Desdobramento de ações: o que é e como funciona na prática

Desdobramento de ações é uma medida tomada pelas empresas negociadas na Bolsa de Valores para reduzir o preço de suas ações, por meio da divisão do número de ações atual. Assim, o número de ações negociadas é alterada, mas o preço cai na mesma proporção, sem impactar o valor total do seu investimento.

Também conhecido como split de ações, o desdobramento tem como objetivo principal aumentar a liquidez das ações, tornando o investimento mais acessível para todos os investidores.

Embora esse movimento não altere os fundamentos da empresa, alguns investidores entendem que, a partir do desdobramento, podem ocorrer outros eventos que impactem a companhia. 

Há, inclusive, quem aponte que o desmembramento de ações pode destravar valor ou ser utilizado de maneira especulativa. 

Quer entender melhor como isso funciona na prática? Neste artigo, vamos detalhar o desdobramento, passando pelos seguintes tópicos:

  • O que é desdobramento de ações
  • Por que as empresas fazem desdobramento
  • Como o split de ações funciona na prática
  • Como saber se uma ação passou por desdobramento
  • Vantagens e desvantagens do desdobramento
  • Exemplos de desdobramento no mercado de ações

Vamos juntos? Boa leitura!

O que é desdobramento de ações

Afinal, o que é desdobramento de ações, ilustração

O desdobramento de ações consiste na divisão do número de ações em circulação de uma empresa, com o objetivo central de reduzir o preço dos ativos e aumentar a liquidez no mercado acionário. Se uma ação custava R$ 20 e é dividida de 1 para 4, ela passa a valer R$ 5 (R$ 20 / 4), e cada acionista passa a ter quatro vezes mais ações. Assim, o valor total do investimento não é alterado. 

Confira o exemplo com um investidor que possuía 100 ações dessa empresa hipotética na tabela:


Antes do splitDepois do split (1 para 4)
Número de ações100400
Valor da açãoR$ 20R$ 5
Total do investimentoR$ 2000R$ 2000

É importante reforçar que, pelo menos em tese, o evento de desdobramento nunca gera valor. Ou seja, a proporção é mantida — a empresa não passa a valer mais ou menos a partir desse evento.

Para entender isso, nada melhor do que usar um exemplo do dia a dia. Mais especificamente, um exemplo que está nas mesas ao redor do Brasil.

Uma pizza fica maior quando é dividida em mais pedaços?

Para entender exatamente o que é o split de ações, vamos fazer a comparação com uma pizza. 

Geralmente, uma pizza grande tem pelo menos 8 pedaços, certo? É mais do que suficiente para duas pessoas se alimentarem.

Agora imagine que, no momento em que a pizza chegou, outros amigos apareceram sem avisar e você não tem mais nada para oferecer no jantar.

O que você faz? Mesmo que complemente com uma salada, é provável que todos queiram comer pizza.

É claro que você vai dividir os oito pedaços originais ao meio, restando 16 fatias no total. Assim, você consegue dividir a mesma pizza entre mais pessoas, mas o tamanho da pizza não foi alterado.

Essa é uma boa analogia para entender o que o desdobramento de ações faz. 

O valor da empresa e do seu capital social, por exemplo, é dividido pelas suas ações. Quando há uma divisão no número de ações, o valor original da empresa não se altera, apenas o tamanho de cada fatia (as ações). 

A outra pessoa da casa é um investidor, que também continua com o mesmo número de ativos. Na analogia, ela ainda come uma quantidade equivalente.

Por outro lado, as pessoas que chegaram são os novos investidores, que aproveitam pedaços menores da pizza. Em outras palavras, os ativos por preço mais baixo.

Somente até agosto deste ano, pelo menos 38 operações de desdobramento já foram realizadas na Bolsa de Valores. 

Algumas companhias que aderiram a essa estratégia foram Lojas Renner, Magazine Luiza e Banco Inter.

Habitualmente, o split de ações é muito usado quando o preço unitário das ações está elevado.

Afinal, preços mais altos acabam restringindo o acesso dos investidores minoritários, o que pode reduzir, também, a liquidez dos ativos — mesmo que os minoritários movimentem cifras muito menores do que investidores institucionais.

Por que as empresas fazem o split de ações?

Como falamos anteriormente, o desdobramento de ações tem como objetivo principal aumentar o número de ações negociadas e reduzir o preço unitário dos ativos.

Porém, esse é apenas um dos motivos para a opção pelo desdobramento. As ações também podem ser divididas por outras razões.

Algumas das principais são:

  • Preferência pelo split: existem investidores que entendem um evento de desdobramento como sinônimo de sucesso futuro. Essa percepção é derivada do histórico de elevação do preço dos ativos após o desdobramento. Alguns exemplos são Klabin, Ambev, Ultrapar e a própria Magazine Luiza;
  • Acessibilidade: reduzindo o preço das ações, elas se tornam mais facilmente compradas pelo pequeno investidor, que tem menos recursos. Com isso, a liquidez da companhia aumenta;
  • Aumento do interesse: apesar de não gerar valor por si só, o desdobramento pode provocar um aumento no interesse pelos ativos.

Com o entendimento inicial do que é e para que serve o desdobramento de ações, agora vamos entender mais sobre como ele funciona na prática.

Como o split de ações funciona?

Para fazer o desdobramento das ações, a empresa precisa ser autorizada pelos acionistas e principais interessados. Por isso, a liberação depende do Conselho de Administração.

Nessa reunião, será abordado o split da ação e quais são as possíveis consequências. A análise levará à decisão de aceitar ou não a estratégia.

A partir disso, é definida uma data para fazer a divisão, considerando o valor atual de cada um dos investidores.

Ao mesmo tempo, é lançado um informativo ao mercado, que relata o desdobramento e quando ele ocorrerá.

Assim, se uma ação será dividida em 10 e o investidor tem 10 ações, ele passará a ter 100, enquanto o valor investido não será alterado. 

Diferença entre desdobramento, grupamento e bonificações

Mais do que saber o que é o split, também é importante entender as diferenças do desdobramento para o grupamento e as bonificações.

Como explicado, o split consiste aumentar a quantidade de ações negociadas, por meio da divisão das ações em mais de uma parte.

O grupamento, por sua vez, também chamado de inplit, é a operação contrária, porque reúne várias ações e as transforma em apenas uma.

Por isso, o objetivo da companhia com essa estratégia é aumentar o preço dos papéis. Em alguns casos, isso facilita a negociação.

Ainda assim, o valor do seu investimento permanece igual. Assim como no split, o que muda é apenas o preço e a quantidade de ações negociadas.

Por exemplo: um investidor que tem 100 ações por R$ 4 contém R$ 400 aplicados na carteira. 

Com o grupamento de 2 para 1, o resultado são 50 ações por R$ 8, com os mesmos R$ 400 investidos.

Por sua vez, as bonificações são um valor pago aos acionistas. A quantia é repassada em forma de ações, em vez de dividendos.

Nesse caso, o total também fica inalterado, mas o preço da ação se altera. Vamos supor que você tem 100 ações e recebeu bônus de 10%. Nesse caso, tem 10 ativos a mais.

Como saber se uma ação passou por desdobramento?

O processo de desdobramento deve ser divulgado com antecedência e é publicado no site da B3, a bolsa de valores brasileira. Basta acessar o menu Eventos Corporativos.

Na tabela de Proventos em Ações, será possível consultar tanto o histórico do desdobramento dos ativos, quanto de grupamentos e bonificações.

O resultado sempre será expressado em percentuais. Você perceberá que o patrimônio sempre será igual. O que vai mudar é apenas o preço da ação e quantidade.

Essas informações também podem ser consultadas junto ao site de Relações com Investidores de cada companhia. Os comunicados são emitidos por meio de “Fatos relevantes”.

Recentemente, a Magazine Luiza, por exemplo, aprovou o desdobramento de 1 para 4, que foi executado no dia 14 de outubro. O comunicado ao mercado ocorreu no dia 18 de setembro.

Abaixo, mostramos uma parte do documento para você conhecer o formato: 

Carta aberta da Magazine Luiza, documento

Quais são as vantagens e as desvantagens do split de ações?

Uma de suas principais vantagens do desdobramento é a acesso facilitado aos investidores pequenos. Como o preço diminui, fica mais fácil adquirir uma parte do lote, por meio de ações fracionadas, e até um lote inteiro, composto por 100 ações.

Ainda assim, esse movimento pode acabar sendo prejudicial. Como aumenta a liquidez do ativo, há mais negociações sendo realizadas, o que pode trazer mais volatilidade ao ativo.

