Reserva de emergência: o que é e como fazer a sua

Ter uma reserva de emergência é o primeiro passo em direção à sua independência financeira. Além de trazer maior segurança para seus investimentos, também dará certa tranquilidade para você e sua família.

No entanto, pode ser muito difícil começar construir uma reserva de emergência. Afinal, para a maioria das pessoas, dificilmente sobra dinheiro no fim do mês. Além disso, existem muitas dúvidas sobre investimentos.

Quanto você precisa guardar na sua reserva de emergência? Onde deixar o dinheiro para proteger seu poder de compra no longo prazo?

Se você tem essas ou outras dúvidas sobre como montar uma reserva de emergência, esse artigo é para você.

A seguir, vamos explicar melhor:

Boa Leitura!

O que é uma reserva de emergência

O que é uma reserva de emergencia, ilustração
Aprenda mais sobre a importância de uma reserva de emergência.

Reserva de emergência é uma quantia de dinheiro que fica guardada, para o caso de surgirem imprevistos. Afinal, não é possível prever tudo que vai acontecer com você ou sua família, e quando vocês precisarão de dinheiro.

Portanto, a reserva de emergência é uma forma de garantir certa segurança financeira e, também, manter certa estabilidade em seu padrão de vida, caso surjam problemas.

Esse é um dos passos mais importantes na organização das suas finanças pessoais; quando você não possui uma reserva, qualquer imprevisto pode colocar suas contas no vermelho.

Por exemplo, se o encanamento da sua cozinha estourar hoje, você terá meios de cobrir a manutenção? Ou, se perder o emprego, terá como cumprir com suas despesas até conseguir outra vaga?

Claro, sempre torcemos para que coisas assim não aconteçam. No entanto, quando você está preparado para lidar com elas, a saúde financeira da sua família sofrerá menos danos e será menos impactada.

Isso irá acontecer pois, normalmente, gastos emergenciais são mandatórios — você não pode evitá-los quando eles aparecem. Assim, quem não conta com uma reserva de emergência, acaba se endividando.

E, como você já deve saber, juros cobrados por bancos em empréstimos pessoais não são baixos. 

Qual a importância da reserva?

Ter a certeza de uma reserva de emergência traz mais tranquilidade para sua família. Porém, acima de tudo, é uma ferramenta que ajuda a manter sua saúde financeira, ou seja, suas contas no azul.

Assim, quando surge um imprevisto, ele já é bem menos assustador; você sabe que está preparado para lidar com o problema, sem que isso cause maiores impactos no padrão de vida seu e de sua família.

Além de ser um dos pilares da organização financeira doméstica, a reserva de emergência também é fundamental no mundo dos investimentos.

Especialistas recomendam sempre contar com uma quantia aplicada em ativos seguros, reduzindo o risco de perder dinheiro em operações mais voláteis.

Quanto deve ser a reserva de emergência?

No geral, o recomendado é que uma reserva de emergência seja suficiente para cobrir 6 meses das despesas familiares.

Porém, muitas pessoas também utilizam como guia sua renda base pessoal, montando uma reserva de 6 vezes esse valor.

Então, por exemplo, se você ganha R$ 3 mil por mês, sua reserva de emergência deverá ser de R$ 18 mil.

Pode parecer bastante, mas não é tão difícil construir essa reserva. Basta um pouco de planejamento e disciplina.

Continue a leitura e vamos te guiar no caminho em busca da sua reserva de emergência! 

Características dos investimentos de uma reserva financeira

Investimentos de uma reserva financeira, ilustração
O que buscar em ativos para construir a reserva de emergência?

Uma das dúvidas mais comuns quando o assunto é construir uma reserva de emergência, é justamente onde aplicar e deixar o dinheiro. Afinal, essa é uma quantia que:

  • deverá estar separada da sua conta corrente; 
  • ficará guardada por um longo período.

Portanto, não é indicado deixar esse dinheiro parado, isto é, sem rendimento. Afinal, isso significaria perder possíveis rendimentos com os juros.

Além disso, o maior problema em não manter sua reserva de emergência aplicada, no entanto, é a inflação.

Com o passar dos anos, o dinheiro vai perdendo o valor, conforme o custo de vida aumenta. A proporção em que isso acontece é medida pelo índice IPCA.

No entanto, nem todo investimento é ideal para a construção de uma reserva de emergência. Veja quais características que você deve procurar:

Liquidez diária

Lembre-se: imprevistos acontecem; você pode precisar resgatar parte de sua reserva de emergência a qualquer momento. Por isso, é muito importante que o investimento escolhido ofereça essa liquidez.

Rentabilidade acompanhando o CDI ou IPCA

O objetivo ao investir em uma reserva de emergência, geralmente, não é atingir um alto rendimento. Procure por ativos seguros e estáveis, visando proteger seu patrimônio da inflação.

Portanto, é uma boa estratégia buscar títulos de renda fixa que acompanhem ou rendam acima do CDI. Além disso, também é importante acompanhar o IPCA atual e escolher ativos que fiquem acima desse índice.

Quais os melhores investimentos para reserva de emergência?

Melhores investimentos para uma reserva de emergência, ilustração
Veja exemplos de bons investimentos para a reserva de emergência.

Tendo todas essas informações acima em mente, separamos alguns exemplos de investimentos adequados para construir sua reserva de emergência.

A seguir, você encontrará títulos de renda fixa que oferecem segurança e estabilidade, além de proteger seu patrimônio. Ah, claro! Todos eles possuem liquidez diária. Veja:

Fundo Warren Renda Fixa Simples

Sendo o Fundo Warren de Renda Fixa Simples nosso produto mais conservador, essa é uma ótima opção para quem procura proteger o dinheiro da baixa performance da caderneta, sem arriscar.

Ele tem composição de 100% em renda fixa, e seu objetivo é acompanhar o CDI e proteger o poder de compra do seu patrimônio.

Confira o relatório de rendimentos em 2019:

Rendimentos 2019 do Fundo Warren Renda Fixa Simples.

Fundo Warren de crédito privado

Também sendo um produto com alocação 100% em renda fixa, a diferença do Fundo Warren de Crédito Privado é que seu foco está nos produtos privados, como CBDs, LCIs e debêntures, por exemplo.

Ainda é uma opção bastante conservadora em termos de risco, o que significa que é uma ótima escolha para construir sua reserva de emergência.

Nosso objetivo com esse fundo é entregar rendimentos acima do CDI. Veja como esse fundo têm apresentado resultados impressionantes:  

Rendimentos 2019 do Fundo Warren de Crédito Privado.

CDB liquidez diária

Os Certificados de Depósitos Bancários (CDB) são títulos de renda fixa emitidos pelos bancos.

O aporte mínimo desses produtos costuma ficar entre R$ 500 e R$ 1 mil. Ou seja, essa é uma opção acessível e ideal para quem gostaria de montar uma reserva de emergência.

Lembrando que, se você puder fazer um investimento inicial maior, poderá escolher entre outros produtos.

Conheça os CDBs disponíveis na Warren clicando aqui

Tesouro Selic

O Tesouro Selic já foi uma opção bem mais atrativa, visto que sua rentabilidade acompanha quase que exatamente o índice Selic.

Porém, esse ano, a taxa Selic atingiu uma baixa histórica, chegando a 4,5% em novembro de 2019.

Como a previsão para 2020 é que esse índice caia ainda mais, talvez seja uma boa ideia optar pelo Tesouro IPCA+ no longo prazo. No entanto, para resgate em 2025, o Tesouro Selic ainda está rendendo mais do que o IPCA+.

Claro, essa ainda é uma opção muito mais vantajosa que a poupança pois, além de apresentar liquidez diária (contra a mensal da caderneta), o Tesouro Selic rende mais.

O cálculo da rentabilidade da poupança é, atualmente, 70% da Selic + TR (que está em zero), e não é provável que isso mude tão cedo. 

Nunca utilize a poupança como reserva

Como dissemos, esses exemplos que apresentamos são melhores que a poupança. Assim, você certamente já entendeu que a caderneta não é uma opção viável. Mas por quê?

A poupança ainda é extremamente popular entre os brasileiros. No entanto, essa opção deixou de ser vantajosa já faz algum tempo.

Segundo as novas regras implementadas em 2012, o cálculo da rentabilidade é feito com base na taxa Selic.

Funciona assim:

  • caso a Selic esteja acima de 8,5% ao ano: rendimento de 0,5% ao mês + TR;
  • com a Selic igual ou abaixo de 8,5% ao ano: rendimento de 70% da Selic + TR. Esse é o caso, atualmente. 

Assim, mesmo com a Selic em queda histórica, qualquer ativo atrelado diretamente à esse índice, apresentará rendimento superior à caderneta. 

Possibilidade de Rentabilidade Real Negativa

Mas o cenário pode ficar ainda pior. Para calcular a rentabilidade real de um investimento, é preciso levar em consideração a desvalorização do dinheiro com o tempo, ou seja, a inflação medida pelo IPCA.

Assim, vamos supor que as previsões de 2020 do Boletim Focus se concretizem. Dessa forma, a Selic fica em 4,5% e o IPCA em 3,6%.

A rentabilidade real da poupança seria calculada com a seguinte fórmula:

Rendimento Real = (Selic x 70%) – IPCA
(4,5 – 70%) – 3,6%
3,15 – 3,6% = -0,45%

Isso mesmo: esse cenário prevê rendimento real negativo para a poupança em 2020. Isso significa que, embora seu patrimônio não diminua, o poder de compra daquele valor será perdido para a inflação.

Essa previsão é bastante conservadora. Alguns especialistas projetam queda da Selic para 4% no ano que vem.

Dessa forma, é fundamental que investidores busquem alternativas mais rentáveis ou atreladas ao índice de inflação, com o objetivo de proteger a reserva de emergência. 

Aniversário da Poupança

Outro problema com a poupança é o aniversário mensal das aplicações. Funciona da seguinte maneira: se você aplicou na caderneta no dia 15, deve esperar até o dia 15 do mês seguinte para resgatar o dinheiro.

Caso precise realizar um resgate antecipado (como é o caso das reservas de emergência), você perderá todos os rendimentos do período – mesmo que falte apenas um dia para o aniversário.

Com ativos de liquidez diária, isso não acontece. Os rendimentos são calculados todos os dias, e o resgate antecipado contará com os juros proporcionais ao período de aplicação.

Como fazer sua reserva de emergência com a Warren

Reserva de emergência com a Warren, ilustração
Aprenda a montar sua reserva de emergência com a Warren.

Montar sua reserva de emergência com a Warren é muito mais fácil. Não é preciso nem mesmo calcular o valor ideal da sua reserva — fazemos isso para você!

É claro, se você é um investidor experiente, pode personalizar completamente seus objetivos.

Quer ver como é simples? Basta seguir esse passo a passo:

  1. Crie sua conta na Warren. Você responderá algumas perguntas que ajudarão nosso algorítimo a definir as melhores opções e metas para o seu perfil
  2. Agora, você irá criar seu primeiro objetivo. Para esse caso, escolha “reserva de emergência”.
  3. Em seguida, você responderá mais algumas perguntas sobre suas metas e prazos com esse investimento. Nosso algorítimo irá sugerir:
    1. o valor ideal para sua reserva de emergência;
    2. qual o valor sugerido para o aporte inicial;
    3. e o do valor do aporte mensal para atingir sua meta;
  4. Quando suas sugestões estiverem prontas, você pode aceitar as opções oferecidas ou personalizar a distribuição da sua carteira e os produtos que a compõe. 
  5. Prontinho! Agora é só começar a investir.

Clique aqui para abrir sua conta agora mesmo!

Conclusão

Montar uma reserva de emergência é o primeiro passo para garantir uma vida financeira saudável e estável. Para isso, é preciso selecionar ativos de renda fixa seguros e que apresentem boa rentabilidade.

Outro fator muito importante é a liquidez. Afinal, se você precisar do dinheiro com urgência, será preciso resgatá-lo sem perder rendimentos.

Agora você já sabe quais são os investimentos ideais para construir sua reserva de emergência. Então, que tal continuar aprendendo sobre como fazer seu patrimônio crescer? Leia esses artigos que separamos para você:  

Esta publicação possui natureza informativa, não devendo ser entendido como recomendação de qualquer investimento ou sugestão de alocação por parte dos destinatários. Os ativos financeiros e/ou as carteiras de investimentos discutidas neste material podem não ser adequadas para todos os investidores, tendo em vista que os objetivos de investimento, situação financeira e necessidades de cada investidor podem variar. Para avaliação da performance de um fundo de investimento, é recomendável a análise de, no mínimo, 12 (doze) meses. Fundos de investimento não contam com garantia do administrador, do gestor, de qualquer mecanismo de seguro ou do Fundo Garantidor de Crédito – FGC. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. Leia o prospecto, o formulário de informações complementares, lâmina de informações essenciais e o regulamento antes de investir.