O que é Letra Financeira do Tesouro (LFT)

LFT, sigla para Letra Financeira do Tesouro, é o antigo nome do que hoje conhecemos como Tesouro Selic.

Trata-se de um título público de renda fixa que permite que um investidor empreste dinheiro ao governo a partir de R$30,00.

Como funciona a Letra Financeira do Tesouro na prática?

A LFT tem um funcionamento muito simples. Para investir nela, basta abrir uma conta em uma corretora e transferir o valor que se deseja investir — lembrando que a quantia mínima é de R$30.

A Letra Financeira do Tesouro tem seu rendimento atrelado a um indexador: a taxa Selic (daí também seu novo nome, Tesouro Selic).

A Selic é a taxa básica de juros brasileira e serve de parâmetro para todas as outras taxas de juros do país, de retornos de investimentos a juros de empréstimos e financiamentos.

A rentabilidade da LFT é igual à taxa Selic. Portanto, se a aplicação for feita quando a Selic estiver em 3,5% ao ano, essa será a sua rentabilidade. Mas vale observar que o valor investido se multiplica diariamente, uma vez que segue o regime de juros compostos

Ainda que a Selic não seja constante, visto que é definida a cada 45 dias pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, a rentabilidade da LFT é prefixada. Isso significa que ela é estabelecida no início da aplicação e permanece a mesma até o seu vencimento.

Os agendamentos de aplicação ou liquidação, e mesmo o extrato da conta podem ser realizados e encontrados pelo próprio site do Tesouro Direto.

Vantagens e desvantagens da Letra Financeira do Tesouro

Investir na LFT ou, como hoje é chamado, Tesouro Selic, traz benefícios interessantes, e aqui reunimos alguns deles. Confira:

  • Liquidez: a Letra Financeira do Tesouro é um investimento que rende diariamente, e sua alta liquidez permite que o valor investido possa ser resgatado a qualquer momento, sem perder nada e ainda lucrando.
  • Valor acessível: a LFT permite uma baixa aplicação inicial, que tem o valor mínimo de R$30,00. Ou seja, não é necessário muito dinheiro para começar um investimento.
  • Baixo risco: por não sofrer muita influência do mercado, a LFT apresenta baixo risco de oscilação. Seus rendimentos, no entanto, costumam ser menores do que os de outros ativos. 

Por outro lado, também existem alguns pontos negativos, como a demora no resgate.

Por mais que a LFT tenha uma alta liquidez e não sofra muitas variações de mercado, para resgatar o dinheiro investido neste título é necessário vendê-lo à corretora e depois fazer a transferência dos recursos para a conta do investidor.

O custo para se investir na LFT costumava ser considerado uma desvantagem, mas recentemente o Tesouro Nacional e a B3, Bolsa de Valores brasileira, retiraram a taxa de custódia para aplicações inferiores a R$10.000.

Ainda assim, para investimentos a partir de R$10.000 é cobrada uma taxa de 0,25% sobre o valor excedente (se a aplicação for de $11.000, a taxa incide sobre R$1.000 que excedem os R$10.000; se for de R$15.000, a cobrança é feita sobre R$5.000).

Gostou da leitura? Continue aprendendo sobre os termos do mercado financeiro aqui no Educação de A a Z: