Os três pilares básicos para investir em Renda Variável

Como já apontamos aqui no blog da Warren, o cenário de baixa taxa de juros trazido de 2019 – e que deve continuar em 2020 – estimula o aquecimento do mercado e da economia do país. Isso cria um ambiente com menos incertezas e gera uma maior valorização de ativos, o que impacta positivamente na Bolsa de Valores, em grande parte, os investimentos em renda variável.

Quando falamos sobre as perspectivas de mercado para este ano, demos três conselhos: investir na bolsa brasileira, diversificar e manter a disciplina.

Mas, além disso, existem três questões-chave que é preciso entender bem antes de começar a investir em renda variável: volatilidade, longo prazo e, ela, a diversificação. E é sobre estes pilares básicos que vamos falar neste texto.

Lembrando SEMPRE que é muito importante, antes de começar a investir, saber qual é o seu perfil de investidor. É ele que determina a sua tolerância a riscos, o que é imprescindível você saber antes de investir em um mercado volátil como o de renda variável.

Mas, continuando!

Vamos falar das três questões-chave que o investidor precisa entender melhor, antes de começar a investir em renda variável:

#1 Volatilidade

A Bolsa de Valores tem dias ótimos, dias bons, dias mais ou menos e dias péssimos. Isso ocorre pois ela é influenciada por diversos fatores: desde eventos pontuais e factíveis até a boatos e incertezas políticas e econômicas.

Então, sim, é provável que você veja algumas quedas pontuais nos seus investimentos no curto prazo. E estas quedas são absolutamente normais e ocorrem desde sempre.

O sobe e desce do índice, no curto prazo, pode não ser vantajoso e nem agradar àqueles que não possuem tolerância alta ao risco. Mas, como falamos com frequência: a Bolsa recompensa quem tem paciência!

Abaixo, você confere a curva do Ibovespa de 1995 até 2019. Repare que existiram momentos de queda – como na crise de 2008, por exemplo – mas quem manteve a calma e não desistiu dos seus investimentos, viu seu patrimônio crescer.


#2 Longo Prazo

Nós já reforçamos isso diversas vezes, mas vamos falar novamente pois é uma das questões mais importantes em relação a produtos de renda variável: foco no longo prazo.

Por quê? Caso você possua um objetivo de até três anos, um prazo bastante curto, investir em ações pode não ser o mais indicado. Exatamente pela questão anterior: a volatilidade.

O dinheiro que você escolher alocar em uma carteira com produtos de ações ou multimercado é aquele valor que você não vai precisar tão cedo. É aquele dinheiro que não é destinado para imprevistos. Para isso, você precisa possuir uma reserva de emergência.

LEIA MAIS | Onde criar a sua reserva de emergência?

#3 Diversificação

Para potencializar os seus ganhos e minimizar o impacto da volatilidade da Bolsa, é importante diversificar. Ou seja, fazer uma diversificação inteligente da sua carteira de investimentos.

Você deve estar se perguntando: isso deve ser difícil e dar um trabalhão, não é? Errado!

Com a Warren, você cria os seus objetivos e deixa o resto com a gente. Aqui, você investe em carteiras inteligentes, que contam com diversificação global e rebalanceamento automático.

Ainda não investe com a Warren? Comece agora a melhorar sua rentabilidade e reduzir riscos dos seus investimentos, conheça os fundos da Warren.