Maiores FIIs do Brasil em 2021: descubra quais são e como investir nesses fundos imobiliários

Os maiores FIIs do Brasil são os fundos imobiliários com o maior patrimônio líquido negociados na Bolsa de Valores.

Muito procurados por quem deseja viver de renda ou obter uma renda passiva com seus investimentos, os fundos imobiliários ganharam popularidade nos últimos anos.

Há várias explicações possíveis para esse fenômeno. Uma delas é a queda da taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic, que está no menor patamar histórico.

Com os investimentos em renda fixa rendendo menos, os investidores brasileiros não tiveram outra opção: foi necessário correr mais riscos, e isso inclui os FIIs, que fazem parte dos investimentos em renda variável.

Dentro de uma estratégia de diversificação do patrimônio, os FIIs podem ser ótimas opções, porque permitem uma exposição ao setor imobiliário de uma forma muito mais prática e menos custosa. 

Você também faz parte dos investidores que estão olhando cada vez mais para os FIIs?

Foi pensando em você que nós montamos esse artigo com uma seleção dos maiores FIIs do Brasil.

Aqui, você vai entender como funcionam os FIIs e vai obter, de forma detalhada, um ranking com os maiores fundos imobiliários do Brasil, com dados de janeiro de 2021.

Utilizar esse filtro é uma das melhores maneiras de começar a analisar os FIIs para investir, porque você obtém uma seleção de FIIs já consolidados e que possuem uma grande diversificação entre os imóveis que compõem o seu portfólio.

Para atingir esse objetivo, passaremos pelos seguintes tópicos:

  • O que são FIIs e por que investir?
  • Quais são os maiores FIIs do Brasil?
  • Como investir nos maiores FIIs do Brasil?
  • Como avaliar o melhor FII para você?
  • Investir em fundos imobiliários é arriscado?

Vamos juntos? Ótima leitura!

O que são FIIs e por que investir?

Os fundos imobiliários (FIIs) são fundos de investimento cujas cotas são negociadas na Bolsa de Valores.

Como o próprio nome deixa claro, eles têm exposição ao mercado imobiliário

Para isso, reúnem o patrimônio dos cotistas para comprar, vender e alugar imóveis em diversas regiões do país.

Como veremos a seguir, há diversos tipos de fundos imobiliários, mas, em geral, estamos falando de grandes empreendimentos imobiliários, como shoppings centers e galpões logísticos, por exemplo.

Todos os meses, os fundos imobiliários distribuem, por lei, pelo menos 95% dos valores arrecadados com aluguéis. 

Por isso, eles acabam sendo uma opção muito interessante para quem deseja se expor a esse mercado e obter renda passiva, sem precisar comprar imóveis diretamente e enfrentar as dificuldades do segmento — como a baixa liquidez.

Nos últimos anos, o interesse pelos FIIs cresceu de forma vertiginosa, como mostram os dados divulgados pela B3 em relação ao número de investidores com posição em FIIs.

Apenas na comparação de 2020 com 2019, o número de investidores cresceu 83%:

abrir conta warren carteiras

Vantagens de investir em FIIs

A seguir, listamos algumas das principais vantagens de investir em FIIs, na comparação com o investimento diretamente nos imóveis.

Simplicidade

Você já enfrentou a burocracia que envolve o investimento em um imóvel? Encontrar o imóvel, negociar com o vendedor, entrar em contato com a imobiliária, assinar contratos… tudo isso demanda tempo e até apoio jurídico.

Com os FIIs, tudo que você precisa fazer para investir é adquirir as cotas na Bolsa de Valores.

Valores acessíveis

Dificilmente você vai encontrar um imóvel para investir por menos de R$ 100 mil. Em alguns casos, um imóvel no qual você tem interesse pode passar da casa do R$ 1 milhão. 

Com os FIIs, você pode investir por menos de R$ 100, já que os maiores FIIs do Brasil têm cotas que giram em torno deste valor.

Liquidez

Esta é, sem dúvidas, uma das principais vantagens dos FIIs em relação aos imóveis físicos.

Quando você coloca um imóvel para vender, precisa esperar até que surja um comprador disposto a pagar o valor que você deseja. Esse processo pode levar meses e até anos.

No caso dos FIIs, você pode vender as suas cotas a valor de mercado instantaneamente. Essa é a medida da liquidez de um investimento: a velocidade com que você consegue transformar a aplicação em dinheiro.

Diversificação

Comprando a cota de um único FII, você consegue se expor a diversos imóveis ao mesmo tempo. Há fundos de investimento imobiliário no Brasil com mais de 15 ativos no portfólio.

Na vida real, você precisa realmente de muito dinheiro para estar diversificado.

A diversificação permite diluir os riscos específicos dos ativos — caso um locatário entregue o imóvel, por exemplo, você dilui as perdas, porque possui vários ativos.

Gestão e manutenção

Uma das partes mais complexas de investir diretamente em um imóvel é ficar responsável pela gestão e manutenção do local.

Limpeza, segurança, reparos elétricos, hidráulicos, manutenção em geral, tudo isso fica por conta do proprietário, incluindo as dores de cabeça quando algo urgente acontece.  

Ao investir em um FII, a gestão e manutenção ficam a cargo dos gestores e administradores do fundo, que são remunerados por isso. 

O trabalho deles inclui, também, a cobrança de inadimplentes e a busca por novos locatários, entre todas as outras atribuições de um dono de imóvel.

Isenção de tributos no aluguel

Finalmente, outra vantagem dos FIIs está relacionada à isenção de imposto de renda sobre os proventos que você recebe todos os meses.

No caso dos aluguéis diretamente de imóveis físicos, esta isenção não existe.

Tipos de FIIs

Existem vários tipos diferentes de FIIs, classificados de acordo com os ativos que os compõem. Mas os três principais são: 

Fundos de Tijolo: são aqueles que investem em imóveis físicos, como shoppings, escritórios e galpões logísticos.

Fundos de Papel: esses fundos investem em ativos de renda fixa ligados ao setor imobiliário, como CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários) e LCI (Letras de Crédito Imobiliário).

Fundos híbridos: a composição da carteira em FIIs mistos fica dividida entre empreendimentos imobiliários e títulos ligados ao setor. Eles também podem conter cotas de outros FIIs.

Maiores Flls do Brasil

A seguir, você tem acesso a um ranking com os maiores FIIs do Brasil, com dados de janeiro de 2021.

Para chegar a esse ranking, nós consideramos o patrimônio líquido dos FIIs negociados na Bolsa de Valores.

Lembrando: o patrimônio líquido de fundo imobiliário mostra o valor dos seus ativos — no caso, os próprios imóveis, títulos de renda fixa ou cotas de outros FIIs. 

Também é considerado, nesse cálculo, os valores em caixa e as demais aplicações financeiras, descontando dívidas e obrigações.

Preparado para conhecer os maiores FIIs do Brasil? Confira a lista:

1. Kinea Índices de Preços – KNIP11

A Kinea Índices Preços Fundo de Investimento Imobiliário, também conhecido pelo seu código de negociação KNIP11, é um fundo de papel, que tem como principal investimento os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI).

A Kinea Investimentos é a gestora desse FII, que apresenta um Dividend Yield de 1,17%. O patrimônio líquido do KNIP11 é de R$ 4,38 bilhões e a quantidade de ativos físicos é de 0, já que se trata de um fundo de papel.

2. Kinea Rendimentos Imobiliários – KNCR11

O FII Kinea Rendimentos Imobiliários também é um fundo imobiliário do tipo papel, e destina os seus investimentos principalmente a títulos mobiliários. 

Também conhecido por seu código de negociação KNCR11, quem administra esse fundo é a Intrag DTVM Ltda. O FII possui um patrimônio líquido de R$ 3,8 bilhões, um DY de 0,49% e, assim como o KNIP11, a quantidade de ativos é 0.

3. Kinea Renda Imobiliária – KNRI11

Primeiro fundo que não é exclusivamente de papel no ranking, o Kinea Renda Imobiliária é negociado a partir do código KNRI11 e pertence ao setor híbrido.

Entre os seus ativos, a maior parte é de empreendimentos imobiliários físicos.

Quem administra esse FII é a Intrag DTVM Ltda, assim como o FII KNCR11. 

Com um patrimônio líquido de R$ 3,7 bilhões, possui um DY de 0,40% e a quantidade de ativos é de 19, o que faz dele um dos maiores e mais diversificados FIIs do Brasil.

4. BTG Pactual Corporate Office – BRCR11

O BTG Pactual Corporate Office é administrado pelo gestor BTG Pactual e tem como objetivo principal investir em escritórios comerciais de laje corporativa.

Porém, ele não restringe os investimentos, fazendo parte do setor híbrido. 

Ele apresenta um patrimônio líquido de R$ 2,8 bilhões e as suas cotas são negociadas a partir do código BRCR11

O DY do FII é de 0,57% e ele possui 14 ativos no portfólio.

5. CSHG Logística – HGLG11

O CSHG Logística é um fundo de investimento imobiliário baseado na renda de gestão ativa do segmento de logística. 

A aplicação desse FII é feita em empreendimentos de galpões logísticos.

As cotas são negociadas pelo código HGLG11 e ele é administrado pela Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora de Valores SA. 

O patrimônio líquido do fundo é de R$ 2,7 bilhões, com impressionantes 17 ativos e um DY de 1,45% — fique atento, no entanto, porque esse não é o DY histórico do fundo, e sim o referente a janeiro de 2021.

6. JS Real Estate Multigestão – JSRE11

O JS Real Estate Multigestão é um fundo de investimentos que varia na utilização dos recursos, pertencendo ao setor híbrido. 

Administrado pelo Banco J. Safra S.A, atualmente detém um patrimônio líquido de 2,4 bilhões e apresenta um DY de 0,56%. 

As cotas do FII são negociadas a partir do código JSRE11, e ele possui 4 ativos.

7. Hedge Brasil Shopping – HGBS11

O Hedge Brasil Shopping, também conhecido pelo seu código de negociação HGBS11, é um fundo de investimentos destinado a aquisições comerciais de Shoppings Centers. 

O FII é gerido pela Hedge Investments, e dispõe de um patrimônio líquido de R$ 2,3 bilhões. 

O DY desse fundo de investimento é de 0,31% e ele possui 16 shoppings no portfólio.

8. XP Log – XPLG11

O FII XP Log possui um patrimônio líquido de R$ 2,3 bilhões e destina os seus recursos à compra de propriedades comerciais do segmento galpões logísticos, sendo caracterizado como fundo do tipo tijolo.

As cotas são negociadas a partir do código XPLG11 e ele é gerido pela XP Gestão de Recursos Ltda. 

O DY do FII XP Log é de 0,48% e possui 13 ativos.

9. CSHG Renda Urbana – HGRU11

O último FII do nosso ranking é CSHG Renda Urbana, também conhecido pelo código de negociação HGRU11

Esse fundo de investimento é do tipo tijolo e investe principalmente em empreendimentos imobiliários urbanos de uso institucional e comerciais.

Com um patrimônio líquido de R$ 2,2 bilhões, possui um DY de 0,56% e 15 ativos, sendo gerido pela Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora de Valores SA, assim como o FII CSHG Logística.

Como avaliar o melhor FII para você?

Na renda variável, é extremamente importante analisar diversos fatores antes de tomar uma decisão de investimento. 

Isso porque desempenho passado não é garantia de lucros no futuro. 

Tendo isso em mente, descrevemos a seguir alguns dos principais critérios que você precisa considerar antes de escolher um FII para sua carteira.

Lembre-se, porém, que nenhum desses indicadores deve ser analisado de forma isolada.

Qualidade dos ativos

Procure conhecer a qualidade dos imóveis que compõem o portfólio do FII, onde eles estão localizados e para quais fins foram construídos. 

Avalie a duração dos contratos dos locatários, entenda a demanda pelos ativos e tente se informar ao máximo a respeito das condições gerais dos imóveis.

A lógica é simples: ao investir em um FII, você, em tese, se torna um proprietário de uma pequena parte desses imóveis. Por isso, quanto maior for o seu conhecimento a respeito, melhor.

Vacância

A taxa de vacância mostra uma relação entre o espaço disponível para aluguel e os espaços efetivamente alugados.

Analisando essa vacância ao longo do tempo, você consegue entender se o FII tem bons inquilinos e se consegue manter os imóveis alugados na maior parte do tempo, o que tende a garantir pagamentos mais previsíveis de aluguel — e consequente distribuição de proventos.

Dividend Yield

O Dividend Yield, ou DY, expressa a relação entre os dividendos pagos e a cotação atual do ativo. 

Ou seja, um DY alto significa que, comparado com o investimento realizado, os cotistas têm recebido bons dividendos.

Embora seja olhado de perto por boa parte dos investidores, o DY, sozinho, não pode servir como base para sua decisão, porque ele é uma fotografia de momento.

A recomendação é analisar o histórico de distribuição de proventos para entender a recorrência e a origem desse dinheiro.

Índices do setor

Acompanhar os principais indicadores financeiros é fundamental para tomar decisões acertadas. E isso vale tanto para renda variável quanto para a fixa.

No caso dos FIIs, um dos mais importantes benchmarks é o IFIX, ou Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários. 

Você pode descobrir mais sobre esse índice e acompanhar a cotação no site da B3 ou da sua corretora.

Histórico da gestora

Quando você adquire uma cota de qualquer fundo de investimento, está confiando na equipe de gestão para tomar as melhores decisões possíveis com o seu dinheiro. 

Por isso, é fundamental que você conheça o histórico da gestora responsável pela administração do fundo. 

Busque empresas confiáveis e cadastradas junto aos órgãos reguladores responsáveis. 

Aprenda também sobre a performance dessa gestão em outros produtos. 

Outra dica é garantir que a estratégia do fundo e os valores da gestora estejam alinhados com aquilo que você procura.

Cenário econômico

Como em todo ativo da renda variável, você precisa conhecer as movimentações do setor e ficar de olho nos acontecimentos no cenário econômico mundial antes de investir em qualquer FII. 

Assim, se você não tem experiência, busque aprimorar ao máximo o seu conhecimento e consulte a opinião de especialistas.

Além disso, sempre diversifique seus investimentos e tenha em mente: mesmo o investidor mais experiente pode errar a previsão.

Taxas

As taxas são os custos que você precisa pagar à gestora e administradora do FII, como uma remuneração pelos seus serviços.

A principal taxa à qual você precisa ficar atento é a taxa de administração, cobrada anualmente.

Em geral esse valor pode chegar a 2% do valor investido.

Como investir nos maiores FIIs do Brasil

Investir nos maiores FIIs do Brasil é muito simples.

Depois de estudar a fundo cada ativo para entender quais são os mais adequados para o seu perfil de investidor, a sua estratégia e os seus objetivos, basta abrir uma conta em uma corretora de valores, como a Warren.

Em seguida, você transfere dinheiro para essa conta recém criada.

Depois, é só procurar pelo código do FII na aba Trade, enquanto a Bolsa de Valores estiver aberta, e emitir as ordens de compra dos ativos que você preferir.

Pronto! Você acaba de se tornar um cotista de alguns dos maiores FIIs do Brasil.

Agora que você já conhece os maiores FIIs do Brasil, está pronto para avançar e tomar as melhores decisões para o seu patrimônio.

Quer investir em FIIs na Warren? 

Abra sua conta agora mesmo! É grátis.

Se você gostou deste artigo, talvez também se interesse por:

abra sua conta warren conta