chamar atenção do público virtual.

Os números do Google e da Alphabet

Agora que você já sabe um pouco sobre a história, produtos e serviços do Google, vamos falar de números e curiosidades.

Números do Google

A empresa Google está presente em 50 países e tem cerca de 60 mil funcionários espalhados nos mais de 70 escritórios, que estão instalados na América do Norte, América Latina, Europa, Ásia, África e Oriente Médio — incluindo o Brasil.

Em 2019, o buscador Google teve, em média, 3,5 bilhões de pesquisas diariamente — isso dá mais de 40 mil pesquisas por segundo, todos os dias.

Também em 2019, foram baixados 41 mil jogos na Play Store, enquanto os apps de entretenimento e comunicação chegaram à marca de 5,7 milhões de downloads.

YouTube

O YouTube tem mais de 2 bilhões de usuários, o que representa praticamente um terço de todos os usuários da internet.

Todos os dias, a plataforma recebe um bilhão de horas assistidas por um público que tem entre 18 a 34 anos.

Além disso, o YouTube tem mais público nos Estados Unidos do que qualquer canal de televisão — cerca de 70% das visualizações mundiais são por meio de dispositivos móveis.

A cada minuto, são enviados 400 horas de vídeos para a plataforma do YouTube, porém, muitos são excluídos pela plataforma por violarem as diretrizes.

Android

O sistema operacional Android já é o mais utilizado e todo o mundo, somando 2,5 bilhões de usuários

Parte dessa popularização é resultado do custo-benefício. Enquanto as pessoas desembolsam, em média, R$ 1.100 para ter um smartphone Android, os usuários do iOs, por exemplo, precisam de, em média, R$ 2,513.

Google Maps

O Google Maps já soma 64 milhões de quilômetros percorridos em rotas, sendo em mais de 240 países — isso dá uma média de 80 idas e voltas até a Lua.

Os pontos mais buscados e exibidos no aplicativo somam 150 milhões, sendo que entre eles estão os morros do Rio de Janeiro.

Google Tradutor

O Google traduz mais de 100 idiomas e soma uma média de 143 traduções todos os dias — isso equivale a 161 mil vezes o livro de Romeu e Julieta.

Lucro do Google

Somente no primeiro trimestre de 2020, o Google teve lucro líquido de US$ 6,84 bilhões, o que representa 2,85% a mais do mesmo período de 2019.

Em relação à receita, também no primeiro trimestre, a Alphabet anunciou que foi de US$ 41,2 bilhões.

Esse valor representa um aumento de 13%, mesmo em meio à crise da Covid-19. O principal influenciador desse aumento foi o YouTube e o Google Cloud (salvamento em nuvem).

No YouTube, os ganhos da empresa estão relacionados aos anúncios, que somaram cerca de US$ 4 bilhões em anúncios somente nos três primeiros meses 2020.

Em consequência da sua valorização, o valor de mercado também sobe. No início de 2020, a Aphabet anunciou que o seu valor de mercado atingiu a marca de 1 trilhão de dólares pela primeira vez.

Isso quer dizer que ao somar o valor de todas as ações que estão sendo negociadas na Bolsa, chega-se ao número de US$ 1 trilhão.

Desempenho das ações do Google

Veja o desempenho das ações do Google, ilustração

Desde a sua estreia na Bolsa americana, o Google se valorizou bastante em termos financeiros, o que é positivo para os seus investidores de longo prazo.

No IPO, a empresa teve a primeira cotação em torno de US$ 85. Em 2020, chegou ao patamar de US$ 1.544,61.

Avaliando alguns anos atrás, também podemos perceber crescimento. Em outubro de 2014, por exemplo, as suas ações estavam cotadas em US$ 583,71. No mesmo período de 2020, estavam a US$ 1.510,45.

Considerando esses resultados e as suas oscilações, o Google tem uma média de alta de 25,19% ao ano.      

No entanto, a empresa não costuma distribuir dividendos aos investidores, exceto uma bonificação, em abril de 2014. Então, como ocorre a rentabilidade dos investidores? Com a valorização de longo prazo.

Desde a sua estreia na Bolsa, há 16 anos, o Google registra altas trimestrais na sua receita. 

LEIA MAIS | Investimento em renda variável: o que é e como funciona

Vale a pena investir no Google a longo prazo?

O Google é uma empresa que se valorizou ao longo da sua história. Ela está listada no setor de tecnologia da Bolsa, o que já é algo a seu favor para quem gosta do setor e enxerga um futuro cada vez mais conectado.

Mas vale a pena investir no Google de fato? Para essa resposta, precisamos considerar alguns pontos. Vamos analisar. 

Concorrência

Tanto o buscador quanto os outros serviços e produtos da empresa estão presentes no nosso dia a dia e, a cada lançamento, o Google surpreende com as suas tecnologias.

O fator concorrência também está a seu favor. Por mais que existam serviços e produtos similares, não há uma concorrência acirrada contra a gigante, e sim tentativas tímidas, de buscadores como Bing e Yahoo, que representam uma parcela ínfima do total.

Solidez de mercado e resiliência nas crises

Somado à concorrência quase nula, o Google é uma empresa muito sólida no mercado. Isso pode ser percebido por meio de uma breve análise fundamentalista.

Além da valorização dos seus papéis e do seu valor de mercado, a empresa apresenta bons resultados também em crises.

A pandemia da Covid-19 é um exemplo disso. Mesmo em queda de 0,39% na receita do último trimestre, a empresa não foi fortemente abalada.

Foi até um bom resultado considerando o cenário economicamente e politicamente conturbado — principalmente considerando que grandes negócios tiveram perdas muito maiores.

Perspectivas para o futuro

Na renda variável, não há atalhos para a rentabilidade. O longo prazo é a melhor estratégia para alcançar os seus objetivos.

Para avaliar qualquer tipo de investimento para o futuro, você precisa estudar a empresa em detalhes, desvendando todas as suas perspectivas.

No longo prazo, o principal ganho dos investidores é com a valorização da empresa, principalmente. No caso do Google, isso é ainda mais latente, porque a empresa não paga dividendos.

O Google é uma companhia sólida, com uma valorização histórica, com ótimos dados financeiros, com uma rentabilidade acima da média para o seu capital.

Para que você tenha uma ideia, mesmo que ela pagasse todas as suas dívidas, ela teria dinheiro sobrando em seu caixa.

E então, vale a pena comprar ações do Google focando no longo prazo? 

Essa decisão depende do seu perfil de investidor e dos seus objetivos com os seus investimentos no longo prazo.

Para definir se vale a pena investir no Google, você precisa avaliar o modelo de negócio da empresa e entender se faz sentido para você investir em uma companhia do setor de tecnologia.

Aqui, vale lembrar que o preço das ações sempre acompanha a expectativa de lucros da empresa no longo prazo. Então, se você acredita que o Google continuará reinando sozinho, pode ser uma boa ideia analisar a empresa para investir. 

É necessário pontuar, no entanto, a importância da diversificação. Essa é a melhor maneira de proteger os seus investimentos, sem reduzir a expectativa de retorno no longo prazo.

Como investir no Google

O que você acha de investir não só no Google, mas nas maiores empresas de tecnologia do mundo? 

Isso é possível o novo fundo da Warren, o Warren Tech.

Uma das melhores alternativas para investir em ações estrangeiras são os fundos de investimento. Além da diversificação e menores custos, você conta com uma gestão profissional, por isso não precisa se preocupar a alocação e o rebalanceamento dos ativos.

O Warren Tech é um fundo que reúne ações maiores e mais promissoras empresas de tecnologia do mundo, como Apple, Google e Amazon. Além da Netflix, Tesla e das small caps tecnológicas com potencial de crescimento.

O Warren Tech será exclusivo para os nossos clientes e, para conhecê-lo em primeira mão e investir nas maiores empresas de tecnologia do mundo, basta fazer o seu cadastro para a lista de espera

Assim, avisamos você quando ele for lançado.

 Outras maneiras de investir no Google

Como explicamos acima, não é possível comprar ações diretamente do Google na B3. Mas há algumas alternativas para lucrar com ela.

BDRs

Brazilian Depositary Receipt, ou BDRs, são papéis que representam ativos das empresas estrangeiras.

Essa uma opção para comprar ações de empresas como o Google, que não está sendo negociada diretamente na B3.

Ao comprar BDRs, você não compra diretamente as ações, mas sim e títulos representativos que dão direito aos lucros e seguem a cotação da empresa.

Fundo Warren Ações USA

O fundo Warren Ações USA busca acompanhar a valorização do mercado americano, por meio do índice S&P 500, que é formado pelas 500 maiores empresas americanas, incluindo o Google.

Além disso, os fundos próprios da Warren são taxa zero: não há taxa de performance nem de administração.

Como vimos, o Google é uma empresa presente no dia a dia de todos, porém, ela é muito mais do que um site de pesquisas. Em termos financeiros, a sua valorização histórica vem chamando a atenção dos investidores.

Para investir no Google e em outras empresas de tecnologia, acesse a pré-lista do Fundo Warren Tech.

Está pronto para começar? Descubra por que a Warren é a melhor opção para os seus investimentos.

abra sua conta trade warren