Como vai o seu bem-estar financeiro?

Você vive a melhor vida que o seu dinheiro pode proporcionar?

Parece frase de propaganda de carro ou de agência de viagens, mas essa é, na verdade, a reflexão mais importante da sua vida financeira. 

Pense na quantidade de horas diárias que você passa trabalhando para receber o dinheiro que cai na sua conta! 

Toda essa dedicação de tempo e energia no trabalho merece ser recompensada com qualidade de vida e bem-estar no seu tempo livre.

De olho nas duas armadilhas do dinheiro

Existem muitas armadilhas que podem impedir as pessoas de aproveitarem ao máximo o dinheiro que ganham. 

A principal delas é achar que aproveitar ao máximo significa gastar todo o dinheiro

Realmente, pensar no futuro, fazer contas e renunciar de alguns prazeres que o presente oferece pode ser desconfortável, mas muito pior é o desprazer causado pelas consequências de não se planejar financeiramente.

Quem torra o dinheiro sem pensar no amanhã vive intensamente e se diverte, mas, uma hora ou outra, acaba tendo que lidar com a ansiedade de olhar para a fatura do cartão de crédito e se deparar com parcelas a perder de vista. 

Sem uma mudança de hábitos, tomar empréstimos passa a fazer parte da rotina e o que antes era só ansiedade se transforma em preocupação, angústia e arrependimento.  

Tão ruim quanto gastar mais do que deveria é gastar menos do que poderia, e essa é outra armadilha que pode afastar o bem-estar da sua vida financeira.

Por medo excessivo do futuro ou dificuldade de estabelecer critérios claros de consumo, muitas pessoas desenvolvem uma relação ruim com os seus gastos, tentando evitá-los ao máximo e se privando de sair para comer, comprar roupas novas e outros mimos que não prejudicariam o orçamento. 

Evitar as dívidas e ter uma reserva financeira são passos importantes para um bom equilíbrio entre presente e futuro, mas representam apenas a metade do caminho para a melhor vida que o seu dinheiro pode proporcionar. 

Assim como o conceito de saúde é muito mais amplo do que a mera ausência de doenças, o seu bem-estar financeiro não se restringe a pagar as contas em dia e poupar para o futuro.

Se você respeita o limite do seu cartão de crédito, mas não se permite incluir a verba do lazer e outros prazeres no planejamento, a sua organização não vai tornar os seus dias mais alegres. 

Também não adianta ter verba se for para usá-la com compras para satisfazer impulsos, fugir do tédio ou compensar sofrimentos. 

Da mesma forma, poupar um percentual da renda mensalmente não fará a sua vida mais feliz se você não souber para que está poupando e se a quantia poupada é suficiente para realizar os seus objetivos, sonhos e desejos. 

Mas, então, o que é bem-estar financeiro?

Bem-estar financeiro, portanto, pode ser definido como a satisfação gerada pela proporção harmônica entre gastos que geram qualidade de vida e uma poupança mensal suficiente para a realização de objetivos e sonhos

Prazer no presente sem dor no futuro.   

Cada real gasto representa uma escolha de qual vida, dentre tantas possíveis, você decide viver. 

Recebi da Warren a missão de ajudar a cultivar o seu bem-estar financeiro. 

Cada texto desta coluna pode representar um passo em direção à melhor vida que o seu dinheiro pode lhe proporcionar. 

Eu estou animadíssimo para essa jornada! Nos vemos na próxima coluna.

Enquanto isso, aproveite para ler outros artigos aqui na Warren Magazine: