Setores da Bolsa: conheça todos e analise as empresas para investir

Conhecer os setores da Bolsa é um passo essencial para quem deseja investir na Bolsa de Valores e se expor à renda variável.

Em linhas gerais, as companhias negociadas na B3, a Bolsa de Valores do Brasil, são categorizadas conforme o que produzem ou o que vendem.

Por meio das classificações dos setores da Bolsa, você terá mais facilidade para encontrar e analisar as companhias nas quais deseja investir. 

Por exemplo: você quer investir em ações de um banco? Basta procurar na lista do setor financeiro.

Mas por que você precisa conhecer essas seções? A resposta é simples: para tomar as melhores decisões para os seus investimentos.

Ao conhecer os setores da Bolsa, você ganha mais ferramentas para analisar as empresas. 

Raramente faz sentido comparar os fundamentos, múltiplos e dados financeiros de empresas de setores diferentes, com modelos de negócio completamente distintos.

Conhecer esses setores também é importante para investidores que focam na análise fundamentalista e privilegiam as melhores empresas de cada segmento, com foco no longo prazo.

Para encontrá-las, é preciso descobrir, antes, as características de cada setor.

Preparado para avançar e desbravar os setores da Bolsa? Vamos juntos!

O que são os setores da Bolsa

Primeiro, entenda o que são os setores da Bolsa, ilustração

Os setores da Bolsa são as categorias em que cada empresa listada na Bolsa de Valores se encaixa. Essa é uma forma de organizar e classificar as companhias, além de facilitar as negociações e a análise de ações. É uma condição, também, e para que elas possam se enquadrar nos critérios da B3.

Para essa classificação, a B3 determina alguns critérios de classificação. Para isso, são avaliados alguns aspectos.

O primeiro deles é o serviço ou produto que mais gera receita para a empresa. Isso é analisado porque uma companhia pode ter mais de uma atuação no mercado, mas é considerada apenas a mais relevante em termos de faturamento.

Também são consideradas as receitas geradas em âmbito de empresas investidas, avaliando as participações acionárias que elas têm.

Essas participações são consideradas por alguns motivos:

  • Se algum setor apresentar participação igual ou superior a dois terços da receita de uma empresa, ela é classificada em um dos setores da bolsa;
  • Se for inferior, ela será classificada como holding diversificada — empresas que têm a maioria das ações de outras companhias, com direito a decisões políticas e administrativas.

Além disso, as classificações e estruturas das companhias são revisadas periodicamente e, caso sofram mudanças significativas, podem ter o seu setor alterado.

LEIA TAMBÉM | As 10 ações que mais se valorizaram desde 1996 [Download] 

Banner baixar relatório de BDRs, ilustração

Quais são os setores da Bolsa?

Saiba quais são os setores da Bolsa, ilustração

Agora que você já sabe o que são os setores da Bolsa, que tal conhecê-los? Cada setor tem o seu subsetor e o segmento das empresas. Entenda melhor a seguir:

Bens industriais

Esse é um setor da Bolsa que reúne gigantes brasileiras, que atuam desde o transporte rodoviário até equipamentos e maquinários de uso industrial.

Os subsetores são:

  • Comércio, construção e engenharia;
  • Máquinas e equipamentos;
  • Serviços e transporte;
  • Material de transporte.

Agora, confira quais são as empresas listadas no setor de bens industriais das quais você pode comprar ações:

Empresas do setor de bens industriais
Aeris
Allpark Empreendimentos
ATMA
Azevedo e Travassos
Azul
Bardella
Battistella
BBM Logística
CCR
Concessionária Auto Raposo Tavares
Concessionária do Aeroporto Internacional de Guarulhos
Concessionária Ecovias Imigrantes
Concessionária Rio-Teresópolis
Concessionária Rodovia Ayrton Senna
Concessionária Rodovia do Norte
Concessionária Rodovias do Tietê
Concessionária Sistema Anhanguera-Bandeirantes
Concessionária Via Oeste
Cosan Logística
CSU Cardsystem
DTCOM
Ecorodovias
Electro Aco
Embraer
Eternit
Ferrovia Centro-Atlântica
Flex Gestão de Relacionamentos
Fras-le
Gol Linhas Aéreas
Haga
Indústrias Romi
Inepar Indústria e Construções
Invepar
JSL
Kepler Weber
Log-in Logística
Marcopolo
Metalfrio Solutions
Metalúrgica Riosulense
Metisa Metalúrgica
Mills Estruturas e Serviços
Minas Maquinas
MRS Logística
Nordon Indústrias Metalúrgicas
PBG
Porto Sudeste
Pratica Klimaquip
Priner Serviços Industriais
Randon Implementos
Recrusul
Rodovias das Colinas
Rumo Malhas
Salus Infraestrutura
Santos Brasil
Schulz
Sifco
Sondotécnica Engenharia
Stara Implementos Agrícolas
Taurus Armas
Tecnosolo Engenharia
Tegma Gestão e Logística
TPI – Triunfo
Trevisa Investimentos
Triângulo do Solo
Tupy
Valid Soluções
Weg
Wetzel
Wilson Sons
WLM

Comunicações

Seguindo com os setores da Bolsa, temos o de comunicações. Ele é subdividido em: Mídia, Telecomunicações e em Telefonia Fixa.

As empresas do setor de comunicações na Bolsa são:

Empresas do setor de comunicações
Cinesystem
Algar Telecom
Oi
Telec Brasileiras
Telefônica Brasil
Tim
Telemar

Consumo Cíclico

Em linhas gerais, o consumo cíclico é o setor que depende de um ciclo econômico para ter bons resultados.

Por exemplo, em momentos economicamente favoráveis, as pessoas compram mais roupas, viajam mais e consomem mais de forma geral.

Já em crises, esses setores são mais afetados, pois as pessoas tendem a economizar para gastos essenciais..

Nos setores da Bolsa, eles são subcategorizados em:

  • Automóveis e motocicletas;
  • Construção civil;
  • Hotéis e restaurantes;
  • Tecidos, vestuário e calçados
  • Utilidades domésticas;
  • Viagens e lazer.

Tem interesse em se tornar acionista de empresas no setor de consumo cíclico da B3? Confira as suas opções:

Empresas do setor de consumo cíclico
Alpargatas
Anima holding
Arezzo
B2W Companhia Digital
Bahema Educação
BHG Hospitality Group
BK Brasil
C&A
Cambuci
Cia Locação das Américas
Cogna Educação
Construtora Adolpho Lindenberg
Construtora Tenda
CR2 Empreendimentos Imobiliários
CVC
Cyrela Brasil
Direcional engenharia
Dohler
Encorpar
Estrela
Even Construtora e Incorporadora
EZ Tec Empreendimentos
Fiação Tecidos Cedro Cachoeira
Gafisa
Grazziotin
Grendene
Grupo de Moda Soma
Grupo SBF
Guararapes Confecções
Helbor
Hercules Fabrica de Talheres
Hering
Hotéis Othon
Industrial Cataguases
Inter Construtora e Incorporadora
International Meal Company
Iochpe Maxion
JHSF
João Fortes Engenharia
Karsten
Localiza Rent a Car
Lojas Americanas
Lojas Renner
Maestro Locadora
Magazine Luiza
Mahle Metal
Marisa
Mitre Realty
Monark
Moura Dubeux engenharia
Movida
MRV Engenharia
Mundial
PDG Realty
Pettenati
Plascar
Restoque
RNI Negócios Imobiliários
Rossi Residencial
Saraiva
Ser Educacional
Smartfit
Smiles fidelidade
Springs
SPTuris (São Paulo Turismo)
T4F Entretenimento
Technos
Tecidos Santanense
Tecnisa
Tegra Incorporadora
Tek
Tex Renaux
Trisul
Unicasa
Unidas
Via Varejo
Vivara
Viver Incorporadora e Construtora
Vulcabras/Azaleia
Whirlpool
YDUQS

Consumo não cíclico

O setor de consumo não-cíclico é aquele primário. Ou seja, não é tão afetado pelos ciclos da economia e, muitos deles, são de consumos considerados essenciais — como a alimentação, a saúde e itens de higiene pessoal, por exemplo.

Os setores da bolsa de companhias de consumo não cíclico são subscategorizadas em: 

  • Agropecuária
  • Alimentos processados;
  • Bebidas;
  • Comércio e distribuição;
  • Produtos de uso pessoal e de limpeza.

As empresas desse setor são:

Empresas do setor de consumo não cíclico
Ambev
Atacadão
Biosev
Bombril
Brasilargo
BRF
Camil
Conservadora Oderich
CTC
Excelsior
Forno de Minas
J. Macedo
JBS
Josapar-Joaquim
M.Dias Branco
Marfrig
Minerva
Minupar
Natura
Pão de Açúcar
Pomifrutas
Raízen Energia
São Martinho
Siderúrgica Aliperti
SLC
Terra Santa


Financeiro

O setor financeiro é um dos maiores setores da Bolsa e um dos que têm mais peso e contribuição ao índice Ibovespa.

É nesse setor que você encontra os maiores e mais influentes bancos, corretoras e seguradoras.

Uma curiosidade: você sabia que você pode comprar ações da própria B3

A Bolsa do Brasil é classificada como uma companhia de Serviços Financeiros Diversos. Ela tem suas ações negociadas com o ticker B3SA3 — o sufixo 3 indica que são ações ordinárias.

Quer investir no segmento?

O setor financeiro é subcategorizado em serviços de:

  • Exploração de Imóveis;
  • Holdings Diversificadas;
  • Intermediários Financeiros;
  • Previdência e Seguros;
  • Securitizadoras de Recebíveis
  • Serviços Financeiros Diversos.

As companhias do setor financeiro da bolsa que você pode comprar ações são:

Empresas do setor financeiro
Agpart
Alfa Holding
Alfa Invest
Aliansce
Alper Consultoria
Altere Securitizadora
B3
Banco ABC
Banco Amazônia
Banco Banese
Banco Banpará
Banco BMG
Banco Brasil
Banco BRB
Banco CCBBM (China Construction Bank)
Banco Indusval
Banco Inter
Banco Nordeste do Brasil
Banco Pan
Banco Pine
Banestes
Banrisul
BB Seguridade
Beta Securit
BNDES
BR Malls
BR Properties
Bradesco
Brasil Brokers
Brazil Realt
Brazilian Finance
Brazilian Securities
BRC Securitizadora
BRPR Securitizadora
BTG Pactual
BV
Cibrasec
Cielo
Correia Ribeiro
Cyrela Commercial
Dibens
Eco Securitizadora
Finansinos
Gaia Agro e Securitizadora
General Shopping
GP Investimentos
Habitasul
IGB Eletrônica
Iguatemi
IRB Brasil
Itaú Unibanco
Itausa
Jereissati
Log Commercial
LPS Brasil
Mercantil
Monteiro Aranha
Multiplan
Octante
PadTec
Paraná Banco
Participações Aliança da Bahia
Pátria Securitizadora
PDG
Polo Capital
Porto Seguro
PPLA Participações
RB Capital
Santander
São Carlos Empreendimentos
Seguros Aliança
Sofisa
Springer
Sul América
Terminal Garagem
TrueSec
Verti Companhia Securitizadora
Wiz
WTorre Pic Securitizadora


Materiais Básicos

O setor da bolsa classificado como materiais básicos contempla grandes e influentes empresas, como a Vale, Gerdau e Usiminas

Essa seção é das empresas que produzem ou comercializam itens como: produtos químicos, minério e embalagens.

Os subsetores dessa categoria são:

  • Embalagens;
  • Madeira e papel;
  • Materiais diversos;
  • Mineração;
  • Químicos;
  • Siderúrgica e Metalúrgica.

Deseja comprar ações desse setor? 

Confira as empresas das quais você pode se tornar acionista no setor de materiais básicos:

Empresas do setor de materiais básicos
Aperam Inox
Aura Minerals
Bradespar
Braskem
Companhia de Melhoramentos de SP
Duratex
Eucatex
Ferbasa
Fertilizantes Heringer
Gerdau
GPC
Irani Papel e Embalagens
Klabin
Litel
Litela
Mangels
Metalgráfica Iguaçu
MMX Mineração
Nutriplant
Panatlantica
Paranapanema
Sansuy
Santher
Siderúrgica Nacional
Suzano (Holding e S.A)
Tekno
Tronox Pigmentos
Unipar Carbocloro
Usiminas
Vale


Gosta do mercado financeiro? Aproveite para assinar a Warren Pills e receba conteúdos informativos com um toque de bom humor todas as semanas. 

Petróleo, Gás e Biocombustíveis

Esse também é um importante e influente setor da Bolsa. Nele, estão listadas companhias como a Petrobras, ou seja: aquelas que atuam tanto na exploração quanto no refino desses produtos.

Veja quais são as empresas do setor de Petróleo, Gás e Biocombustíveis:

Empresas do setor de Petróleo, Gás e Biocombustíveis
Cosan
Dommo Energia
Enalta
Lupatech
OSX
Petro Rio
Petrobras
Petróleos Manguinhos
Refinaria Rio Grandense
Ultrapar

Saúde

Além de ser um setor essencial, a saúde teve um importante crescimento na B3 nos últimos anos. Muitas companhias, como planos de saúde e farmácias, fizeram IPO na Bolsa.

Além de opções de diversificação para quem investe, isso reflete em toda a sociedade

Isso acontece porque muitos dos recursos captados na Bolsa são utilizados como melhorias dos serviços e até mesmo ampliação dos atendimentos.

Se você tem interesse em investir no setor de saúde da Bolsa, aqui estão as empresas listadas:

Empresas do setor de saúde
Advanced Digital Health
Alliar – Centro de Imagens e Diagnósticos
Baumer
Biomm
Biotoscana Investments
Dimed
Fleury
Hapvida
Hermes Pardini
Hypera
Lifemed
Nortec Química
Notre Dame
Odontoprev
Outro Fino Saúde Animal
Profarma
Qualicorp
Raia Drogasil


Tecnologia da Informação

Esse é um setor pequeno da Bolsa, mas tem empresas importantes listadas. Há duas subcategorias: Computadores e Equipamentos e Programas e Serviços.

São as empresas de tecnologia na Bolsa, companhias que atuam na produção de equipamentos eletrônicos e no desenvolvimento de softwares ou hospedagem de sites, por exemplo.

As empresas listadas nesse setor são:

Empresas do setor de tecnologia
BRQ Soluções em Informática
Linx
Locaweb
Positivo
Quality Softwares
Sinqia
Tivit
Totvs
Universo online

Utilidade pública

O setor de utilidade pública da Bolsa de Valores segue a mesma importância da saúde, por exemplo.

Companhias que atuam na distribuição de energia e saneamento básico utilizam a B3 para captar recursos e investir em seus projetos de melhoria. 

Essas empresas são organizadas em: Água e Saneamento, Energia Elétrica e Gás.

As empresas desse setor são:

Empresas do setor de Utilidade pública
AES Sul
AES Tietê Energia
Afluente Transmissão de Energia
Alupar Investimentos
Ambipar
Ampla Energia
Cachoeira Paulista
Casan — Companhia Catarinense de Águas e Saneamento
CEB
Ceee-D
Ceg
Celesc
Celg Distribuição
Celgpar
Celp
Cemig
Cesp
Coelbra
Coelce
Comgás
Copasa — Companhia de Saneamento de Minas Gerais
Copel
Cosern
CPFL
EDP São Paulo
Elektro
Eletrobras
EletroPaulo
Emae
Energias BR
Energisa
Enersul
Eneva
Engie Brasil
Equatorial
Escelsa
FG Energia
Igua Saneamentos
Itapebi
Light
Neoenergia
Omega
Paul — Companhia Paulista de Força e Luz
Proman
Rede Energia
Renova
Rio Paranapanema Energia
Sabesp — Companhia de Saneamento Básico de São Paulo
Sanepar — Companhia de Saneamento do Paraná
Sanesalto Saneamentos
Santo Antônio Energia
Statkraft
Taesa
Termelétrica Pernambuco
Trans Paulista — Companhia de Transmissão de Energia Elétrica de São Paulo
Uptick

Outros

No site da B3, você encontrará um setor chamado de Outros. Nele, estão listadas as empresas que não se encaixam nos outros segmentos.

Em linhas gerais, são companhias holding, isto é: companhias com participação majoritária em outras empresas. 

São negócios que detêm a maior parte das ações de uma ou mais empresas. São elas:

Empresas do setor “Outros”
524 Participações
Alef S.A
Atompar Empreendimentos
Betapart Participações
Cabinda Participações
Caconde Participações
Cemepe Investimentos
CIMS
Gama Participações
Inncorp (Selectpart)
Investimentos Bemge
J B Duarte Industriais
MGI Participações
Opportunity Energia
Polpar
Prompt Participações
Sudeste S.A
Sul 116 Participações

Como analisar os setores da Bolsa para investir? 

Saber como escolher ações entre tantas empresas e setores da Bolsa é um dilema comum e uma das maiores dúvidas entre os investidores. E isso não acontece somente com os investidores que estão começando na Bolsa. 

Não se pode prever os setores que terão bons resultados no futuro. O comportamento das ações das companhias sofrem influências de diversos acontecimentos, como inflação, nível de interesse dos investimentos, políticas monetárias, públicas e econômicas nacionais e internacionais.

Até mesmo notícias dos jornais podem interferir nesse aspecto. Notícias boas tendem a valorizar as ações, enquanto as ruins podem causar quedas no curto prazo. 

Um dos motivos para isso é justamente o interesse dos investidores. 

Para tomar as melhores decisões, recomendamos sempre o uso da análise fundamentalista

Essa é uma investigação sobre as empresas, para projetar cenários e avaliar aspectos importantes, como a saúde financeira e histórico da companhia. 

Para ajudar você a analisar os setores da Bolsa, reunimos os tópicos que você precisa avaliar para escolher as suas ações. 

Vamos entender?

LEIA TAMBÉM | Investir em ações no curto prazo: é possível ganhar dinheiro? 

Tamanho do setor

Quando falamos em tamanho do setor, estamos nos referindo a sua influência na economia

Setores com mais significância tendem a ser mais valorizados. Por exemplo quando comparamos os bancos e companhias de energia com lojas de roupas.

Os investimentos em longo prazo são os mais indicados, principalmente se tratando da Bolsa de Valores e renda variável.

Com esse objetivo para a sua carteira, se torna ainda mais importante buscar por empresas e setores perenes e que tendem a se valorizar com o tempo. 

Nesse contexto, uma análise possível é que os setores Financeiro, de Materiais Básicos e de Saúde tendem a se valorizar e disponibilizar bons potenciais de retorno no longo prazo. 

O argumento é de que eles são formados por empresas que toda a população precisa

Quem fica sem banco? E sem comprar remédios na farmácia? Já pensou se não existisse mais atividade mineradora, madeira e papel?

LEIA TAMBÉM | Como começar a investir na Bolsa de Valores: passo a passo

Legislação 

A legislação das empresas e do setor da Bolsa que você pretende comprar ações muda muito? 

Se as leis e regulações mudam constantemente, há maiores incertezas em relação à empresa. 

Quanto maiores são as incertezas, maior tende a ser a volatilidade no valor das ações. 

As  mudanças nas legislações podem não ser vistas com bons olhos pelos investidores, que desejam previsibilidade. Isso reflete no interesse e, consequentemente, no preço e na valorização. 

Quando o perfil de investidor é o arrojado, há maior tolerância aos riscos e essas mudanças podem ser aceitas. 

Porém, nos casos de moderados e iniciantes no mercado acionário, pode haver mais intolerância às mudanças, já que eles estão dando seus primeiros passos na renda variável e podem preferir investir em ações mais consolidadas.

LEIA MAIS | Os três pilares básicos para investir em renda variável

Facilidade de entender 

Você conhece as atividades, produtos ou serviços do setor? As empresas são do seu círculo de competência? 

Para investir em mercados desconhecidos, é interessante ter a ajuda de um profissional, como um consultor de investimentos

Se você não tem familiaridade com as companhias e segmentos, terá dificuldades até mesmo para acompanhar o comportamento do setor, para pesquisar as empresas e para entender seus resultados. 

Por isso, uma estratégia utilizada por investidores é a de comprar ações de empresas que eles tenham mais noção do mercado, ou que tenham facilidade de entender o segmento. 

Resiliência 

Resiliência é a capacidade de nos recuperarmos e de lidarmos com mudanças e momentos ruins. 

Todas as empresas estão sujeitas a sofrer desvalorização e perdas. 

Porém, o que também é relevante para escolher ações é a capacidade que o negócio tem de contornar esses cenários

Como as empresas se comportam na crise? Elas se recuperam com certa rapidez, ou se afundam em um cenário negativo? 

Histórico das empresas 

Você investiria em um setor que tem histórico de muitas perdas, volatilidade ao extremo e desvalorização frequente? 

O histórico de resultados de uma companhia da Bolsa é como o currículo dela. 

Para exemplificar, vamos ao setor aéreo. Esse é um segmento um pouco mais complexo e há empresas que quebraram — lembra da Varig? 

O setor de turismo também tende a sofrer com as crises em conjunto com as companhias aéreas. 

Agora, compare ao setor de consumo ou aqueles considerados essenciais, como saneamento básico, o setor financeiro e de alimentação. 

Isso não quer dizer que empresas com bons histórico e com perspectivas positivas estejam blindadas aos riscos, volatilidade e às crises. São probabilidades e estudo de antecedentes

Margens do setor 

Para analisar os setores da Bolsa, é importante ter em mente alguns aspectos e tópicos a serem considerados. 

Não é indicado investir apenas por investir, como se estivesse tirando na sorte. Bolsa de Valores não é cassino. 

Além do histórico, as margens do setor e da empresa contam muito. 

Existem dois tipos de margem: as margens de lucro e as margens operacionais. 

A margem operacional é um indicador que mensura as receitas provenientes da atividade principal de um negócio. 

Vamos pensar nas Lojas Marisa. A atividade principal é a venda de lingeries e roupas femininas

Porém, apesar de não ser atividade principal, a empresa também tem aplicações financeiras 

A margem operacional é utilizada para levantar o quanto do faturamento foi proveniente da venda de lingeries e roupas femininas. 

Já a margem de lucro relaciona as receitas da empresa com o que sobra para ela após excluir os custos e despesas das suas atividades. 

Além de esses indicadores mudarem muito de acordo com o setor, nunca se pode avaliar as empresas por meio de dados isolados. 

LEIA TAMBÉM | ROE: o que é e como analisar o Return On Equity ao investir 

Diversifique entre os setores da Bolsa 

Diversifique entre os setores da Bolsa, ilustração

A diversificação é sempre a melhor estratégia, principalmente quando alinhada a objetivos de longo prazo. 

O opção de diversificar pode ser encarada como um mecanismo de proteção e valorização da sua carteira.

Você pode fazer aportes em diferentes setores, assim você fica exposto a diferentes variáveis, da mesma maneira que tende a lucrar com diferentes contextos.

A diversificação é tão cultuada porque reduz o risco específico dos ativos, sem reduzir o potencial de retorno no longo prazo.

Mas as escolhas devem sempre considerar os tópicos acima, além de estarem alinhadas aos seus objetivos, metas financeiras e, principalmente, ao seu perfil de investidor. 

Conhecer quais são os setores da Bolsa é importante para ajudar nas suas pesquisas e na decisão de quais ações investir. 

Para iniciar, vale a pena buscar por setores que você tenha certa familiaridade, pois a facilidade de entendimento pode ajudar a fazer melhores escolhas.

Não tem tempo ou conhecimento para analisar esses setores? Na Warren, nós temos nove fundos de investimento para você diversificar os seus investimento em renda fixa e renda variável, dentro do seu perfil de investidor.

Quer conhecer mais? Descubra como a Warren funciona.

Gostou do artigo? Leia também:

abra sua conta warren trade