Melhores ações para 2022: 5 oportunidades para você investir  

Com 2021 chegando ao fim, é o momento de mirar o próximo ano e investigar as melhores ações para 2022.

Mesmo que isso frustre as suas expectativas, precisamos dizer que não há como definir uma lista absoluta com os melhores ativos da Bolsa de Valores.

Uma ação pode ser perfeita para o João, mas longe de ser a melhor para integrar a carteira do Pedro. 

Tudo vai depender dos da finalidade do investimento, do perfil de risco de cada um e dos objetivos pessoais.

Dito isso, podemos ajudar você a descobrir por conta própria quais são as melhores ações para 2022

Para ajudar, vamos trazer insights sobre cinco ativos que merecem a sua atenção.

As observações que traremos podem servir como ponto de partida para uma análise mais detalhada e para inspirar avaliações de outras ações que você possa considerar promissoras.

Antes de apresentar a lista, vamos trazer algumas dicas que podem ser úteis no seu processo de procura pelas melhores ações da Bolsa de Valores.

Vamos juntos? Boa leitura!

Por que não existe uma lista com as melhores ações para 2022?

Como já deixamos claro na abertura do texto, não existe uma lista definitiva com as melhores ou piores ações da bolsa. No lugar de melhores ações para todos os casos, o que existe são ações mais adequadas a determinada carteira, alinhadas com uma estratégia de investimento específica.

Então, se você encontrar algum conteúdo apresentando determinados ativos como as melhores ações, desconfie — a não ser que esse conteúdo tenha sido feito especialmente para você, considerando seus objetivos e perfil de risco.

Este perfil de investidor pode ser:

  • Conservador: tem menos disposição para o risco, então prioriza mais a segurança
  • Moderado: está no meio termo entre conservador e arrojado e tem uma carteira eclética
  • Arrojado: tem maior tolerância aos riscos, tendo maior disposição para investimentos menos convencionais

E não para por aí. 

Cada perfil de investidor pode ter uma estratégia específica de investimento, o que muda completamente a composição do portfólio de ações.

Além disso, existem os objetivos pessoais. Há investidores que desejam viver de dividendos e sequer estabelecem um prazo para vender as ações de sua carteira. 

Outros têm objetivos específicos, como comprar uma casa na praia daqui a 10 anos.

Seguindo esse exemplo, as melhores ações para alcançar o primeiro objetivo podem ser bem distintas das ações mais adequadas para realizar o segundo.

LEIA TAMBÉM | Melhores investimentos para 2022: quais são e como escolher? 

Como analisar as melhores ações

Como analisar as melhores ações, ilustração

Em primeiro lugar, é bom ter o entendimento de que as ações não estão desconectadas das companhias que as emitem. A valorização da ação está relacionada com a da empresa, não é mera especulação.

Se essa organização vai bem, tem produtos e serviços de qualidade e uma participação no mercado crescente, a tendência é que suas ações se valorizem.

A qualidade da gestão da empresa também conta: quando ela é bem administrada, é mais provável que tenha lucros consistentes e conquiste uma boa reputação na bolsa.

Mas é importante saber que isso tudo faz mais sentido quando o investidor está mirando o longo prazo.

Caso contrário, a rentabilidade da carteira de ações fica mais sujeita às flutuações de curto prazo, que são mais imprevisíveis e podem ter pouca ou nenhuma relação com a competência da administração da empresa.

Por exemplo: alguém que investiu em uma empresa no começo de 2020 pode ter visto o preço das ações cair nos meses seguintes. 

Nesse caso, a queda provavelmente foi motivada pelas incertezas do mercado durante a pandemia, e não por deficiências na gestão da empresa. 

No longo prazo, por outro lado, uma organização grande (ou promissora), sólida e bem administrada tende a superar esses períodos de instabilidade e se valorizar acima da média.

E aí surge a pergunta: como identificar essas empresas?

A resposta é simples: utilizando o que chamamos de análise fundamentalista de ações

É uma abordagem que investiga a companhia a partir das informações que ela própria divulga, além de uma análise do contexto macroeconômico.

Algumas das principais informações e aspectos levados em conta na análise fundamentalista são:

  • Formulário de referência
  • Balanço patrimonial
  • Perspectivas para o segmento de mercado
  • Receitas e despesas
  • Lucro líquido
  • Endividamento
  • Governança
  • Taxa de juros
  • Inflação
  • Desemprego
  • Câmbio

Outras informações que podem ajudar na análise das ações são os múltiplos, indicadores que relacionam dois dados diferentes da companhia e podem gerar insights importantes — quando comparados com os dados históricos e múltiplos de outras empresas do mesmo setor.

Alguns exemplos:

LEIA TAMBÉM | Investir em ações no curto prazo: é possível ganhar dinheiro?

Como encontrar a melhor ação para você em 2022

Como encontrar a melhor ação para você em 2022, ilustração

Para decidir quais as melhores ações para integrar a sua carteira de investimentos em 2022, você precisa submeter a análise dos fundamentos e múltiplos da empresa, que mencionamos acima, aos seus objetivos.

Se a sua meta for viver de dividendos, é melhor restringir a procura às empresas listadas na bolsa que remuneram os investidores com maior consistência e maior percentual dos lucros.

Geralmente, são as organizações maiores, consolidadas há algum tempo, que já têm uma grande participação no mercado.

Muitas vezes, elas acabam recorrendo à distribuição de dividendos como forma de atrair novos investidores, já que suas possibilidades de crescimento são limitadas.

Mas você não precisa fazer suposições, basta considerar, em um filtro inicial, as empresas com maior dividend yield ao longo do tempo. 

O dividend yield mostra a divisão dos dividendos pagos por ação pelo valor unitário da ação.

Caso seu objetivo seja outro, cabe a você fazer esse exercício de pensar quais características fazem mais sentido para seu portfólio de ações.

Para formar um patrimônio, mirando décadas à frente, por exemplo, você pode olhar com carinho para as small caps que acredita terem condições de se tornarem empresas gigantes no futuro.

Até as microcaps podem entrar nessa carteira, se o objetivo for realmente de longo prazo.

A partir dessas definições sobre seus objetivos e estratégia, você pode filtrar as opções disponíveis de acordo com as características desejadas para encontrar as melhores ações para 2022.

LEIA TAMBÉM | Carteira de investimentos: o que é e como montar a carteira ideal

Melhores ações para 2022: 5 opções

Melhores ações para 2022: 5 opçõe, ilustração

Depois de esclarecer todos esses pontos, chegou a hora de apresentarmos cinco opções de investimento na Bolsa de Valores para você avaliar se fazem sentido para a sua carteira.

Se esses ativos estão entre as melhores ações para 2022, caberá a você decidir.

Da nossa parte, deixamos claro que as ações listadas a seguir não são recomendações de investimento.

E as observações que seguem não compõem uma análise fundamentalista completa, e sim alguns insights que podem servir de inspiração para seu processo de escolha de ações.

Confira!

JBS (JBSS3)

As ações da JBS, uma das maiores empresas de alimentos do mundo, tiveram um ótimo desempenho em 2021.

Os papéis inauguraram 2021 valendo R$ 23,41 e fecharam a primeira semana de dezembro a R$ 34,41, uma valorização de 47%.

Quanto aos resultados, a empresa teve lucro de R$ 14 bilhões na soma dos 3 primeiros trimestres do ano, bem superior aos R$ 632 milhões registrados no mesmo período de 2020.

Analista da Warren, Iago Souza acredita na continuidade da forte demanda por carne bovina e suína em 2022, o que deve beneficiar a empresa.

“Vemos a JBS numa posição bem confortável para surfar esse ‘superciclo’ da carne. A companhia conseguiu diminuir sua alavancagem, ao mesmo tempo em que fez novos investimentos: entrada no mercado de aquicultura e proteína cultivada”, contextualiza.

Iago acrescenta que as operadoras de proteínas têm grande fatia de sua receita dolarizada e poderiam se beneficiar de uma eventual desvalorização do real, em um ano que pode ser turbulento para nossa moeda, devido ao cenário eleitoral.

PetroRio (PRIO3)

As ações da petrolífera PetroRio encerraram 2020 custando R$ 14,04 e se valorizaram 56% até o fim da primeira semana de dezembro de 2021, quando seu preço estava em R$ 21,93.

Os lucros acumulados nos três primeiros semestres deste ano são de R$ 452 milhões, contra um prejuízo de R$ 272 milhões em 2020.

Como maior empresa independente de exploração e produção de petróleo do Brasil, a PetroRio tem o objetivo de crescer e alcançar novos mercados através de aquisições, sem deixar de lado a eficiência operacional.

A equipe de análise da Warren acredita que a empresa vai se valorizar, captando oportunidades no segmento de exploração e produção, com baixos custos de extração, eficiência operacional e tecnologia de ponta.

“Acreditamos que a empresa poderá crescer forte nos próximos anos, aproveitando a estratégia de desinvestimentos da Petrobras para adquirir campos maduros da estatal e aumentar sua produção de petróleo significativamente”, observaram os analistas.

LEIA MAIS | PetroRio: analisamos a petroleira mais eficiente da América Latina

Klabin (KLBN11)

A Klabin é a maior produtora e exportadora de papéis do país. Suas ações encerraram 2020 custando R$ 26,47 e caíram para R$ 25,05 até o fim da primeira semana de dezembro, uma queda de 5,36%.

Nos três primeiros trimestres do ano, registrou lucro de R$ 2,3 bilhões, enquanto teve R$ 3,7 bilhões de prejuízo no mesmo período de 2020.

A empresa é entusiasta de iniciativas ESGs (“Environmental, Social and Corporate Governance”), portando-se como líder entre as companhias brasileiras de capital aberto, sendo a primeira do setor a obter a certificação Forest Stewardship Council (FSC).

A equipe de analistas da Warren avalia que, justamente por conta de sua agenda ESG e das mudanças de hábito da população, as ações da Klabin tendem a se valorizar.

“Preferimos Klabin em relação a seus pares por conta da empresa apresentar algumas vantagens competitivas, com destaque para o portfólio integrado, contratos exclusivos e liderança no âmbito de iniciativas ESG”, pontuaram os analistas.

LEIA MAIS | Klabin: uma análise da maior produtora e exportadora de papéis do Brasil

Vale (VALE3)

As ações da Vale, uma das maiores mineradoras do mundo, encerraram 2020 custando R$ 87,45 e, ao fim da primeira semana de dezembro de 2021, custavam R$ 76,33, tendo caído 12,72% no período.

Seu lucro foi de R$ 90,6 bilhões no consolidado dos três primeiros semestres do ano, contra R$ 20,6 bilhões no mesmo período de 2020.

Para o analista Iago Souza, o mercado de minério de ferro será mais equilibrado em 2022. “Frente a uma capacidade de produção acima de 350 milhões de toneladas no próximo ano, a Vale se torna uma opção atrativa para acumular bons proventos nos próximos meses”, opina.

Iago ainda destaca que o break-even (valor necessário para igualar receitas e custos) da mineradora é de quase US$ 50 por tonelada. “Isso gera um espaço confortável dentro do patamar que o minério de ferro está sendo negociado”, conclui.

LEIA TAMBÉM | Commodities: o que são, por que o Brasil é destaque e como investir

BTG Pactual (BPAC11)

Por fim, outra ação que talvez mereça a sua análise é a do banco de investimentos BTG Pactual.

O ativo fechou 2020 custando R$ 23,50 e a primeira semana de dezembro com um preço 9,8% menor, a R$ 21,20.

Seu resultado no consolidado dos três primeiros trimestres de 2021 foi um lucro de R$ 4,6 bilhões, frente a R$ 1,4 bilhões no mesmo período do ano anterior.

“O BTG Pactual é o nosso ‘top pick’ no índice financeiro (IFNC). O banco de investimentos tem grandes oportunidades de crescimento atreladas às sinergias de seus segmentos de negócios, com um forte ecossistema de distribuição, vendas e negociação de produtos e serviços”, analisa Iago Souza.

Conclusão

Como afirmamos antes, não existe uma lista com as melhores ações para 2022 que sirva para todos os investidores.

A composição da sua carteira vai depender do seu perfil e de seus objetivos.

Mas você viu também que é possível encontrar muitas informações para embasar essas escolhas.

Lembre-se que, mesmo que seja mais fácil prever as condições do mercado para o ano seguinte do que para daqui a 10 anos, o ideal, ao aplicar na Bolsa de Valores, é mirar no longo prazo.

Assim, você faz uma análise detalhada uma vez e depois não precisa ficar atualizando a composição do portfólio de ações o tempo todo — o que seria uma estratégia ainda mais arriscada.

Comece a fazer suas investigações e, quando estiver confortável para investir, venha conosco. 

Na Warren, você investe em ações sem taxa de corretagem e tem acesso aos relatórios completos dos nossos analistas. Abra sua conta e comece a investir em minutos.