Isso acontece, principalmente, quando o desdobramento atrai investidores “indesejados”, como os especuladores..

Outro ponto negativo em potencial é o custo do desdobramento

Entre as despesas, estão os avisos ao mercado e aos acionistas, o tempo empregado pelos executivos para tomarem essa decisão e todos os custos administrativos e operacionais.

Além disso, esses eventos de desdobramento também podem ser utilizados pelos investidores como um pretexto para a realização de lucros, o que acaba derrubando o preço da companhia.

Exemplos do split de ações

Várias empresas já adotaram a prática. Citamos alguns exemplos a seguir que executaram o desdobramento nos últimos anos.

Magazine Luiza

A Magazine Luiza é um dos cases mais recentes de desdobramento. Como comentamos, no dia 14 de outubro de 2020 suas ações foram divididas por quatro. Mas, antes disso, ela já havia passado por outros desdobramentos. 

Todas as vezes, o motivo foi a valorização dos papéis, que obrigou a empresa a fazer a divisão, a fim de garantir mais liquidez ao mercado. 

Em 2017, a proporção adotada foi 1 para 8. A ação era negociada, à época, em torno de R$ 600. Já em 2019, quando a ação era cotada a aproximadamente R$ 260, o desdobramento foi de novamente 1 para 8. Mais recentemente, o desdobramento foi de 1 para 4.

Vale notar que, durante todos esses desdobramentos, a empresa continuou se valorizando, o que mostra que, de certa forma, a estratégia vem dando certo. 

Banco Inter

O objetivo do split do Banco Inter foi diferente. O mais interessante era fazer a transformação em units.

Esse é um pacote que agrega ações ordinárias e preferenciais. A instituição colocou uma da primeira e duas da segunda em cada unit.

Para isso, as ações foram desdobradas na proporção de 1 para 6. Com isso, houve mais facilidade nas negociações.

Como declarar o desdobramento de ações?

O split causa confusão nesse sentido. Afinal, quem tinha 10 ações pode ter 80, por exemplo, do dia para a noite.

Então, como declarar ações no Imposto de Renda

A questão principal é que esse evento nunca altera o valor do patrimônio. Apenas muda o total de ativos na sua carteira.

Por isso, o processo de declaração permanece igual. O que vai mudar é apenas a quantidade inserida no arquivo para a Receita Federal.

Por exemplo, se você tinha 100 ativos que somavam R$ 1.800, depois do desdobramento 1 para 6, passa a ter 600 ações pelo mesmo valor.

A diferença é que o preço antes era R$ 18. Agora é de R$ 3. Assim, fica claro que não há ganho de capital.

No entanto, não existe incidência de Imposto de Renda, porque o montante não é alterado nem houve lucro.

Vale a pena investir em uma companhia que fez o desdobramento?

Vale a pena investir em uma empresa que fez o desdobramento de ações, ilustração

Para quem busca comprar ativos por um preço mais acessível, o desdobramento pode ser uma oportunidade, mas apenas porque os papéis estão mais acessíveis, e não porque houve uma mudança nos fundamentos da companhia.

Em vez de pagar um valor elevado para ter ativos da Magalu, você compra por uma quantia menor.

No entanto, vale a pena sempre observar os dados e lembrar de que ganhos passados nunca trazem certeza de rendimentos futuros.

Alguns investidores também entendem que e evento de desdobramento pode ser uma sinalização da empresa de que ela terá bons resultados no futuro. Afinal, ao dividir o valor atual da ação, ela abre espaço para que os ativos voltem ao patamar anterior, mesmo que isso seja muito mais uma percepção dos investidores do que uma mudança de fundamentos.

Por mais que o desdobramento de ações talvez carregue informações sobre o desempenho futuro da empresa, não é recomendável investir em uma companhia com base apenas nesse evento.

Sua decisão de investimento deve ser pautada por uma análise fundamentalista da companhia, para descobrir se vale a pena ser sócio pensando no longo prazo. 

É essa mentalidade de investimento que a Warren sugere aos investidores: praticar o buy and hold, e não a especulação.  

Quer conhecer mais sobre a Warren e abrir a sua conta? Entenda como a Warren trabalha

Se você gostou do conteúdo, talvez também se interesse por: