Home Broker: entenda o que é e para que serve a plataforma

Home Broker é a principal ferramenta utilizada para operar na Bolsa de Valores. Disponibilizados pelas corretoras aos seus clientes, eles permitem que qualquer pessoa compre e venda ativos de qualquer lugar, basta ter acesso à internet.

Se você planeja investir na Bolsa de Valores por conta própria, seja para comprar ações, fundos imobiliários ou ETFs, é preciso entender como os home brokers funcionam, para começar a se habituar com a ferramenta por meio da qual você negociará os ativos.

Neste artigo, você vai entender para que serve o home broker e como ele funciona, e também vai descobrir por que ele representa uma aproximação das pessoas comuns com a Bolsa de Valores.

Hoje, vamos falar sobre: 

  • O que é um Home Broker?
  • O que preciso para operar no Home Broker?
  • Quanto custa operar com um Home Broker?
  • Como o Home Broker Funciona?
  • Book de Ofertas: O que é e como consultar
  • O que considerar ao investir com home broker?
  • O Home Broker não é a única forma de investir em ações
  • Conclusão

Boa leitura!

O que é um Home Broker?

Saiba o que é um home broker, ilustração

O Home Broker é uma plataforma que permite a negociação de ações e outros ativos na Bolsa de Valores, como fundos imobiliários, ETFs e derivativos.

Falando de modo simplificado, portanto, podemos dizer que o Home Broker é uma ferramenta de investimentos. Através dele, é possível emitir ordens de compra e venda na Bolsa de Valores, tendo conexão com a internet. 

Além dos ativos listados, algumas plataformas ainda oferecem a funcionalidade de negociação de títulos públicos e outros papéis da renda fixa. 

Mesa de operações

A Mesa de Operações, atualmente, consiste em uma opção para quem não pode, ou não quer, operar sozinho na Bolsa. Geralmente, quem utiliza esse recurso são os investidores que desconhecem o funcionamento do mercado, necessitando de assessoria para aplicar.

Na prática, é uma funcionalidade do Home Broker para quem não está seguro sobre o seu uso.

Para investir através da mesa de operações, é preciso entrar em contato com uma corretora e aguardar o atendimento. Um operador habilitado pela Bovespa irá auxiliar o investidor no processo de compra e vendas de ações. 

Essa é uma opção cada vez menos popular. Isso porque não é tão ágil quanto o Home Broker. Além disso, caso você precise de ajuda para investir em ações, existem alternativas mais fáceis e que oferecem mais vantagens. É o caso da aplicação em Fundos de Investimento em Ações, por exemplo. 

A história do Home Broker

Como você pode imaginar, investir na Bolsa de Valores não foi sempre tão simples. Antes do surgimento do Home Broker, era necessário ligar para a mesa de operações da sua corretora. O investidor, então, passava a ordem de compra pelo telefone. 

Está lembrando das famosas cenas de gritaria e confusão associadas aos investidores da Bolsa? É delas mesmo que estamos falando. 

Em 1972, a Bovespa foi a primeira bolsa brasileira a contar com pregão automatizado. Graças ao uso de uma rede de computadores, as informações podiam ser disseminadas em tempo real. 

No entanto, foi apenas nos anos 90 que as negociações começaram a se tornar mais ágeis. Elas passam a ser realizadas pelo CATS (Computer Assisted Trading System). Inicialmente, a operação acontecia de maneira simultânea com o Pregão Viva Voz

Em 1997, é criado o Mega Bolsa. Esse novo sistema possibilita negociação eletrônica na Bolsa de Valores. Com sua implementação, o processamento de informações aumentou muito. Na década seguinte, começam a surgir os serviços de Home Broker

Finalmente, em 2006, todas as operações da Bolsa passam a ser realizadas através do pregão eletrônico doméstico. Foi o fim daquela algazarra na mesa de operações que, por muitos anos, caracterizou o investimento na Bolsa de Valores.

Banner baixar relatório de BDRs, ilustração

O que preciso para operar no Home Broker?

O que é preciso para operar o home broker, ilustração

Qualquer pessoa pode operar através de um Home Broker. No entanto, esses sistemas são mais frequentemente utilizados por pessoas físicas. 

Vale lembrar que, para comprar e vender na Bolsa de Valores, é preciso ter uma conta em uma corretora autorizada pelo Banco Central. É através dessas instituições que as ordens de compra e venda serão emitidas. 

A função das corretoras é justamente intermediar e dar acesso ao mercado de capitais para as pessoas físicas.

Para resumir: o Home Broker é uma plataforma oferecida pelas corretoras financeiras para seus clientes, e você só precisa ser cliente de uma delas para ter acesso.

LEIA MAIS | É seguro investir na Warren?

Quanto custa operar com um Home Broker?

Normalmente, o acesso à plataforma, em si, não tem custo para o investidor, com exceção dos Home Brokers profissionais, que são plataformas avançadas para quem deseja fazer day trade ou swing trade, por meio de análise técnica.

Na maior parte dos casos, porém, você não vai precisar pagar para usar o Home Broker em suas versões simples. O que possui custo, de uma forma geral, são as operações realizadas, seja para comprar ou vender os ativos.

As taxas de compra e venda de ativos na Bolsa são chamadas de taxa de corretagem e podem variar muito de uma corretora para outra. Geralmente, a taxa de corretagem é representada por um valor fixo para cada operação.

Vale lembrar que, na Warren 3.0, você não terá nenhum tipo de custo com taxa de corretagem para investir.  Por isso, ela é a plataforma de investimentos ideal para quem deseja fazer várias operações em um único mês.

Dito isso, também existem os emolumentos: essas são taxas fixas cobradas pela B3 por transação. Elas variam de acordo com o tipo de operação realizada, mas possuem um valor bastante baixo, que não vão impactar as suas tomadas de decisão.

SAIBA MAIS | Corretora taxa zero de verdade: saiba tudo e tire suas dúvidas

Como o Home Broker funciona?

O Home Broker é a plataforma utilizada para que o investidor possa operar na Bolsa de Valores de forma autônoma, sem depender de ninguém.

Como todas as informações são transmitidas em tempo real pela internet, acaba sendo muito mais fácil emitir ordens de compra e venda.

Vale lembrar, porém, que a corretora é responsável por intermediar todo o processo, funcionando como um ponto de conexão entre o investidor e o mercado de capitais.

Assim, quando você emite uma ordem de compra ou venda pelo Home Broker, quem a recebe essa ordem e a executa é a sua corretora.

Como o processo é completamente online e automatizado e as ordens levam apenas alguns segundos para serem executadas, na prática, você quase não vai notar esse intermediário. 

Gosta do mercado financeiro? Assine a Warren Pills e receba uma newsletter inovadora com conteúdo leve e informativo todas as semanas.

Principais funcionalidades de um Home Broker

Existem muitos Home Brokers disponíveis no mercado. No entanto, a maioria deles possui as mesmas funcionalidades básicas. Veja o que você pode fazer através de um Home Broker:

  • Comprar e vender ações, ETFs, FIIs e derivativos;
  • Acompanhar as cotações em tempo real; 
  • Acompanhar pedidos e ordens;
  • Revisar a evolução das ações que estão em sua carteira e seu saldo financeiro. 

Book de Ofertas: o que é e como consultar

Saiba o que é um book de ofertas, ilustração

No Book de Ofertas, podem ser encontradas todas as intenções de compra e venda da Bolsa de Valores. Trata-se de uma listagem, onde ficam registradas todas as ofertas para determinado ativo. 

Essa lista é atualizada em tempo real, o que torna a ferramenta muito útil para determinar a liquidez de uma ação. Falando de forma simplificada, quanto maior o volume de compra e venda de um ativo, maior é a sua liquidez. 

O Book de Ofertas funciona assim: no lado esquerdo da tela, estão listados os valores oferecidos por quem deseja comprar um ativo. Eles ficam organizados por oferta, com o preço mais alto em primeiro lugar. 

No lado direito, por sua vez, aparecem as ofertas de venda. No momento em que o melhor preço de compra e venda são iguais, ocorre a comercialização do ativo.

No dia a dia, ao executar suas ordens a valor de mercado, você vai notar que as informações do Book de Ofertas acabam sendo pouco relevantes.

O que considerar ao escolher um home broker?

Existem diversos critérios que você precisa considerar no momento de escolher um Home Broker para investir. A seguir, listamos algumas delas.

Funcionalidades

O primeiro passo é comparar as funcionalidades oferecidas por cada home broker, para ter certeza de que as operações que você deseja realizar estão disponíveis na plataforma. Alguns home brokers mais simples, por exemplo, não disponibilizam a negociação de derivativos, como contratos futuros e opções.

Confiabilidade da plataforma

Outro critério fundamental para definir o melhor Home Broker para você é a confiabilidade da plataforma em questão. Você precisa ter certeza não apenas de que o seu investimento estará nas mãos de uma corretora segura, séria e competente, mas também de que o Home Broker não vai deixá-lo na mão por instabilidades técnicas quando vocês mais precisar.

Custo-benefício

É impossível não falar dos custos ao analisar um Home Broker para investir. Aqui, o segredo é pesar os benefícios e funcionalidades para medir com os custos e encontrar a opção de melhor custo-benefício.

Usabilidade

O Home Broker precisa ser fácil de utilizar, com uma usabilidade intuitiva e simples, que não exija muitas horas de aprendizado até que você consiga realizar as operações que deseja. Note que não estamos falando de funcionalidades, mas de usabilidade.

O Home Broker não é a única forma de investir em ações

Engana-se quem pensa que investir por meio de um Home Broker é a única maneira de ter acesso à Bolsa de Valores.

Para quem não deseja se aprofundar no estudo das ações e no mercado de renda variável, existem muitas outras formas de aproveitar as oportunidades da renda variável, de maneira prática e inteligente.

A maneira mais simples — e mais popular — é por meio do investimento em fundos de renda variável.

Fundos de investimento de Ações

Em um fundo de ações, um grupo de especialistas do mercado financeiro (a gestora) é responsável pela análise dos ativos, pelas decisões de investimento e pelas operações de compra e venda de ativos.

Dessa forma, o investidor não precisa acessar um Home Broker, ou mesmo realizar análises complexas para determinar os melhores componentes para sua carteira. 

Tudo fica nas mãos dos gestores especializados no mercado financeiro, que vão vasculhar todas as oportunidades para definir o melhor destino para os recursos.

Além disso, os fundos garantem diversificação com apenas um aporte: você consegue se expor a diversas empresas e ativos por meio de uma única operação.  

Existem diversos tipos de fundos de investimento. É possível aplicar em renda fixa, ações, câmbio ou, até mesmo, em fundos que trazem ativos mais variados, como os multimercados. 

Na Warren, trabalhamos atualmente com quatro fundos de ações. Cada um deles possui uma estratégia diferente.

Confira as opções e descubra quais fazem mais sentido para o seu perfil de investidor:

Conclusão

Como vimos, o Home Broker é uma ferramenta essencial para quem deseja operar na Bolsa de Valores de forma independente.

É por meio dessa plataforma, disponibilizada pela corretora, que você terá acesso ao mercado de capitais, para comprar ações, ETFs, fundos imobiliários ou outros ativos.

Quer investir diretamente em ações com a Warren? Conheça o Warren 3.0 e comece a investir por meio do Home Broker!

Se você gostou deste conteúdo, talvez também se interesse por:

abra sua conta warren trade